Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

ARTES CÊNICAS

Teatro Santa Isabel sedia o primeiro Festival de Ópera do Recife

Ópera pernambucana “Leonor” e mais duas composições clássicas serão encenadas no centenário palco do teatro

Peu Ricardo/Divulgação

Peu Ricardo/Divulgação

“Leonor” abre a temporada de espetáculos do evento e será encenada nesta sexta-feira (9), no Teatro Santa Isabel

O histórico e monumental Teatro de Santa Isabel, localizado no centro da cidade, sediará, entre os dias 9 e 24 de agosto, o 1º Festival de Ópera de Pernambuco. Durante o evento, serão encenadas as óperas “Leonor”, de Euclides Fonseca, nos dias 9, 10 e 11; “Pagliacci”, de Ruggero Leoncavallo, nos dias 15, 16 e 17; e “Carmen”, de Georges Bizet, nos dias 22, 23 e 24.

Destaque entre as apresentações, “Leonor” é tida como a primeira ópera pernambucana. Situada na ilha de Itamaracá, a montagem é inspirada em mais uma esquecida relíquia da cultura popular pernambucana, “A Lenda das Mangas de Jasmim” (século XVII), e narra o infortúnio de uma mulher nobre e rica que, jovem, apaixona-se por um simplório, sendo correspondida. Ele pede a mão da moça em casamento, o pai dela recusa devido às modestas condições do pretendente. Desesperado, o jovem lança-se na guerra contra os holandeses em busca de riqueza e glória.

A iniciativa do festival é do maestro Wendell Kettle, diretor artístico-musical e Regente da Sinfonieta UFPE e da Academia de Ópera e Repertório (AOR), com produção da Gárgula Produções. Segundo Kettle, o evento ”visa inserir Pernambuco no roteiro dos grandes festivais de ópera do país e coroar um árduo, mas deleitoso processo de efervescência operística no Estado, assim como o reencontro e a redescoberta do amor dos pernambucanos pela ópera”.

Jan Ribeiro/ Secult PE/Fundarpe

Jan Ribeiro/ Secult PE/Fundarpe

O maestro Wendell Kettle (UFPE) é quem comanda o 1º Festival de Ópera do Recife

Doutor em Regência Sinfônica e Operística pelo Conservatório Estatal “Rimsky-Korsakov” de São Petersburgo (Rússia), o maestro Wendell Kettle chegou a Recife em agosto de 2016, após ser aprovado no concurso para professor de regência da UFPE. Desde então, tem transformado e dinamizado a vida operística na cidade: criou a Academia de Ópera e Repertório e a Sinfonieta UFPE com os quais já realizou, ao longo desses três anos, sete concertos corais-sinfônicos com destaque aos compositores brasileiros Villa-Lobos, Villani-Côrtes, Pe. José Maurício, Camargo Guarnieri e Ernst Mahle.

No campo operístico, além da cantata “Carmina Burana” (dezembro de 2018 e junho de 2019), foram realizadas nove montagens operísticas: “O contrato de casamento”, de Rossini (outubro de 2017 e março de 2018); “Júlia, a tecelã”, de Wendell Kettle (novembro de 2017, em estreia mundial); “Bastien e Bastienne”, de Mozart (dezembro de 2017); “Rita”, de Donizetti (maio de 2018), “Carmen”, de Bizet (junho e agosto de 2018), “Leonor”, de Euclides Fonseca (março de 2019) e “Pagliacci”, de Leoncavallo (maio de 2019).

As óperas selecionadas para esse primeiro festival foram selecionadas dentre as que já compõem o repertório da AOR. “É motivo de orgulho poder abrir o nosso primeiro festival com a primeira ópera pernambucana de que se tem registro, “Leonor”, do compositor recifense Euclides Fonseca. Em seguida, apresentaremos duas grandes óperas do repertório internacional: Pagliacci, de Leoncavalo, e Carmen, de Bizet, demostrando assim o potencial dos cantores e dos demais profissionais de ópera que temos em nosso Estado”, diz o maestro.

Serviço
1º Festival de Ópera do Recife
Onde: Teatro de Santa Isabel (Praça da República s/n – Bairro de Santo Antonio – Recife/PE)
Quando: Leonor: 9 e 10 de agosto, às 20h, 11 de agosto, às 18h
Pagliacci: 15 e 16 de agosto, às 20h, 17 de agosto, às 18h
Carmen: 22, 23 e 24 de agosto, às 19h
Ingressos: R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia-entrada)

< voltar para home