Portal Cultura PE

Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

ARTES CÊNICAS

“A Invenção da Palavra” e “Martelada” entram em cartaz no Teatro Arraial

Fred Jordão/Divulgação

Fred Jordão/Divulgação

Os atores Olga Ferrario e Cláudio Ferrario dividem o palco na peça “A Invenção da Palavra”

Duas novas peças sobem ao palco do Teatro Arraial Ariano Suassuna neste fim de semana: A Invenção da Palavra e Martelada. A primeira, que fica em cartaz nesta sexta-feira (2) e sábado (3), às 20h, faz uma viagem poética e lúdica pela humanidade, a partir da história de dois velhos, brincantes, palhaços, loucos, mendigos que se divertem numa verdadeira peleja entre Deus e o Capeta para saber quem, de fato, inventou a palavra. Os dois suspensos no ar. Os dois a fugirem do cotidiano dos gestos. Os dois a disputarem as palavras. Um mundo único e específico, que no tempo e no espaço do teatro é capaz de transportar o espectador a um mundo paralelo de dois seres em combate. Um espetáculo minimalista, que faz da atuação dos atores, suas palavras e seus gestos, força propulsora da construção dramática.

A Invenção da Palavra é um texto do ator Cláudio Ferrario. A encenação é de Moncho Rodrigues e no elenco, além do próprio autor, a atriz Olga Ferrario. Fruto de um intercâmbio artístico entre Brasil e Portugal, o espetáculo foi montado numa imersão na cidade de Fafe, onde funciona o projeto chamado Fafe Cidade das Artes, também dirigido pelo encenador Moncho. Trilha Sonora de Rafael Agra e Narciso Fernandes.

Divulgação

Divulgação

O ator Cláudio Ferrario protagoniza o espetáculo Martelada

Dirigido pela cineasta Dea Ferraz e estrelado pelo ator Cláudio Ferrario, o monólogo Martelada foi construído após viagens a quatro cidades da Zona da Mata Norte de Pernambuco, e conta a história de Martelo, figura tradicional do cavalo-marinho, que costuma receber visitantes interessados em ouvir suas histórias misteriosas. Em um dado momento, o velho guardador de mistérios encarna Mateus, o jovem que ele mesmo já foi um dia, para relatar as três vezes em que esteve no inferno.

A montagem faz referências à cultura popular pernambucana e homenageia a tradição da oralidade e as pessoas capazes de passar as histórias do passado adiante através da fala. “Estávamos fazendo o filme Mateus e assim que encontramos Martelo, mestre do Cavalo Marinho em Condado, ele nos surpreendeu com uma história absolutamente fantástica: em mais de dez minutos ininterruptos de filmagem, nos detalhou as três vezes que foi ao inferno. E se esta história não ficou no corte final do filme, foi a partir dela que o texto de Martelada foi construída”, conta a diretora Déa Ferraz. O espetáculo será encenado nos dia 9 e 10/3 (sexta-feira e sábado), às 20h, e os ingressos custam R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada).

Serviço
A Invenção da Palavra, com os atores Olga Ferrario e Cláudio Ferrario
Quando: 2 e 3/3, às 20h
Onde: Teatro Arraial Ariano Suassuna (Rua da Aurora, 457, Boa Vista – Recife)
Quanto: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada)

Martelada, com texto de Cláudio Ferrario e direção de Dea Ferraz
Quando: 9 e 10/3, às 20h, às 20h
Onde: Teatro Arraial Ariano Suassuna (Rua da Aurora, 457, Boa Vista – Recife)
Quanto: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada)

< voltar para home