Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Artes Visuais e Fotografia

Exposição “Alados: O que paira sobre nossas cabeças?” entra em cartaz na Torre Malakoff

A mostra coletiva será inaugurada na próxima sexta-feira (8), às 19h. O acesso é gratuito

Divulgação

Divulgação

A mostra reúne 32 obras: oito produções de cada artista, seis instalações de técnicas diversas e em diversos tamanhos

A Torre Malakoff, equipamento cultural gerenciado pela Secult-PE/Fundarpe, inaugura na sexta-feira (8), às 19h, a exposição coletiva Alados: O que paira sobre nossas cabeças?.  Com obras dos artistas plásticos recifenses João Neto, Valdson Silva (Val), Oswaldo Pereira e Zel Passavante, a mostra provoca uma reflexão sobre a dualidade humana e os seus conflitos.

Na mostra, os idealizadores apresentam ao público 32 obras: oito produções de cada artista, seis instalações de técnicas diversas e em diversos tamanhos. Segundo os artistas plásticos, a humanidade vive numa encruzilhada histórica entre a barbárie e a civilização, a experiência em prol da liberdade, da fraternidade e da igualdade e isso continua sendo um longo processo de aprendizagem. “Discutir esses conflitos é uma forma de levantar o debate sobre a liberdade de expressão – debate urgente em nosso momento atual – e entender como ser livre no mundo contemporâneo”, contam os artistas.

Divulgação

Divulgação

Valdson Silva, Oswaldo Pereira, João Neto e Zel Passavante são os artistas responsáveis pelas 32 obras da exposição

Além da presença dos quatro idealizadores, a noite de abertura contará com a apresentação do Maracatu Fantástico Cabra Alada, que comemora 23 anos de fundação. Alados: O que paira sobre nossas cabeças? fica em cartaz até o dia 22 de julho, e a visitação é gratuita.

Sobre os artistas

JOÃO NETO
É um multiartista, o idealizador e figurinista do Maracatu Fantástico Cabra Alada. Sua produção está vinculada à produção teatral, dança e artes visuais. João influenciou o visual dos grupos de cultura popular de Pernambuco, quando propôs o figurino multicolorido do Maracatu Nação Pernambuco, esse artista é acima de tudo um brincante popular. Em sua produção visual, inovou o figurino e estandartes de grupos de cultura popular. Suas telas debatem a temática religiosa, misto de influências de vários credos numa fusão do sagrado com o profano. João é idealizador e responsável pelo figurino e adereços do Maracatu Fantástico Cabra Alada.

VALDSON SILVA (VAL)
Val é recifense, administrador pós-graduado em gestão de pessoas, professor, diretor geral e compositor do Maracatu Fantástico Cabra Alada. Val foi influenciado pelas alegorias dos carnavais da sua infância, quando morava no Pátio do Terço. “Todos os maracatus, caboclinhos, blocos de frevo e troças desfilavam em frente a minha casa” lembra. Em suas telas, as cores do verão nordestino, uma profusão de cores e movimentos. Sua temática traz elementos de sua memória e do cotidiano da cidade. Em 2015, expôs em Caruaru (PE). Em 2016, sua obra Enchente foi selecionada para a 13ª Bienal Naifs do Brasil, no Sesc Piracicaba (SP) e, em 2017, a mesma exposição foi montada no Sesc Belezinho (SP). Ainda em 2017, O Encontro foi selecionado para a 1ª Bienal Internacional de Arte Naifs Totem Cor-Ação, em Socorro (SP).

OSWALDO PEREIRA
Formado em Educação Artística pela UFPE e pós-graduado em Economia da Cultura pela UFRGS. É do Pina, Recife, local onde desenvolveu sua produção cultural. Pesquisador, Oswaldo escreve sobre a cultura e o povo do bairro, integra grupos culturais em Recife e em Olinda. Sua produção em artes visuais é intercalada com sua missão de professor de arte. Transita entre as artes cênicas, música e artes visuais e consolidou sua produção quando desenvolveu a pintura em objetos e mobiliários. Seu desenho é marcado pelos símbolos trazidos de uma memória ancestral contida em seu repertório imagético. Realizou exposições didáticas no Museu do Barro executando a Curadoria e montagem entre 2014 e 2017 com obras dos estudantes da rede pública de Caruaru.

ZEL PASSAVANTE
Nascido no Alto de Santa Isabel, no Recife, o artista divide sua vida entre duas paixões: a arte e a política. Formado em Artes Plásticas pela UFPE (1985), Passavante tem atelier no bairro da Boa Vista, no Recife, e apresenta em suas telas a temática social e tem como um dos momentos mais expressivos de sua trajetória a exposição multimidiática Homem-gabiru: catalogação de uma espécie – uma revisita ao cientista social Josué de Castro e sua obra Geografia da Fome em conjunto com a produtora Taciana Portela e o fotógrafo Daniel Aamot em 1991, no Recife. Expôs em várias cidades do país e na ECO-92, no Rio de Janeiro. Recentemente fez a exposição Cabeças Revoltas, no Centro Cultural dos Correios. Suas obras aportaram a Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo; o hall do Hotel Nacional em Brasília; o MAMAM, no Recife. Atualmente dedica-se à produção de telas em acrílico e a Fractal.

Serviço
Exposição Alados: O que paira sobre nossas cabeças?
Abertura: 8 de junho de 2018, às 19h
Período de visitação: de 9 até o dia 22 de julho; de terça a sexta, das 10h às 17h, sábado, das 15h às 18h e domingo, das 15h às 19h.
Local: Torre Malakoff – Praça do Arsenal, S/N, Bairro do Recife, Recife
Acesso gratuito

< voltar para home