Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

ARTES CÊNICAS

Secult-PE divulga os indicados ao Prêmio Pernalonga de Teatro

A Secretaria de Cultura do Estado de Pernambuco, Secult-PE, e a Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco, Fundarpe tornam público os Indicados ao 2º Prêmio Roberto de França (Pernalonga) de Teatro. Todos os Indicados serão premiados com R$ 4,5 mil, cada. Até o final do ano, serão divulgados os Selecionados de cada categoria. Os Selecionados nas categorias “Espetáculo Adulto” e “Iniciativa Coletiva” irão receber R$ 18 mil cada. Nas categorias “Espetáculo Solo” e “Iniciativa Individual”, os Selecionados receberão R$ 9 mil. Todos os premiados (Indicados e Selecionados) poderão participar da II Mostra Pernalonga de Teatro, a ser realizada em 2020.

Confira os Indicados: 

Categoria Espetáculo Adulto:

Alguém Pra Fugir Comigo (Resta 1 Coletivo de Teatro)

Estreado em 2016, a obra e o coletivo surgem no Curso de Interpretação para Teatro do Sesc Santo Amaro. O espetáculo coloca no palco assuntos que estão na ordem do dia, textos políticos, líricos, filosóficos, relatos de fatos verídicos e imaginários, ocorridos recentemente ou há décadas, no Brasil de hoje e na Europa do Séc. XIX. Evidencia a crise ética, social e humana que está presente desde sempre na história. Com direção de Quiercles Santana e Analice Croccia, a obra conta com os jovens artistas Kleber Santana, Elias Gomes, Ane, Lima, Clau Barros, Luís Bringel, Pedro Caíque, Pollyanna Cabral e Wilamys Rosendo.

Dinamarca (Grupo Teatral Magiluth)

O nono espetáculo do Magiluth parte de uma construção coletiva do texto Hamlet, de Shakespeare. O texto é tratado sob perspectivas singulares da conjuntura sociopolítica do Brasil atual. Além da direção de Pedro Wagner e da dramaturgia de Giordano Castro, ambos integrantes do Grupo Magiluth, o espetáculo contou com a consultoria de Nadja Naira e Giovana Soar, da Companhia Brasileira de Teatro (Curitiba). Em cena estão Bruno Parmera, Erivaldo Oliveira, Giordano Castro, Lucas Torres e Mário Sérgio Cabral. O desenho de som é de autoria e execução de Miguel Mendes e Tomás Brandão, que compõem o duo Pachka.

O amor de Clotilde por um certo Leandro Dantas (Jorge de Paula e demais artistas)

A Emparedada da Rua Nova, um romance histórico de mais de 500 páginas, principal obra do escritor pernambucano Carneiro Vilela, é o mote do espetáculo que está prestes a completar 10 anos de trajetória. Surge como homenagem ao Ph.D. em Teatro, Marco Camarotti, e a sua pesquisa sobre o circo-teatro pernambucano. Com direção de Jorge de Paula, obra conta com Andréa Veruska, Andréa Rosa, Dado Sodi, Iara Campos, Juliana Monteiro, Tatto Medinni, Marcelo Oliveira, Marcondes Lima e Sávio Uchôa. O espetáculo já foi visto por mais de 40 mil espectadores.

pa(IDEIA) – pedagogia da libertação (Coletivo Grão Comum)

pa(IDEIA) - pedagogia da libertação

A prisão e interrogatório do professor Paulo Freire, em 1964, o Brasil de hoje e as contradições da educação são os temas centrais da obra. Com direção e atuação de Junior Aguiar, o espetáculo também conta com o ator Daniel Barros. O coletivo tem onze anos de trajetória. É o segundo espetáculo da Trilogia Vermelha, estreado em 2016. A trilogia do Coletivo Grão Comum também conta uma peça sobre o cineasta baiano Glauber Rocha, e outra sobre o bispo cearense Dom Helder Câmara.

Categoria Espetáculo para a Infância

Não houve indicados

Categoria Espetáculo Solo

Apenas um indicado, que será o Selecionado a ser anunciado no resultado final

Categoria Iniciativa Coletiva

Descobrindo o Teatro do Oprimido (Núcleo de Experimentações em Teatro do Oprimido)

Desde 2014 o projeto realiza cursos de iniciação em Teatro do Oprimido para o público em geral, oferecendo uma formação de 30 horas-aula. Já circulou em 17 cidades entre Brasil e Estados Unidos, formando mais de 400 pessoas. A legado de Augusto Boal, praticado em mais de setenta países, é o principal motor de intervenção artística do NEXTO. Andréa Veruska e Wagner Montenegro compartilham os seus conhecimentos e modo de produção teatral com outros artistas, arte/educadores, atores e não atores.

Escola de Teatro Fiandeiros (Companhia Fiandeiros de Teatro)

Com destaque para a pesquisa e os trabalhos da companhia com o teatro para infância, completa dezesseis anos de atividades ininterruptas na cidade do Recife. A sede da Cia, onde funcionam as ações formativas, conta com biblioteca aberta com mais de mil títulos teatrais. A Escola, que já contou com mais de 50 professores em nove anos, montou 57 espetáculos pedagógicos com crianças, adolescentes e adultos. Daniela Travassos, André Filho, Manuel Carlos, Jefferson Larbos, Kéllia Phayza e Charly Jadson operacionalizam a iniciativa.

Traquejo (Companhia de Dança e Teatro Traquejo)

A companhia, com sede na cidade de Exu/PE, foi criada em 2010, e vem realizando trabalhos de dança e teatro, além de iniciação a música no sertão pernambucano. Realiza o Festival ATO que, em cada edição, atinge 600 pessoas espectadores e participação de 150 alunos da rede pública e privada da região. Conta com mais de 16 espetáculos, entre dança e teatro. Com direção de João Lucas, é formada pelos jovens artistas Ana Cristina, Joseane Nogueira, Cosmo Martins, Genario Lopes, Myrlley Mayara, Nayara Xavier, Andre Oliveira, Milton Neto, Kerelle Leão, Danilton Soares, Grazyelly Gomes e Emerson Rodrigues.

Categoria Iniciativa Individual

Apenas um indicado, que será o Selecionado a ser anunciado no resultado final

JURADOS – A comissão de seleção do Prêmio Pernalonga de Teatro foi presidida pelo Assessor de Teatro e Ópera da Secult/PE, o ator e diretor José Neto Barbosa. Também integraram a Comissão os renomados profissionais: o ator, dramaturgo e diretor Pedro Granato, e o jornalista, artista e tradutor Celso Curi.

“Pedro Granato é gestor da Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo e fundador do Núcleo Pequeno Ato. Já o Celso Curi é um dos mais requisitados curadores do mundo, diretor da Guia OFF de Teatro e líder do Movimento Artigo 5º, formado por diversos grupos e artistas que militam contra a censura e a arte no Brasil”, reforça o assessor de Teatro e Ópera da Secult/PE, José Neto.

< voltar para home