Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

ARTES CÊNICAS

Peça “Os Três Porquinhos” comemora 24 anos no Teatro Arraial

O espetáculo, que integra a programação da convocatória de ocupação do espaço, reestreia neste domingo (9) e segue em cartaz até o dia 6/11

Pedro Portugal/Divulgação

Os atores Cleusson Vieira, Mari Miranda e Sóstenes Vital dão vida aos “Três Porquinhos”

Desde que estreou em 1992, a peça Os Três Porquinhos construiu uma carreira sólida e respeitável nos palcos da capital pernambucana. Com o saldo de mais de 1.500 apresentações e passagem pelos mais importantes festivais de teatros de Sergipe, Alagoas, Bahia, Paraíba, Rio Grande do Norte, Maranhão, Piauí, Pará e até de Portugal, o elenco do espetáculo, formado pelos atores Cleusson Vieira, Mari Miranda e Sóstenes Vital, se prepara neste mês de outubro para uma nova temporada no Teatro Arraial Ariano Suassuna, que começa neste domingo (9) e segue em cartaz até o dia 6/11, sempre às 11h.

O espetáculo ficou em cartaz durante 10 anos no Parque Dois Irmãos, com sessões lotadas aos domingos. ”Essa nova temporada marca os 24 anos ininterruptos da peça em palcos pernambucanos. Além do público, que sempre nos prestigia, devemos todo esse sucesso a qualidade do texto do espetáculo, que dessa vez está mais lúdico, e ao talento de nossos atores, que nos acompanham todos esses anos”, disse o produtor Pedro Portugal. “Espero que a plateia vá ao Arraial nos assistir e, mais do que isso, possa se divertir conosco”, afirmou Portugal.

Os Três Porquinhos
O espetáculo teatral agrada a adultos e crianças e é um clássico de Joseph Jacobs, a partir da obra dos irmãos Grimm, com adaptação de Reginaldo Silva e direção de Cleusson Vieira. A estreia oficial da peça aconteceu no dia 16 de maio de 1992, no Teatro José Carlos Cavalcanti Borges. “Os Três Porquinhos” é um divertidíssimo musical infantil que mostra as aventuras de três porquinhos, Prático, Cícera (sim, há uma porquinha!) e Heitor, às voltas com um terrível e faminto Lobo Mau, mestre em disfarces. Tudo acontece numa floresta onde fantasia e realidade se confundem. Enquanto que o porquinho Prático, o mais sensato dos três, constrói sua casa com tijolos e cimento, seus irmãos, Cícera e Heitor, de tanta preguiça, levantam suas casas de palha e madeira, respectivamente. Prometendo agradar crianças e adultos (muitas vezes, piadas de improviso, bem atuais, recheiam a trama), a peça mostra que a preguiça e viver a vida sem pensar no futuro pode trazer desconforto e vários problemas. Quem construiu seu abrigo fraco, vai enfrentar as consequências de sua falha. O final, embora todo mundo conheça, revela grandes surpresas.

Convocatória
A gestora do Arraial, Ana Cláudia Wanguestel, destaca a qualidade dos espetáculos que se inscreveram/participaram da convocatória de ocupação do equipamento neste segundo semestre de 2016 e reitera que, a cada edição, a intenção é aperfeiçoá-la para que ela atenda mais e melhor os artistas e produtores das artes cênicas do Estado. “Desde de 2012, o Teatro Arraial Ariano Suassuna vem desenvolvendo um projeto semestral de Ocupação de Pautas chamado “Convocatória de Ocupação de Pautas de Equipamento Cultural para Espetáculos de Circo, Dança e Teatro”, que tem feito toda a diferença para a difusão das produções pernambucanas. Nossa preocupação maior, além de acolher e exibir esses espetáculos, é fomentar a formação de plateias e permitir o acesso democrático e transparente para sua ocupação”, afirmou.

