Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Carnaval 2019

CEPE lança três novos livros no Paço do Frevo

O lançamento dos títulos "Carnaval do Recife", "José Michiles: Recife, manhã de sol" e "Arranjando Frevo-canção" acontece neste sábado (23), às 15h.

Jan Ribeiro

Jan Ribeiro

O compositor de frevos Jota Michiles é biografado pelo jornalista Carlos Eduardo Amaral.

A história do Carnaval do Recife, seus personagens e o frevo são temas de três títulos importante lançados pela Companhia Editora de Pernambuco (Cepe) neste sábado (23), às 15h, no Paço do Frevo. São eles: “Carnaval do Recife”, do historiador Leonardo Dantas Silva; o perfil biográfico “José Michiles: Recife, manhã de sol”, do jornalista e pesquisador Carlos Eduardo Amaral; e “Arranjando Frevo-canção”, do maestro Marcos FM.

Durante o lançamento, a Orquestra do Maestro Formiga tocará os acordes do que há de melhor no Carnaval pernambucano. O clima vai esquentar quando o compositor Jota Michiles se reunir à turma do maestro para cantar um dos seus sucessos, acompanhado da orquestra.

Inclusive é sobre a vida e obra de Jota Michiles que o jornalista e pesquisador Carlos Eduardo Amaral se debruçou para escrever o 4º perfil biográfico da coleção Frevo, memória viva, selo da Cepe Editora, que será lançado neste mesmo dia. A marcha de bloco Recife, manhã de sol, composta pelo carnavalesco, dá título ao livro.

A canção tornou-se um marco na vida do artista e na história do próprio frevo-canção. Foi com ela que o músico, na época com apenas 23 anos, ganhou o concurso promovido pela Secretaria de Educação da Prefeitura do Recife, em 1966, que ficou memorável pelas circunstâncias.

Até então desconhecido, Jota Michiles desbancou 19 outros finalistas, entre eles nomes como Capiba (com A canção do Recife, em parceria com Ariano Suassuna), Nelson Ferreira, Sebastião Lopes e outras sumidades. Ganhou um vultoso prêmio e uma gravação em compacto pela Rozenblit.

Em Carnaval do Recife, o historiador pernambucano Leonardo Dantas Silva convida o leitor a um mergulho profundo no emaranhado de confete, serpentina, purpurina, mela-mela, fantasia, frevo, maracatu e multidão de rua. O pesquisador exibe as entranhas carnavalescas da capital pernambucana.

Trata-se de uma segunda edição – a primeira é de 2000. Revisada e, segundo o autor, “muito ampliada, como dizia Gilberto Freyre”, revela as mudanças da folia recifense de 1553 até 2018, em 428 páginas – o dobro da primeira edição.

O terceiro título Arranjando frevo-canção preenche uma lacuna histórica, sinalizando caminhos para os interessados em aprender a escrever para orquestras de frevo. É uma contribuição importante para quem compõe e faz música.

No prefácio assinado pelo Mestre, Doutor em Música e professor do Conservatório Pernambucano de Música Climério de Oliveira Santos, ele destaca a importância da iniciativa: “Desde que o frevo é frevo, ninguém se atrevera a publicar um livro sobre arranjo e orquestração dessa música – incrível realidade! Com o método Arranjando frevo de rua (Cepe, 2017), o baixista, maestro e compositor Marcos FM já tinha lançado a pedra fundamental de uma nova fase do frevo. É o marco da etapa em que os adidos dessa intrépida cultura musical começam a se sentir aliviados do receio de que o frevo pudesse desaparecer por não terem às mãos escritos da sua sistematização”, afirma no texto.

SERVIÇO
Lançamento dos livros: José Michiles: Recife, manhã de sol, de Carlos Eduardo Amaral; Carnaval do Recife, de Leonardo Dantas Silva; Arranjando Frevo-cancão, do maestro Marcos FM
Quando: Neste sábado, às 15h
Onde: Paço do Frevo (Rua da Guia s/n, Bairro do Recife)
Entrada Gratuita

< voltar para home