Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Cultura popular e artesanato

Conheça mais sobre a cultura pernambucana nos equipamentos do Estado

Ações de cultura e lazer estão espalhadas do Museu do Barro, em Caruaru, até a Torre Malakoff, no Bairro do Recife

Val Lima

Uma boa mostra do que é a cultura pernambucana, além de uma série de atividades de lazer, serão encontradas nos equipamentos do Estado neste final de semana, de sexta (16) a domingo (18). A novidade é que alguns espaços culturais, a exemplo do Teatro Arraial Ariano Suassuna e do Museu do Estado de Pernambuco, se preparam para receber novas atividades na próxima semana. Confira a programação completa:

Torre Malakoff com exposições e história do Recife Velho

Costa Neto/Fundarpe

Costa Neto/Fundarpe

‘Sobre Papel’ é uma das mostras em exibição na Torre Malakoff

Construído no século XIX com materiais provenientes da demolição do Forte do Bom Jesus, para servir como observatório astronômico e portão monumental do Arsenal da Marinha, o equipamento cultural mais antigo do Bairro do Recife é uma boa pedida para se divertir no final de semana. Além da própria estrutura, que por si só já rende um bom passeio, a Torre Malakoff segue com três mostras gratuitas em cartaz: Gráfica Lenta, Sobre Papel e Luta, Proteção, Vida.

Gráfica Lenta é um trabalho do artista Maurício Castro, que preza por uma criação sem tanta pressa e que tem o lema ‘A prensa é inimiga da perfeição’. Sobre Papel é um trabalho montado com um acervo doado pelo Banco Itaú à Secretaria de Cultura do Estado, que apresenta ao visitante algumas técnicas de impressão em papel que estão sendo deixadas de lado no mundo contemporâneo.

Por fim, Luta, Proteção, Vida é um apanhado do trabalho realizado pelo projeto homônimo e vai ocupar o equipamento cultural com símbolos do cotidiano de três comunidades tradicionais do Estado: Povo Xukuru de Ororubá, em Pesqueira; o Acampamento Margarida Alves, no município de Moreno e o Quilombo Timbó, localizado em Garanhuns.

Torre Malakoff
Praça do Arsenal, s/n, Bairro do Recife – Recife – PE
Visitação: Terça a sexta | 10h às 18h; Sábados e domingos | 15h às 18h;
Gratuito
(81) 3184 3185

Teatro Arraial Ariano Suassuna se prepara para o JGE

Alcides Ferraz/Divulgaçãp

Alcides Ferraz/Divulgaçãp

Espetáculo ‘Sexo, a arte de ser censurado’ é uma das peças que Augusta Ferraz irá encenar no Teatro Arraial Ariano Suassuna

Rebatizado no final do ano passado, o agora Teatro Arraial Ariano Suassuna, localizado na Rua da Aurora, é um dos espaços culturais que integra a programação do 21º Janeiro de Grandes Espetáculos (JGE). Durante o festival, o equipamento será palco da mostra Augusta Ferraz – 40 Anos de Resistência, nesta segunda (19) e terça (20), além dos dias 31 de janeiro e 1º de fevereiro. No local, quatro espetáculos (Stupro, MEDEAponto, Sexo, a Arte de Ser Censurado, e Guiomar, a Filha da Mãe) vão pincelar um pouco das quatro décadas de carreira da atriz pernambucana, a homenageada desta edição do JGE.

Todas as apresentações a serem encenadas no Teatro Arraial Ariano Suassuna, sempre às 19h, são do Grupo Pharkas Serthanejaz e contam com a participação de Augusta Ferraz. Confira a programação completa.

Teatro Arraial Ariano Suassuna
Rua da Aurora, 457, Boa Vista, Recife-PE
Programação no 21º Janeiro de Grandes Espetáculos
19, 20, 31 de janeiro e 1º de fevereiro | 19h
Ingressos variam entre R$ 20 (inteira), R$ 10 (meia) e R$ 5 (promocional)

Acervo próprio, exposições e muita música no Museu do Estado

Manuela Galindo

No palacete do século XIX, onde viveu o filho do Barão de Beberibe, funciona desde 1929 o Museu do Estado de Pernambuco (MEPE). Atualmente o acervo do MEPE possui mais de 14 mil itens, agregando importantes coleções que se distribuem nas seguintes categorias: Arqueologia, Cultura Indígena, Presença Holandesa em Pernambuco, Arte Sacra, Cultura Afro-brasileira, Ex-votos, Iconografia, Mobiliário, Porcelana, Cristais e Pintura com telas de artistas como Cícero Dias, Telles Júnior, Francisco Brennand e Burle Max. Além do Palacete, conta com o Espaço Cícero Dias e uma casa onde são realizados cursos e oficinas de arte.

