Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Cultura popular e artesanato

Literatura se une ao barro durante a II Festa Literária do Alto do Moura

Programação acontece neste sábado (1º) e domingo (2) com a presença de vários artesãos e artesãs, entre eles os homenageados Severino Vitalino, João Ezequiel (Dão) e Dona Terezinha Gonzaga

8742533539_82b80d86cc_k

A programação no Alto do Moura terá a participação de artesãos e artistas plásticos da região, além de estudantes das escolas públicas e privadas de Caruaru, professores e convidados ligados a outras bibliotecas comunitárias

Por Marcus Iglesias

A literatura vai se somar à cultura do barro no Alto do Moura neste final de semana com a realização da II Festa Literária do Alto do Moura – Do barro a lama: Existência e Resistência (FLAL), uma ação da Biblioteca Comunitária do Alto do Moura. Estão previstas diversas atividades dentro da programação oficial, que acontece neste sábado (1º) e domingo (2) em diversos pontos do tradicional bairro caruaruense e com a presença de vários artesãos e artesãs, entre eles os homenageados Severino Vitalino, João Ezequiel (Dão) e Dona Terezinha Gonzaga. A Menção Honrosa deste ano vai para Cleonice Otília (Nicinha) e o artista plástico Buca.

A FLAL tem como foco central o estabelecimento de um intercâmbio entre o Alto do Moura e o Recife, através da abertura de espaços para manifestações culturais, artísticas e literárias desses dois polos. A programação busca atrair estudantes das escolas públicas e privadas de Caruaru, bem como professores, moradores e convidados ligados a outras bibliotecas comunitárias.

39746441_2184706251803263_1647132379061420032_n

Uma das que receberá a Menção Honrosa da FLAL, a artesã Nicinha produziu uma peça que serviu de logomarca para a segunda edição da festa

“Além, de ser uma parceria com o Centro de Estudos em Educação e Linguagem da UFPE, que faz parte do Centro de Educação da UFPE, da qual faço parte, e do Centro Acadêmico do Agreste, da Universidade Federal Campus Caruaru (CAA-UFPE), o evento conta com a parceria da Fundação de Cultura e Turismo de Caruaru e da Secretaria Municipal de Educação”, destaca a professora Emília Lins, uma das coordenadoras da Biblioteca Comunitária do Alto do Moura.

As atividades do festival literário tiveram início na na semana passada com uma agenda prévia que contou com um cortejo poético pelas ruas do Alto do Moura para divulgar a programação desse final de semana, além de levar crianças da Escola Municipal Mestre Vitalino para um passeio no Recife.

São várias as atividades previstas nos dois dias da programação oficial. No sábado (1º), por exemplo, a partir das 14h, a Praça do Artesão vai receber uma contação de história feita por Gabriela Kopinits (Caruaru), seguida por uma conversa com o escritor Walter Moreira (Vencedor do 1º e 4º Prêmio Pernambuco de Literatura) e com atores do Teatro Experimental de Arte (TEA), Patrimônio Vivo de Pernambuco.

“Vamos oferecer nesse final de semana várias oficinas e uma que teremos é a Modelando barro, que é voltada pra quem nunca mexeu com isso. Ela começa às 15h do sábado (1º), no Espaço Flor do Barro, que é um local gerido apenas por mulheres artesãs. A participação é aerta ao público em geral e qualquer pessoa de qualquer idade pode participar”, destaca Emília Lins. “Contaremos com o apoio dos monitores que são estudantes do Curso de Pedagogia do CAA e do CE e da Pós-graduação em Educação da UFPE nos espaços das oficinas para orientar e encaminhar os visitantes nas atividades.”

“Teremos também a peça teatral O Poeta Negro, que foi selecionada pra estar no Festival de Inverno de Garanhuns este ano, que é encenada por um ator de Caruru, o Rosbergg Alexsander, da Trupe Veja Bem Meu Bem”. A censura para este espetáculo é de 18 anos.

39872687_2184481381825750_3838581343822807040_n

Além das exposições, saraus, filmes e apresentações culturais, vários debates e rodas de diálogo sobre literatura estão na programação

Outro destaque, segundo a coordenadora da Biblioteca Comunitária, é a exibição do filme O silencio da noite é que tem sido testemunha das minha amarguras, de Petrônio Lorena, que terá uma sessão especial no Cineclube do Alto do Moura, com a presença do diretor. Na tarde do sábado (1º), será realizada uma apresentação do grupo Bezerra da Silva, do Nascedouro de Peixinhos, que vai puxar uma ciranda e um cortejo com o Boizinho Menino pelo Alto do Moura.

