Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

AUDIOVISUAL

Cinema ao alcance dos olhos, mãos e imaginação

Este ano, a Mostra de Cinema do FIG chega à sua 10ª edição, com produções locais, nacionais e estrangeiras. Além disso, a novidade é a mostra Sonhos Acessíveis, voltada para pessoas com deficiência visual, cegos, Síndrome de Down e autismo

Reprodução

Reprodução

“Amor, Plástico e Barulho”, de Renata Pinheiro, está na Mostra de Cinema do FIG deste ano

por Leonardo Vila Nova

O cinema é uma arte essencialmente visual. Porém, não recorre apenas aos olhos do espectador para se comunicar com ele. Uma profusão de códigos sensoriais são mediados para dar vida a uma obra cinematográfica. Por isso, é possível, sim, ir além da tela grande e também fazer cinema para se ouvir ou para se tocar. Seguindo esta tendência, o 24º Festival de Inverno de Garanhuns, apresenta, este ano, a inédita mostra Sonhos Acessíveis, com filmes que apresentam os recursos de audiodescrição, Libras e prototipagem 3D, promovendo acessibilidade para todos os tipos de público. Além disso, compondo a grade deste ano, a tradicional Mostra de Cinema do FIG chega à sua 10ª edição, com filmes locais, nacionais e estrangeiros. E o Cinema na Estrada levará produções cinematográficas às mais longínquas comunidades da região. Todas as atividades acontecem, gratuitamente, no período de 18 a 25 de julho.

Abrindo a programação de audiovisual no festival, está a 10ª Mostra de Cinema do FIG, que acontecerá de 18 a 24 de julho, no Cine Eldorado 2, com a exibição de 11 longas inéditos em Garanhuns. As sessões acontecerão sempre em três horários: 17h, 19h e 21h. O destaque vai para duas importantes produções pernambucanas: “Tatuagem”, de Hilton Lacerda (19/7, às 21h), e “Amor, plástico e barulho”, de Renata Pinheiro (20/7, às 21h). Após a exibição desses filmes, os diretores participarão de um debate com o público. Além dos pernambucanos, outros filmes brasileiros estão na programação, como “Getúlio” , que traz Tony Ramos no papel do ex-presidente brasileiro, e o documentário “Dominguinhos”, sobre o sanfoneiro, natural de Garanhuns. Representando o cinema estrangeiro, compõem a grade produções de vários países. Entre eles, o francês “Azul é a cor mais quente”, a produção chilena “Gloria” e o filme indiano “Lunchbox”.

A nossa meta foi de comemorar esses 10 anos da mostra resgatando as características que ela teve desde o seu início, que é de trazer filmes de alta qualidade e mostrando a diversidade da produção atual, com representantes de várias cinematografias do mundo. Além disso, trazendo as produções da atual safra de longas-metragens pernambucanos, incorporados à mostra há três anos“, diz Carla Francine, Coordenadora do Audiovisual da Secult-PE. Para o público infantil, a mostra traz o filme “Minhocas”, primeiro longa metragem brasileiro feito em animação stop-motion, e o norte-americano “As aventuras de Peabody e Sherman”. A 10ª Mostra de Cinema do FIG é uma parceria do Governo de Pernambuco, através da Secult-PE/Fundarpe, com a Fundaj e a PMC Cinemas, que mantém dois cinemas em funcionamento na cidade de Garanhuns durante todo o ano.

A grande novidade na programação de cinema deste 24º FIG é a mostra “Sonhos Acessíveis”, que acontece nos dias 23 de 24 de julho, às 11h. Serão duas mostras de animação, uma voltada para o público adulto, outra para o infantil. A ideia é utilizar a tecnologia para promover a acessibilidade de espectadores diversos ao universo do cinema.  Pessoas com deficiência visual ou auditiva, cegos, downs e autistas são o público alvo das mostras, que trazem filmes brasileiros com recursos de audiodescrição, Libras (Linguagem Brasileira dos Sinais) e prototipagem 3D, o que permite que essas pessoas compreendam o filme mesmo apresentando dificuldades de visualização, audição ou de entendimento.

Através da audiodescrição, a história do filme, assim como sua percepção em vários aspectos, são narrados através de fones de ouvido, o que possibilita àqueles com problemas visuais e cegos a compreensão exata da história, sem necessariamente ver o que se passa na tela. Já para as pessoas com autismo e Síndrome de Down a prototipagem em 3D permite que eles vivenciem uma experiência perceptiva e táctil, através dos personagens impressos, direcionando a atenção aos detalhes e facilitando o entendimento do filme. O projeto inovador foi idealizado pela produtora gaúcha Luciana Druzina. Ele permite que esses novos dispositivos ampliem as possibilidades de se vivenciar o cinema, abraçando a um público que, comumente, não teria acesso à Sétima Arte. “É importante salientar que a idealização do projeto existia como um sonho e que foi elaborado e tomou forma e força a partir da oportunidade realização junto ao edital de seleção da Fundarpe para Festival Inverno de Garanhuns.” diz Luciana.

Itinerante
Outra ação presente na programação do 24º FIG é o Cinema na Estrada, mostra itinerante que percorre várias cidades do estado desde 2011, levando filmes para locais que não possuem salas de cinema, priorizando comunidades rurais e quilombolas. A mostra conta com os realizadores como parceiros dessa inciativa, que cedem seus filmes para as ações. O objetivo é possibilitar o acesso ao cinema a populações que tradicionalmente não usufruem deste bem cultural.

Neste ano, o FIG chegará a três comunidades em dias diferentes. No dia 24, a mostra estará no Logradouro dos Leões, município de Bom Conselho. Em seguida, chega ao Distrito de Imbé, município de Capoeiras, no dia 25. Encerrando a programação, no dia 26, a mostra marca presença na comunidade quilombola de Timbó, em Garanhuns. A programação contará com seis filmes da recente safra de curta metragens pernambucanos, que somam uma hora e quarenta de projeção. As exibições seão gratuitas e abertas ao público e todos os filmes têm classificação livre.

Confira AQUI a programação completa de audiovisual no 24º FIG.

< voltar para home