Conhecido como Palacete Estácio Coimbra, o espaço foi reinaugurado recentemente pelo MEPE e irá retratar como era um casario pernambucano durante o século XIX. Por meio de textos, fotografias e mobiliário de época, os visitantes poderão entender a história do casarão. Ao todo, sete núcleos conceituais em 12 ambientes compõem o palacete, que foi remodelado com o intuito de mostrar como funcionava uma residência urbana da aristocrática há duzentos séculos.

No que diz respeito à programação musical, o Museu do Estado preparou para o verão 2015 uma programação especial para o projeto Ouvindo e Fazendo Música no MEPE.  Neste próximo sábado (17),o museu será palco de uma apresentação de Toninho Ferragutti, um dos principais instrumentistas brasileiros da atualidade. Músico, compositor e arranjador, Toninho Ferragutti possui uma extensa participação em shows e em CDs de artistas importantes no Brasil e no exterior. 

Além disso, na próxima quarta-feira (21), às 19h, o MEPE inaugura a exposição Artesanato do Japão – Tradições e Técnicas. Com acervo da Japan Foundation, a mostra itinerante ficará no Museu do Estado de 22 de janeiro a 8 de fevereiro. A série apresenta um recorte do artesanato feito no Japão, através de utensílios do cotidiano produzidos com materiais como o bambu, entre outros, e conta também com palestras e workshops sobre o tema.

Museu do Estado de Pernambuco (MEPE)
Av. Rui Barbosa, 960, Graças, Recife – PE
Visitação: Terça a sexta | 9h às 17h; Sábado e domingo | 14h às 17h
R$ 5 (inteira) e R$ 2,50 (meia)
(81) 3184 3170

Exposições e cultura popular no MUBAC

Fundarpe

Um dos museus mais visitados de Pernambuco, o Museu do Barro de Caruaru (MUBAC) está instalado num prédio moderno, localizado ao lado do Pátio de Eventos Luiz Gonzaga, onde todos os anos concentram-se as comemorações do São João do município.

O MUBAC destaca em suas coleções os principais polos de cerâmica popular da região, enfatizando sua preservação e promoção. O museu está situado no Espaço Zé Caboclo, assim batizado em homenagem a um dos mais conhecidos artesãos do Alto do Moura, povoado famoso por sua forte cultura de raiz e localizado a seis quilômetros do centro de Caruaru.

Seu acervo é composto por cerca de 2.300 peças, entre cerâmica utilitária, decorativa, figurativa e ex-votos. O espaço expositivo do museu está composto pelas seguintes salas: Ceramistas do Alto do Moura, Mestre Vitalino e sua família, Coleção Abelardo Rodrigues e Pinacoteca Luiza Maciel, que expõe telas de artistas de Caruaru retratando a cidade e suas tradições. Além disso, o museu conta com uma sala para exposições de curta duração e ações educativas.

Além disso, o espaço sedia uma exposição de autoria do artista plástico pernambucano Joaz Silva, intitulada Linguagem do Agreste. A mostra, que conta com o apoio da Fundarpe, apresenta 20 quadros inéditos do estilo impressionista e tem o objetivo de retratar o cotidiano e os costumes do povo caruaruense.

Museu do Barro de Caruaru (MUBAC)
Praça Cel. José de Vasconcelos, 100, Centro – Caruaru – PE
Visitação: Terça a sábado | 8h às 17h; Domingo | 9h às 13h
R$ 2 (inteira) e R$ 1 (meia)
(81) 3701 1533

Artesanato, capoeira e maracatu na Casa da Cultura

Casa da Cultura

Localizada às margens do Rio Capibaribe, a Casa da Cultura Luiz Gonzaga é um dos maiores polos de comercialização de artesanato do Recife e um dos cartões postais do estado. O imponente prédio onde está instalada foi construído para abrigar a antiga Casa de Detenção do Recife, que permaneceu por mais de um século como a mais importante penitenciária de Pernambuco.

A Casa da Cultura abriga dois painéis do pintor pernambucano Cícero Dias, que representam a Revoluções Pernambucanas de 1817 e 1824. Além do Teatro Clênio Wanderley, do Palco Nelson Ferreira e mais de 110 lojas de arte e artesanato, a Casa é endereço da sede de movimentos, associações e sindicatos como o Movimento Negro Unificado, Anistiados Políticos, Sindicato de Artesãos da Região Metropolitana do Recife e de Pernambuco e o Núcleo de Design do SEBRAE.

No que diz respeito a programação cultural do espaço, a Casa da Cultura recebe novamente neste sábado (17) mais um ensaio do Maracatu Várzea do Capibaribe, às 15h, no Palco Nelson Ferreira (hall central). No mesmo dia, o Mestre Pirulito ministrará uma oficina sobre a história e características do maracatu, uma das manifestações populares mais conhecidas em Pernambuco. Além disso, na sexta-feira (16), às 18h, tem roda de capoeira com o Mestre do Vale, assim como em todas as terças, quintas e sextas-feiras. As duas atividades são abertas ao público.