“Uma atividade bem importante é o rolezinho Lambe Day, com o fotógrafo Luiz Santos, porque ele cria uma experiencia com a comunidade através do contato com a fotografia como forma de arte. Começa no sábado (1º), em frente à Biblioteca Comunitária”, ressala Emília Lins.

39935703_2187938634813358_8442931815806664704_n

No sábado (1º), a partir das 14h, a Praça do Artesão vai receber uma contação de história feita por Gabriela Kopinits (Caruaru)

Biblioteca Comunitária do Alto do Moura - Segundo a coordenadora, a biblioteca serviu de mola propulssora para puxar as festas literárias na região, “porque a gente tem a compreensão de que o espaço não é apenas um depositório de livros, mas sim um local dentro da comunidade que promova atividades artísticas. Foi a partir desse princípio que nasceu no ano passado tanto a bilioteca quanto a festa literária”, explica ela.

A professora reforça que o espaço físico ainda não está do jeito que foi planejado. “Estamos com um espaço provisório que é a Associação dos Artesãos e Moradores do Alto do Moura. Eles emprestaram um prédio pra gente. E temos também o apoio também da Escola Municipal Mestre Vitalino. Existe um projeto arquiiotetônico voltado para a construção da biblioteca defintiva, que foi doado pra gente, mas ainda precisamos dos parceiros para tirá-lo do papel”.

39521744_2182716052002283_8632933777342988288_n

Fundadora do Espaço Atelier, Dona Terezinha Gonzaga é autora da peça Liberdade, que nasceu de um sonho e deu origem à fundação da Biblioteca Comunitária do Alto do Moura

O espaço já tem o apoio maciço dos artesãos, que estão fazendo uma conexão entre a arte do barro e a literatura. “Alguns dão mais enfase às peças utilitárias. Mas com o surgimento da biblioteca e da contação de história, pedimos que eles desenvolvessem peças e doassem pra gente realizar uma expoisição permanente e reverter a verda da venda dessas peças para a manutenção do projeto. E essa mostra estará novamente na programação da FLAL”.

“É bonito de ver, porque muitos desses artistas não tiveram acesso à escola e alfabetização, mas querem instigar as novas gerações a se interessarem pela literatura do jeito que pode. Dona Tezinha Gonzaga mesmo fez uma peça linda, que teve a partir de um sonho ‘sem pé nem cabeça’, como ela mesma me contou”, brinca Emília Lins.

Fundadora do Espaço Atelier, Dona Terezinha Gonzaga tem uma história antiga com o Alto do Moura. Sua trajetória como artesã vem, assim como muitos da região, de família e de muito tempo atrás. Em detalhes, ela fala como foi esse sonho, que deu origem a uma explosão literária na sua comunidade.

“Essa biblioteca nasceu, inclusive, desse sonho, que era eu fazendo uma peça e a dando de presente pra Emilia. A peça era uma pessoa com a cabeça no lugar do livro e o livro no lugar da cabeça. Depois que a presenteei com essa obra, fiz questão que ela ficasse exposta na Praça dos Artesãos, que é um, local que tem uma história com o Alto do Moura. Um dia ele já foi um posto de saúde, depois um posto telefônico e depois um policial, pra então ficar por muito tempo desativado. E hoje ele abriga a nossa biblioteca, que tem transformado a vida de muita gente”, comemora Dona Terezinha Gonzaga.

“Quando eu era criança, nossa biblioteca eram as pessoas mais velhas na rua que contavam as histórias do passado para os jovens. Hoje, isso mudou. As crianças ficam com os celulares e não escutam as histórias dos mais velhos. Essa biblioteca vai tirar a criança do celular e da rua e envolvê-las, como já tem acontecido. E isso tudo nasceu de um sonho”, relembra com alegria a artesã.

Outra artesão do Alto do Moura, uma das que receberá a Menção Honrosa da festa, a artesã Nicinha (que posui o espaço Nicinha Artesanato), reforça que as mudanças já estão sendo vistas no Alto do Moura, “e elas começaram a partir das crianças, que estão bastante envolvidas com a iniciativa. Ideias e mais ideias estão surgindo. A chegada desse espaço e da FLAL ajudou, também, na criatividade dos artesãos. Agora mesmo estou de frente a uma peça que fiz e que surgiu em homenagem à biblioteca, se chama Liberdade. E vai ser bem interessante porque ela fará parte de uma exposição coletiva, na qual cada artesão e artesã fez sua peça em cima do tema da literatura”. A referida peça se chama Pé de Livro, e serviu para ser a logo da segunda edição da FLAL.