A temporada desse segundo semestre segue até o dia 18 de dezembro. Confira a grade dos espetáculos selecionados:

O Mascate, a Pé rapada e os Forasteiros

O Mascate, a Pé rapada e os Forasteiros

Sinopse: O Mascate,  a Pé rapada e os Forasteiros é um espetáculo que utiliza a  linguagem do teatro de objetos para contar uma versão histórica/fictícia sobre as cidades de Olinda e Recife. Na trama, estas cidades são um casal (Olinda, a mulher e Recife, o homem) que com a chegada de forasteiros exploradores (Portugal e Holanda), se veem corrompidos por sentimentos de ganância e cobiça.
Temporada: de 1º a 15 de outubro, às sextas-feiras e aos sábados (excepcionalmente, a estreia será neste sábado 1º/10), às 20h
Onde: Teatro Arraial Ariano Suassuna (R. da Aurora, 457 – Boa Vista, Recife – PE)
Quanto: R$ 10 (inteira) e R$ 5 (meia-entrada)
Classificação Indicativa: 16 anos

Amanda Pietra/Divulgação

Amanda Pietra/Divulgação

Pa(Ideia)

Sinopse: O vocábulo grego PAIDEIA significa, ao mesmo tempo, educar e civilizar. E no curso da História, PAIDEIA tornou-se o sinônimo da própria cultura grega. A alfabetização, primeiro passo para a educação e degrau imediato para a etapa civilizadora, é o cerne da obra de Paulo Freire. [...] Não é possível supor êxitos no campo econômico, e porque não dizer no campo ético de uma sociedade, sem o alicerce de um povo que se educa para civilizar-se. O espetáculo, que integra a Trilogia Vermelha, narra a trajetória do educador pernambucano Paulo Freire.
Temporada: de 11 a 26 de novembro, às sextas-feiras e aos sábados, às 20h.
Onde: Teatro Arraial Ariano Suassuna (R. da Aurora, 457 – Boa Vista, Recife – PE).
Quanto: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada).
Classificação Indicativa: 14 anos.

Dilvulgação

Dilvulgação

Os Superficiais

Sinopse: A montagem foi criada a partir das memórias de seus bailarinos e bailarinas para dedicar-se à investigação dos tipos de relações estabelecidas com o mundo pós-moderno marcado pela velocidade e superficialidade nas interações sociais. O espetáculo inspira-se nas redes sociais virtuais para propor uma obra, um jogo ou uma brincadeira que aposta na tão recorrente exposição pessoal, na cópia compartilhada como original e na velocidade da informação.
Temporada: de 21 de outubro a 5 de novembro, às sextas-feiras e aos sábados, às 20h.
Onde: Teatro Arraial Ariano Suassuna (R. da Aurora, 457 – Boa Vista, Recife – PE).
Quanto: Contribuição Espontânea.
Classificação Indicativa: 14 anos.

Rogério Alves/Divulgação

Divulgação

Tijolos de Esquecimento

Sinopse: Tijolos de Esquecimento é uma imersão no imaginário urbano, a partir da obra do escritor italiano Ítalo Calvino – Cidades Invisíveis – onde a cidade deixa de ser um conceito geográfico para se tornar o símbolo complexo e inesgotável da existência humana.
Temporada: de 2 a 17 de dezembro, às sextas-feiras e aos sábados, às 20h.
Onde: Teatro Arraial Ariano Suassuna (R. da Aurora, 457 – Boa Vista, Recife – PE).
Quanto: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada).
Classificação Indicativa: 18 anos.

Divulgação

Divulgação

As Peripécias da Trup da Alegria

Sinopse: O Palhaço Bituca, se diz o valentão e conta para a Trup uma história de terror, fazendo com que toda a turma fique apavorada. Seguindo com as suas trapalhadas, Bituca perde a amizade de toda a TRUP, Loli, Leca e Bú. As crianças participam e ajudam a TRUP. Tudo com muita alegria, músicas e palhaçadas. Você vai rir bastante com As Peripécias da Trup da Alegria.
Temporada: de 13 de novembro a 18 de dezembro, aos domingos, às 11h.
Onde: Teatro Arraial Ariano Suassuna (R. da Aurora, 457 – Boa Vista, Recife – PE).
Quanto: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada).
Classificação Indicativa: Livre.

Serviço
Espetáculo Os Três Porquinhos
Temporada: de 9 de outubro a 6 de novembro, aos domingos, às 11h.
Onde: Teatro Arraial Ariano Suassuna (R. da Aurora, 457 – Boa Vista, Recife – PE).
Quanto: R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia-entrada)
Classificação Indicativa: Livre

< voltar para home