Casa da Cultura
Cais da Detenção, s/n, Santo Antônio, Recife – PE
Roda de capoeira com Mestre do Vale
Terças, quintas e sextas-feiras | 18h
Ensaio do Maracatu Várzea do Capibaribe
Sábado (10) | 15h
Gratuito
(81) 3184 3151

Estação Central Capiba a todo vapor

Costa Neto

Costa Neto

Fachada da Estação Central Capiba, um dos equipamentos mais visitados no último mês

Com uma média de visitação de 800 pessoas por dia, a Estação Central Capiba, no Bairro de São José, tornou-se o novo xodó dos recifenses. O mais novo equipamento cultural do Governo do Estado abriga o requalificado Museu do Trem, que é considerado o primeiro do Brasil e o segundo do gênero da América Latina. Tendo Gilberto Freyre como patrono, o Museu do Trem foi inaugurado em 25 de outubro 1972 e desativado em outubro de 1983.

O espaço conta com a exposição Chegada e Partida – A Memória do Trem em Pernambuco, com curadoria do museólogo Aluízio Câmara, que reúne mais de 500 peças sobre a memória ferroviária pernambucana, como cadeiras, bilheterias, carimbadores, sinalizadores, apitos, relógios, além de fotografias, cartazes, textos e diversos outros aparelhos relacionados no contexto do trem. Ao todo, mais de R$ 2,5 milhões foram investidos nas reformas, requalificações e compra de equipamentos da Estação Central Capiba/Museu do Trem.

Estação Central Capiba/ Museu do Trem
Rua Floriano Peixoto, s/n, São José (Centro do Recife)
Visitação: Terça a sexta, das 9h às 17h. Sábados e domingos, das 10h às 17h
Telefone para agendamento: (81) 3184 3097

História de Olinda e arte contemporânea no MAC

Fundarpe

Quem for ao Sítio Histórico de Olinda neste final de semana pode aproveitar e ir conhecer o Museu de Arte Contemporânea de Pernambuco (MAC). Localizado no sítio histórico de Olinda, o MAC foi inaugurado no dia 23 de dezembro de 1966, com a doação de parte da Coleção do Embaixador Assis Chateaubriand ao Estado. Hoje o museu conta com um acervo de mais de 4 mil obras das mais variadas técnicas, épocas e estilos, indo desde o academicismo francês até a contemporaneidade.

O Museu de Arte Contemporânea está instalado em um prédio tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), por ter sido a antiga Casa de Câmara e Cadeia Pública do Município de Olinda. O prédio, datado de 1765, foi projetado para ser o Aljube da Diocese, sendo durante todo o período da Inquisição a única prisão eclesiástica que se tem notícia na história do Brasil.

Museu de Arte Contemporânea (MAC)
Rua 13 de maio, 149, Varadouro – Olinda – PE
Visitação: Terça a sexta | 9h às 17h; Sábado e domingo | 14h às 17h
Gratuito
(81) 3184 3153

Exposições sobre a arte sacra de Pernambuco

Fundarpe

Fundarpe

O MASPE fica instalado na antiga Casa da Câmara, fundada por Duarte Coelho em 1537

O acervo fixo do Museu de Arte Sacra de Pernambuco (MASPE), que começou a ser construído a partir de mais uma centena de peças cedidas pela Arquidiocese de Olinda e Recife, reúne objetos de culto como santos populares e de procissão, relicários, custódias e pinturas religiosas. Um dos destaques deste acervo é a coleção de imagens antigas eruditas, policromadas e douradas, datadas do século XVI. Na sua fachada, é possível ver o antigo brasão episcopal e uma placa da Unesco, de 14 de dezembro de 1982, que declara Olinda Monumento Cultural da Humanidade.

Museu de Arte Sacra (MASPE)
Rua Bispo Coutinho, 726, Alto da Sé – Olinda – PE
Visitação: Terça a sexta | 10h às 16h; Sábados e domingos | 10h às 14h
R$ 2 (inteira) e R$ 1 (meia)
(81) 3184 3154

Costumes do século XVIII no MUREO

Val Lima

O prédio do Museu Regional de Olinda abriga uma casa museu, um solar em estilo colonial construído entre 1745 e 1749. Originalmente abrigou a residência episcopal. Foi criado em virtude da comemoração do 4° centenário da chegada de Duarte Coelho à Capitania de Pernambuco, sendo inaugurado em 1935.

O MUREO propicia ao observador uma visão de uma casa pernambucana do século passado. Seu acervo é composto por mobiliários, pinturas, louças, pratarias e peças de grande valor histórico para a vida social, religiosa e política da cidade. Ainda, possui um conjunto raro de peças de arte sacra do século XVII e XVIII em terra-cota e madeira.

Museu Regional de Olinda (MUREO)
Rua do Amparo, 128, Amparo, Olinda – PE
Visitação: Terça a sexta | 9h às 17h; Sábados e domingos | 14h às 17h
Gratuito
(81) 3184 3159

< voltar para home