Confira a programação da 2ª Festa Literária do Alto do Moura (FLAL)
Do barro a lama: Existência e resistência
1º e 2 de setembro de 2018

Homenageados da 2ª Festa Literária do Alto do Moura (FLAL)
Terezinha Gonzaga (artesã)
Severino Vitalino (artesão)
João Ezequiel da Silva – Dão (artesão)

Menção Honrosa:
Cleonice Otília da Silva (Nicinha – artesã)
Antônio Lucio da Silva Leite – Buca (artista plástico)

Sexta-feira (31/08)
Local: Clube da Associação dos Artesãos e Artesãs em Barro e Moradores do Alto do Moura (ABMAM)
Horário: 19h
Show beneficente para a Construção da Biblioteca Comunitária do Alto do Moura e Confraternização da Comissão Organizadora da 2ª FLAL
Artistas confirmados: Riá Oliveira, Drico Correia, Pablo Patriota e Daniel Finizola
Contribuição: R$ 10

Sábado (1º\09)
Local: Palco Principal na Praça do Artesão
10h – Abertura oficial da 2ª FLAL
Apresentação Cultural – Adriana Sales\CEPE (Caruaru)

Local: Biblioteca Comunitária do Alto do Moura
14h- Rolezinho Lambe Day – Luiz Santos (Recife)

Local: Praça do Artesão – Palco Principal
14h – Contação de história – Gabriela Kopinits (Caruaru)
15h –Conversa com o escritor Walter Moreira (Vencedor do 1º e 4º Prêmio Pernambuco de Literatura) e com atores do Teatro Experimental de Arte – TEA – Caruaru (Patrimônio Vivo de Pernambuco) com mediação de Adriel Rodrigues do Nascimento – CEPA (Caruaru)

Local: Espaço Flor do Barro
15h – Oficina Modelando barro – Artesãs da Flor do Barro (Alto do Moura)

Local: Clube da ABMAM
14h – Pintura Gestacional de Barrigas em Gestantes – Jucimere Silva – Doula, Educadora Perinatal e Promotora em aleitamento materno (Alto do Moura)

Oficina 1
15h – Sussurros poéticos – Grupo RELEITURA (Recife)

Oficina 2
15h – Praticando Ciência – Renata Vasconcelos-ASCES-UNITA (Caruaru)

Oficina 3
15h – Vamos brincar com a palavra e imagem – Fernando Azevedo (CAA-UFPE)

16h – Roda de diálogo sobre Leitura e Interpretação da Imagem na Educação Infantil – Fernando Azevedo (CAA- UFPE) e mediação de Conceição Gislane (CAA- UFPE)

17h – Exibição do documentário Arte é para todos (35min) – Darllan Rocha (Coordenador do Projeto Inventário do ofício dos artesãos e artesãs do barro do Alto do Moura)

Local:    ABMAM
16h – Apresentação do Coral Cantando a Vida SPM (Caruaru)
16h30 – Roda de diálogo sobre Mulheres, Visibilidade e Literatura – Perpétua Dantas e Joana Figueirêdo da Secretaria de Políticas para Mulheres de Caruaru

Local: Casa di Lúcio
Espaço 1: Garagem
15h – Bate papo sobre o projeto De Carta em Carta com as crianças e professoras da Escola Municipal Mestre Vitalino (Alto do Moura) – com Juliana Albuquerque – RELEITURA, Reginaldo Pereira – BCCT, Fátima Dutra (Mestranda PPGE-UFPE), Betânia Andrade (Biblioteca Popular do Coque), Ester Calland (CEEL-UFPE) e Emília Lins (Biblioteca Comunitária do Alto do Moura e CEEL-UFPE)
16h- Roda de diálogo Compartilhando leituras, formando-se leitor – Fagna Nazaré e Lúcia Cavalcanti – Professoras de Bibliotecas – Secretaria de Educação de Caruaru

Local: Casa di Lúcio
Espaço 2: Área coberta
15h – Roda de conversa sobre Leitura nas escolas públicas da cidade de São Paulo – Prof. Estevão Armada – UNIFESP e SMESP (São Paulo)
16h – Palestra sobre Literatura e Quadrilha Junina – Prof. Clecio Buzen – CEEL\UFPE (Recife)
17h- Lançamento do livro Casou-se no Papel – Bate papo com o autor sobre Um olhar sobre olhar para invisibilizados – Luiz Santos (Recife) com mediação de Carminha Bandeira (CEEL- UFPE)

