Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

ARTES CÊNICAS

Mostra de Artes Aldeia Yapoatan reúne mais de 100 apresentações de teatro, música e circo

A programação do evento, comandado pelo Sesc Piedade, começa nesta sexta (18) e segue até o dia 27/9

Jorge Barbosa/Divulgação

Jorge Barbosa/Divulgação

A maioria das atividades do projeto é gratuita

A cidade de Jaboatão dos Guararapes recebe, a partir desta sexta (18), a terceira edição do projeto da Aldeia Yapoatan. Com programação descentralizada, a iniciativa é um braço do projeto nacional Palco Giratório, e vai apresentar ao público linguagens artísticas diversificadas como teatro, música, circo, dança, literatura, cinema e artesanato. Nos 10 dias de atividades, serão realizadas aproximadamente 100 apresentações artísticas, entre espetáculos, mostra de dança, performances, intervenções, exposição de artes, sarau e lançamento de livros. O evento segue até o dia 27/9.

“Nesta edição, a Aldeia Yapoatan expande suas ações para novos sítios, Moreno e Cabo de Santo Agostinho, visitando a comunidade de Engenho e os Quilombolas. Isso gera novos caminhos para a fruição da Arte, acessando populações e localidades antes não contempladas pelas ações culturais do projeto. Queremos trazer o público para perto, mas também ir ao encontro dele”, diz a Supervisora de Cultura do Sesc Piedade, Ivana Motta. Além das apresentações, a iniciativa contempla também ações formativas. Serão 15 cursos com temas voltados para iniciantes ou não. Entre os temas, Iniciação ao Teatro, Elaboração de Projetos Culturais, Meu Celular Faz Cinema e Ballet Clássico. Na grade, estão envolvidos cerca de 84 grupos locais e nacionais, vindos do Rio de Janeiro, Minas Gerais, Maranhão e Goiás.

As apresentações serão gratuitas, exceto nos teatros Luiz Mendonça e Apolo Hermilo, onde os ingressos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia). Os palcos são distribuídos por Jaboatão dos Guararapes, Recife, Moreno: Palco Divino Mestre (na Escola Divino Mestre, em Piedade), Palco Arena (Sesc Piedade), Palco Cultura Popular (Sesc Piedade), Palco Teatro de Perto (Sesc Piedade), Palco Sonoro (Sesc Piedade), Palco Cinema Sesc (Sesc Piedade), Palco OverDoze (na Rua Antônio Ferreira Campos, n° 5040- Candeias), Luiz Mendonça (Parque Dona Lindu), Apolo Hermilo (Recife Antigo), as Feiras de Cavaleiros e Bonança, além de escolas municipais. O Quilombo Onze Negras, no Cabo de Santo Agostinho, também receberá atividades culturais. “O acesso ao bem cultural é premissa deste projeto que tem a característica de descentralização. Desta forma, acreditamos que as reverberações da arte chegam a muitos lugares, gerando transformações sutis nos locais e nas pessoas”, explica Ivana Motta.

Abertura – O início do projeto está marcado para o dia 18, às 16h, com um cortejo cultural que passará pelas principais ruas de Jaboatão Centro, com concentração na Igreja de Santo Amaro e desfile até a Praça Nossa Senhora do Rosário. O momento terá também a presença dos bonecos gigantes do Sesc, o Boi Sorriso, a banda de fanfarra Henriqueta de Oliveira, Rebeldes do Samba, Maracatu Nação Xangô Alafim, Pastoril Estrela Guia do Cabo, Afoxê Omo Imã, orquestra de frevo, Caboclinho Sete Flexas, a Tribo Indígena Carijós do Recife, Som na Rural, o Balé Popular de Jaboatão dos Guararapes e o Encontro de Palhaçaria.

Nesta mesma noite, às 19h, tem o Samba de Coco Trupé de Arcoverde, em Jaboatão Centro, e às 20h, o espetáculo “Eugênia”, do grupo MM Halfim, ocupa o palco do Teatro Luiz Mendonça, no Parque Dona Lindu. A peça pretende discutir o papel da mulher na formação da identidade brasileira, levantando questões de gênero ao longo da história, com texto de Miriam Halfim, direção de Sidnei Cruz e interpretação de Gisela de Castro.

