Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

AUDIOVISUAL

Festival de cinema venezuelano aporta no São Luiz

Sessões são gratuitas e acontecem de domingo (13) a terça-feira (15)

Reprodução/Banner do filme

Reprodução/Banner do filme

Um dos destaques da programação é o filme “Azul y no Tan Rosa”, do afamado diretor Miguel Ferrari, que recebeu o Prêmio Goya como Melhor Filme Ibero-americano em 2014.

O Cinema São Luiz vai sediar de domingo (13) a terça-feira (15) deste mês a sexta edição do Festival de Cinema Venezuelano em Recife, evento realizado pelo Consulado Geral da República Bolivariana da Venezuela. Para este ano, a curadoria selecionou o melhor do cinema do país, em termos de sucesso de bilheteria, crítica especializada e prêmios em festivais internacionais. As sessões são gratuitas.

De acordo com a organização, a novidade deste ano é a mudança do evento para o Cinema São Luiz, que com seus novos equipamentos de áudio e projeção vai proporcionar uma  melhora na qualidade da imagem e do som.

Victor Jucá/Divulgação

Victor Jucá

Equipamentos digitais do Cinema São Luiz foram inaugurados no dia 5 de novembro de 2015

A proposta do festival é fazer com que a experiência para o público seja mais enriquecedora, mantendo a multiplicidade de temas abordados, sempre dentro do espectro do social que caracteriza o cinema latino-americano. “Como já é costume há seis anos, o Consulado da Venezuela em Recife vem organizando este festival no intuito de fortalecer o intercambio cultural por meio da cinematografia no estado de Pernambuco. Por este motivo, nesta sexta edição contamos com três filmes que foram ganhadores de prêmios e sucessos de bilheteria na Venezuela”, explica
Darwin Fuentes, do Consulado Geral da República Bolivariana da Venezuela.

'Piedra Papel o Tijera', de Hernán Jábes, também está na programação do festival

‘Piedra Papel o Tijera’, de Hernán Jábes, também está na programação do festival

Um dos destaques da programação é o filme “Azul y no Tan Rosa”, do afamado diretor Miguel Ferrari, que recebeu o Prêmio Goya como Melhor Filme Ibero-americano em 2014. Miguel Ferrari estará no Recife para prestigiar a abertura do festival, participando de outras atividades organizadas pela Missão Consular Venezuelana.

Reprodução/Banner do filme

Reprodução/Banner do filme

‘La Casa Del Fin de los Tiempos ‘, de Alejandro Hidalgo, será exibida no Cinema São Luiz na terça-feira, às 19h

Além de “Azul y no Tan Rosa”, completam a seleção de filmes venezuelanos “Piedra Papel o Tijera”, de Hernán Jabes, e “La Casa del Fin de los Tiempos”, de Alejandro Hidalgo. O Festival venezuelano é realizado com o apoio do Centro Nacional Autônomo de Cinematografia de Venezuela (CNAC) e da Fundação de Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (FUNDARPE).

Serviço
Festival de Cinema Venezuelano em Recife
Cinema São Luiz (Rua da Aurora, 175, Boa Vista, Recife-PE)
Entrada Gratuita
Mais informações: (81) 3131 8150

Programação do VI Festival de Cinema

Domingo (13/12) | 18h
Azul y no Tan Rosa (Diretor: Miguel Ferrari / Ano 2013)
Classificação etária: 16 anos
Duração: 114 min.
Sinopse: Diego é um garoto como qualquer um comum e simples, e seus amigos não têm nada de especial. Mas há algo que o faz diferente. Tem um filho… heterossexual. Um pai, um filho. Ambos terão que conviver suas diferenças. Azul y no Tan Rosa. Tudo depende de seu olhar.

Segunda-feira (14/12) | 19h
Piedra Papel o Tijera (Diretor: Hernán Jábes / Ano 2012)
Classificação etária: 16 anos
Duração: 110 min.
Sinopse: O azar de uma inocente brincadeira infantil desvelará uma traição que mudará a vida de duas famílias para sempre ao cruzar seus caminhos, deixando em perigo o que mais eles querem numa cidade que não dará descanso.

Terça-feira (15/12) | 19h
La Casa Del Fin de los Tiempos (Diretor: Alejandro Hidalgo / Ano 2013)
Classificação etária: 16 anos
Duração: 100 min.
Sinopse: Uma mãe de família que, por obra do destino, muda-se para uma casa que esteve por muitos anos abandonada. Nesse lugar envelhecido, onde vive com o marido e dois filhos, Dulce começa a ter uma série de encontros assustadores com assombrações, que lhe comunicam uma profecia: os seus descendentes morrerão em estranhas condições e num curto espaço de tempo.

< voltar para home