Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

AUDIOVISUAL

Oficina no Recife incentiva a prática cineclubista em escolas

Professores e representantes de cineclubes são o público-alvo da atividade

Fundamentos teóricos básicos do cinema e análise fílmica são alguns dos temas a serem abordados na oficina do Programa Educação e Cinema, que acontece nos próximos dias 24 e 25 de agosto, no Recife. A ação é mais um fruto da parceria entre Secretaria de Cultura do Estado/Fundarpe e o Consulado da França no Recife para o Nordeste, e conta ainda com o apoio do Porto Digital/Portomídia, Secretaria de Educação de Pernambuco, Federação Pernambucana de Cineclubes e Aliança Francesa de Recife.

Divulgação

Divulgação

O ator e cineasta francês Karim Bensalah vai ministrar a oficina

Durante os dois dias de atividades, o cineasta e ator francês Karim Bensalah vai repassar conteúdos adquiridos ao longo de uma década trabalhando com programas de “educação à imagem”, levantando questões como o aprendizado das técnicas de bases de criação de um filme, a reapropriação do espaço político através do cinema, o trabalho de equipe como ferramenta pedagógica, inclusive para a formação de um senso de cidadania.

O programa vai disponibilizar 9 filmes franceses a serem exibidos nas escolas e nos cineclubes do estado, além de fichas pedagógicas elaboradas pelo Centro Nacional do Cinema Francês. Mais detalhes sobre o Programa, que chega pela primeira vez ao Brasil e acontece em 7 cidades do país, podem ser obtidos AQUI.

As vagas são limitadas e, para participar, interessados devem entrar em contato com a organização, por meio do telefone (81) 3117.3290.

SERVIÇO
Programa Educação e Cinema no Recife – 24 e 25 de agosto
Auditório do Portomídia / 9h-12h30 – 14h-17h30
Público-alvo: professores do ensino fundamental e médio, cineclubes.
Não é necessário o domínio do idioma francês.

Dia 24: Fundamentos teóricos básicos do cinema, análise fílmica, apresentação dos conteúdos audiovisuais e pedagógicos do programa de apoio ao desenvolvimento de cineclubes em escola.

Dia 25: Mini-ateliê prático de realização de uma cena.

KARIM BENSALAH

O diretor, roteirista e ator Karim Bensalah nasceu em Alger de um pai argelino e de uma mãe brasileira. Após viver no Haiti e no Senegal, chega à Paris com 18 de idade para estudar literatura, filosofia e ciências sociais, enquanto segue a sua atividade teatral.

Ele integra depois a London Film School, onde realiza Constant Flow, selecionado em numerosos festivais do mundo.

De volta em Paris, trabalha como diretor, roteirista e ator. Seu primeiro curta-metragem, Le secret de Fatima, é selecionado e premiado em diversos festivais (Clermont-Ferrand…) e exibido no canal francês Arte. Logo, ele realiza Racine(s), sequência do longa Paris la Métisse, antes de unir-se ao Coletivo Tribudom que trabalha com adolescentes dos bairros populares de Paris. Com eles, Karim realiza vários curtas, entre os quais o mais recente Chantier(s).

Karim desenvolve em paralelo uma carreira de ator e participa da criação de instalações artísticas. O seu último curta-metragem, Les heures blanches, é a sua primeira colaboração com o roteirista quebequense Sébastien Baril. O filme, exibido no canal francês France 2 foi selecionado e premiado em numerosos festivais.

Karim está desenvolvendo atualmente dois longa-metragens, entre os quais L’Olivier rouge, que recebeu várias bolsas de incentivo para roteiro (CNC, Beaumarchais, etc.) e foi selecionado no Sundance Director’s Lab, e La vie des morts, desenvolvido no ateliê Meditalents, que recebeu a bolsa de incentivo para roteiro do Festival de Amiens, França, e a ajuda para desenvolvimento do CNC.

Em paralelo às suas criações, Karim trabalha há mais de 10 anos em programas de « Education à l’Image ». Esta experiência lhe permiteu desenvolver uma prática pessoal focada em três temáticas principais : o aprendizado das técnicas de bases de criação de um filme, a reapropiação do espaço político através do cinema, o trabalho de equipe como ferramenta pedagógica, inclusive para a formação de um senso de cidadania.

Em parceria com estruturas regionais (ACAP- Pôle régional Image), institucionais, coletivos (Tribudom), associações (Ciclic, La Maison du Film Court, Citoyenneté Jeunesse), Karim trabalhou tanto em cidades grandes, como em zonas rurais e zonas chamadas ZEP (Zone d’Education Prioritaire), o que lhe permitiu adquirir um conhecimento dos diferentes territórios e, assim de propor diferentes tipos de ateliês.

< voltar para home