Dança – Entre os destaques desta edição da Aldeia, a Mostra de Dança apresenta grupos de formação Clássica, Contemporânea, Popular, de Salão e Hip Hop. No dia 19, o público poderá conferir os espetáculos “Retalhos em 3 Tons” (Carolemos Dançarte), o “Silêncio Absoluto” (Grupo Corpore), “O Encontro de Frevo e Dança da Boneca Popular” (do Balé Popular de Jaboatão), “Chegança” (Cia Trapiá de Dança de Pernambuco), “Marionete Magia de Luz” (Companhia de Dança Valdeck Farias), “O Bando” (Soul da Favela Crew) e “Raízes” (Ellos Grupo de Dança). As apresentações acontecem no bairro de Jaboatão Centro, em frente à Casa de Cultura, com início às 19h.

Cênicas – O Teatro Apolo, no Recife Antigo, recebe no dia 26, às 20h, “Nowhereland”, do Movasse Coletivo de Criação em Dança, de Minas Gerais. A apresentação integra a agenda do Palco Giratório Pernambuco. O espetáculo, foi considerado o melhor de Dança em 2013, em Minas Gerais. Ele foi inspirado na obra de Tim Burton para a criação coreográfica, abordando o tema que separa o real do imaginário. A direção é de Sônia Mota e os bailarinos são: Andréia Anhaia, Carlos Arão, Ester França e Fábio Dornas. A entrada custa R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

Circo – A arte circense também tem seu espaço garantido. A Trupe Circus sobe ao palco do Teatro Luiz Mendonça, no dia 22, com “Um Dia de Circo na Praia – Uma Aventura Inusitada”, com os palhaços Supisco e Amei. Eles vão trazer elementos e números de circo inspirados no litoral, com acrobacias de solo realizadas na areia e dentro d’água. Os ingressos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia).

Quilombo – No Cabo de Santo Agostinho, o Quilombo Onze Negras é palco do Aldeia, que visa descentralizar o acesso à arte. Na localidade aportam no dia 25 os espetáculos “Eu Vim da Ilha”, da Companhia de Dança do Sesc Petrolina, às 16h, e a “Receita”, do O Poste Soluções Luminosas, às 18h. No dia 26, às 16h, é a vez de “Luzia no Caminho das Águas”, do Grupo Engenho de Teatro. A entrada é gratuita.

OverDoze – O último dia da Aldeia Yapoatan (27) será marcado pela OverDoze, programação com 12 horas interruptas de atividades, no palco localizado na Rua Antônio Ferreira Campos, n° 5040 em Candeias. Neste dia, haverá Feira de Artesanato e Barraquinhas de Comidas Típicas, no período da manhã. Às 12h, o grupo de Violinos do Sesc Piedade se apresenta. Em seguida, a programação contará com o espetáculo “Homenagem ao Malandro”, as performances “De Éter e Água” (Núcleo de Pesquisa em Dança do Sesc Arcoverde) e “O Ritual de Joana” (Amanda Spacca), as encenações o “Silêncio Absoluto” (Grupo Corpore) e “Os Tambores Não Calam” (Banda Sondus Quilombos).

Na grade, haverá ainda o Sarau Literário-Artístico Itinerante do Jaboatão dos Guararapes e os espetáculos “Polo Marginal – Opereta de Rua” (Grupo de Teatro de Rua Loucos e Oprimidos da Maciel) e “Rendevu” (Companhia 2 em Cena de Teatro, Circo e Dança). Às 17:30h, serão movimentados dois lançamentos de livros: “Os Abismos da Poeticidade em Jomard Muniz de Britto – do Escrevivendo aos Atentados Poéticos”, de Moisés Monteiro M. Neto, e “A experiência de Ser e Tornar-se Arte/Educador: um estudo sobre a História de vida, formação e identidade”, de autoria de Everson Melquiades Araújo. Logo após, tem “Tatudobrega” (Companhia de Dança do Sesc Petrolina) e “Ritalinos” (Ritalinos).

O encerramento será comandado pelo Movasse Coletivo de Criação em Dança que traz para o palco do Teatro Hermilo Borba Filho o espetáculo “Playlist”, uma improvisação interativa construída a cada apresentação. São 45 minutos cênicos improvisados com a participação do público. Há oito temas pré-definidos que intitulam a encenação a serem escolhidos pela plateia.

< voltar para home