Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

AUDIOVISUAL

Ministério da Cultura recebe inscrições para editais de audiovisual

Novos diretores, diretores fora do eixo Rio-São paulo, negros, indígenas, mulheres e transexuais terão cotas específicas no programa #AudiovisualGeraFuturo

divulgação

divulgação

Editais do programa conta com cotas específicas para minorias

O Programa #AudiovisualGeraFuturo abriu as inscrições para oito dos seus onze editais nesta segunda-feira. São editais voltados para a produção de conteúdo independente que se e encaixa nos formatos de jogos eletrônicos, longa de animação, curtas e séries com narrativas para infância, além duas linhas de documentário, sendo elas uma sobre questões afro-brasileiras e indígenas e outra sobre infância e juventude. As inscrições se encerram entre os dias 13 e 27 de abril e podem ser feitas no sistema Mapas Culturais, no link mapas.cultura.gov.br.

A grande novidade deste ano é que os cinco primeiros editais publicados no Diário Oficial da União (longas de animação, curtas e séries com narrativas para infância e as duas linhas de documentário) tem cotas específicas para novos diretores, diretores de regiões fora do eixo Rio de Janeiro e São Paulo, negros, indígenas, mulheres e transexuais. A medida é um marco na inclusão social porque, pela primeira vez, os editais do MinC inserem travestis e transexuais dentro do conceito “mulher”.

Para participar, as produtoras só precisam ter o registro regular e estarem classificadas como produtoras independentes na Agência Nacional do Cinema (Ancine), vinculada do Ministério da Cultura e responsável pela gestão dos recursos do Fundo Setorial Audiovisual (FSA). Ao todo, o órgão vai disponibilizar R$ 37,6 milhões para a produção de 46 projetos, somente neste primeiro bloco de editais. Todos os editais exigem que sejam enviados teasers (pequenos vídeos de divulgação).

Esse valor engloba também os projetos que se dedicam às culturas afro-brasileiras e indígenas. Os trabalhos documentais com esses temas receberão R$ 500 mil, cada um, para a realização de obras inéditas com duração a partir de 52 minutos. A mesma quantia e duração serão reservadas para os documentários sobre infância e juventude.

Já as séries infantis terão R$ 8 milhões reservados para a produção de 10 obras audiovisuais de minissérie de ficção. Serão aprovados 5 projetos de 13 episódios, que receberão R$ 600 mil, e 5 projetos de 26 episódios, que receberão R$ 1 milhão. Todos os capítulos devem ser live action, de temática livre, com sete minutos cada e voltados para crianças entre 0 e 12 anos.

O programa Audiovisual Gera Futuro foi lançado no último dia 7 de fevereiro, em Brasília, e disponibilizará R$ 80 milhões para cerca de 250 projetos, voltados ao desenvolvimento, produção e difusão. Em todos os editais serão utilizados indutores para promover a inclusão e reduzir as desigualdades no setor audiovisual.

< voltar para home