Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

ARTES CÊNICAS

Teatro alternativo toma conta do Recife em outubro

"Outubro ou Nada - 1º Mostra de Teatro Alternativo do Recife" acontece de 3 a 29 de outubro, em 14 espaços alternativos da cidade e com preços populares

por Marina Suassuna

Plínio Maciel abre seu baú de memórias afetivas em “Na Beira”, espetáculo que inaugura a Mostra no dia 3 de outubro

Mais de 50 espetáculos teatrais irão movimentar o Recife de 3 a 29 de outubro com ingressos a preços populares. Trata-se do Outubro ou Nada - 1º Mostra de Teatro Alternativo do Recife, que vem pra solidificar um circuito alternativo, à margem dos palcos tradicionais. Catorze espaços vão acolher o público com mais de 24 companhias e coletivos, incluindo performances, ensaios abertos, estreias, rodas de diálogos e oficinas, aproximando mais de sessenta artistas pernambucanos em torno de uma mesma ideia: a questão da representatividade do teatro na nossa sociedade contemporânea.

“Desde 2014, quando nós, artistas de teatro, escoamos nossos espetáculos em casas e apartamentos do Recife, vimos que é possível estarmos juntos, de forma independente, para mostrarmos nosso trabalho. Que não dá para ficar esperando. Este movimento foi tão forte e afetivo que desenvolvemos uma Mostra de Teatro Domiciliar e oferecemos ao Janeiro de Grandes Espetáculos, edição de 2015.  Assim também foi no 26º Festival de Inverno de Garanhuns (FIG 2016). Levamos propostas de espetáculos para espaços alternativos e conseguimos um diálogo riquíssimo com outros artistas e também com o público que circulou pelo evento. É necessário que, cada vez mais, parcerias como essas sejam feitas”, avalia Cleyton Cabral, um dos organizadores do evento.

Dentro desse contexto de resistência e mobilização, se observou a construção de uma agenda de apresentações e novos espetáculos. Outros espaços periféricos e edifícios foram sendo ocupados, andares inteiros abrindo suas portas e saudando os espectadores que chegam. Hoje é possível perceber diversos ciclos de valorização do Teatro Alternativo no Recife. Entre os  mais recentes, estão as iniciativas do movimento de teatro de grupo, que vem abrindo corajosamente suas sedes, a exemplo da Cia Fiandeiros, da Cênicas Cia. de Repertório, do Grupo Magiluth e d’O Poste.

Segundo Jorge Clésio, coordenador de Artes Cênicas da Secult-PE, que levou ao 26 º FIG seis apresentações do gênero, é muito instigante “perceber que o  movimento permanece organizado a ponto de desenvolver uma mostra com mais robustez na cidade do Recife. Essa inciativa foi acolhida no FIG de maneira embrionária. Recebemos 6 espetáculos na Casa Galeria Galpão. Era um pleito antigo da classe artística, que o festival comportasse essa demanda alternativa no teatro e foi possível trazer para o festival mesmo num contexto de contingenciamento. Foi um sucesso não só de público e crítica, mas de apreciação estética, influenciando até outros estados”, observa.

Laís Domingues

Laís Domingues

Teatro alternativo integrou a programação oficial do 26º FIG – Festival de Inverno de Garanhuns

Neste sentido, a 1º Mostra de Teatro Alternativo marca o momento atual de como as artes cênicas vêm acontecendo, apontando para o principal objetivo de reelaborar novos diálogos e relações com o público que aprecia e valoriza esta produção. Uma das características da Mostra é a multiplicidade das linguagens, grande parte delas periféricas, como uma forma de ressignificar o mapa cênico e reforçar a ideia de não fazer o teatro acontecer apenas nos espaços oficiais, mas por toda a cidade, até mesmo numa casa privada ou apartamento, como ocorreu na origem desse movimento.

Pela primeira vez, a maior parte da produção dos espetáculos independe dos editais. Não se tratam de ações isoladas de apenas um grupo ou companhia, mas um recorte muito significativo de artistas na sua maturidade de criações. ”A nossa resposta é um diálogo coletivo e ressoa em prol da proliferação e permanência desses espaços alternativos importantíssimos para a vitalidade da cena local, da valorização deste circuito alternativo que faz sustentar e estimular o teatro, nas suas múltiplas funções sociais, do próprio histórico do Movimento Teatro em Casa, que sempre pensou, defendeu e propagou essas questões”, acredita o artista e produtor Rodrigo Dourado.

Para conferir a programação completa do Outubro ou Nada - 1º Mostra de Teatro Alternativo do Recife, clique aqui. 

SERVIÇO
Outubro ou Nada - 1º Mostra de Teatro Alternativo do Recife
De 3 a 29 de outubro
Consulte locais, horários e valor de ingressos na página do evento

 

 

 

< voltar para home