Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

ARTES CÊNICAS

Espaço O Poste estreia “Em cada encruzilhada uma história dada”

Espetáculo será encenado nas sextas, nos sábados e nos domingos de janeiro, sempre no Espaço O Poste. As entradas custam R$ 30 (inteira) e R$15 (meia).

Divulgação

Divulgação

Espetáculo faz referência às religiões de matriz africana.

A Escola O Poste de Antropologia Teatral apresenta o espetáculo “Em Cada Encruzilhada uma História Dada – Um ensaio para Eugênio Barba”, que fica em cartaz de 11 a 27 de janeiro, espaço O Poste. Trata-se de histórias diversas que se passam em uma encruzilhada de variados tempos e espaços. Com fortes referências culturais da religião de matriz africana e outras culturas, a encenação vai apresentando situações onde personagens transitam antropologicamente revelando suas idiossincrasias.

O espetáculo também faz uma homenagem ao criador do teatro antropológico, Eugênio Barba, do grupo dinamarquês Odin Teatret. Durante oito meses, os alunos/atuadores tiveram aulas   com um corpo docente de oito professores, nas disciplinas Ancestralidade Nagô,  Danças do Mundo, Artes Marciais, Teatro de Bali, História do Teatro, Equivalência Vocal e Interpretação pelo viés antropológico.

CONSTRUÇÃO DA ENCENAÇÃO

As cenas foram construídas ao longo do processo de forma independente. Não havia um conceito inicial, a partir das técnicas aprendidas na escola, foi sugerido aos alunos que eles devolvessem uma cena autônoma, criando uma partitura física e vocal para o seu personagem dentro das técnicas antropológicas.

Assim, eles foram trazendo de forma embrionária suas construções dramatúrgicas. Após o término das cadeiras, era preciso uma arrumação conceitual ou uma arrumação das cenas e das dramaturgias. Como as cenas vieram de processo individual, sem necessariamente uma conexão entre si, encenação também teve esse caráter. Essa independência foi mantida, mas foi trabalhado o conceito da “encruzilhada”.

Nela, passam pessoas, animais, manifestações, encontros, desencontros, magia e rituais. A encruzilhada não foi demarcada cenograficamente na encenação a fim de não limitar o espaço de atuação dos atores. A encruzilhada é simbólica, imaginária, ora festiva, ora trágica e reflexiva. Um terreiro de acontecimentos. Quando não estão na encruzilhada, os atores posicionam-se em dois pejis (altar das divindades) prontos para manifesta-se na encruzilhada dada.

Temporada do espetáculo “Em Cada Encruzilhada uma História Dada – Um ensaio para Eugênio Barba”
Local: O Poste – rua da Aurora, 529, Boa Vista, Recife – PE.
Dias: Sextas, Sábados e Domingo
11/01 e 12/01 às 20 h
13/01 às 18 h
18/01 e 19/01 às 20 h
20/01 às 18 h
25/01 e 26/01 às 20 h
27/01 às 20 h
Ingressos: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia)

< voltar para home