Local: Clube da ABMAM
18h – Exibição do Filme: O silêncio da noite é que tem sido testemunha das minhas amarguras. Diretor: Petrônio Lorena. (FUNDARPE)

Local: Praça do Artesão – Palco Principal
19h30 – Roda de Ciranda com a Família Bezerra de Peixinhos – Biblioteca Nascedouro de Peixinhos (Olinda)

Casa di Lúcio
Espaço 3: Jardim
20h30 – Poeta Preto – Trupe Veja Bem Meu Bem (Caruaru) – Censura: 18 anos
21h – Debate com o escritor Marcelino Freire (Recife) e mediação de Thiago Medeiros (Letras em Barro\Caruaru)
21h30 – Recital Poético (Valéria Saboia, Nay Harrison, Joana Figueiredo, Ranuzia Neta, Thiago Medeiros, David Biriguy, Iris Marcolino) e Musical com o Saxofonista Luciano Emerson

Domingo (2\09)
Local: ABMAM
8h30- Cortejo com o Boizinho Menino do Nascedouro (Peixinhos\Olinda)

Local: Praça do Artesão – Palco Principal
9h- Contação de História – Grupo Cia Agora Eu Era (Recife)

Local: Casa di Lúcio
Espaço 1: Garagem

Oficina 1
10h – Tapete de Histórias – Grupo RELEITURA (Recife)

Local: Casa di Lúcio
Espaço 2: Área coberta

Oficina 2
10h- Pintura com Nankin – Arte Educadora Polliana Fonseca (Recife)

Oficina 3
10h- Gravuras com Cordel – Arte Educador Clecio Ernane (CE\UFPE)

Local: Praça do Artesão
Oficina 4
11h – Fotografia Digital – Drico Correia\Caruaru

Oficina 5
11h – Zine publique você mesmo – Sam Auerbach\Caruaru

Oficina 6
11h – Pintando Mandalas – Dany WR\Caruaru

Local: Solar das Abelhas
10h – Vídeo documentário Sem abelhas, sem alimentos e conversa com as arte-educadoras com coordenação de Lula do Mel (Alto do Moura)

Local: Espaço Cultural Valéria Saboia
10h – Roda de Conversa com Adriana Gomes (Caruaru) autora do livro Piabinha Prodígio

Local: Praça do Artesão – Palco Principal
14h – Contação de História com o Grupo Cia Agora Eu Era (Recife).
15h – Ateliê Cidade – Artistas Plásticos da Associação dos Artistas Plásticos de Caruaru (AAPC)
15h – Roda de conversa sobre Meios Alternativos de Edição com escritores e editores independentes Fred Caju – Castanha Mecânica, David Biriguy – Lara Cartonera e Marcelo Barbosa – Candeeiro Cartonera

Local: Casa di Lucio
Espaço 1: Garagem
14h – Lançamento dos livros A brincadeira unindo gerações e Uma viagem brincante Pro Ludus O Caminho- Gravatá

Local: Casa di Lucio
Espaço 2: Área coberta
14h – Roda de conversa com professores sobre Leitura Literária como Projeto da Escola – Ana Dourado (Recife)
15h – Bate papo sobre Biblioteca, literatura e resistência – Cícera Maria (Coordenação de Bibliotecas Escolares – SEDUC) e Edima Morais (Biblioteca Pública Municipal Aleixo Leite)

Espaço 3: Jardim
16h- Lançamento do conto “Meu ser-tão agreste” – Íris Marcolino (Alto do Moura/Caruaru)

Local: Praça do Artesão – Palco Principal
16h30- Apresentação Cultural

Visitação Permanente (1e 2/09), das 9h às 17h)
Local: Casa di Lúcio
Exposição de Imagens da 1ª FLAL Modelando Leituras e das Ações da Biblioteca Comunitária do Alto do Moura – Daniela Ferreira (CE-UFPE) e Jaqueline Barbosa (CAA- UFPE)

Local: Coreto da Rua São Sebastião
Feira de livros – Espaço para produtores independentes, escritores e editoras públicas Expositores: CEPE, Lara Cartonera com David Biriguy, Candeeiro Cartonera com Marcelo Barbosa, Castanha Mecânica com Fred Caju

Local: Calçada da Rua São Sebastião
Exposição Aberta – obras dos artesãos do Alto do Moura
Artesãos\Artesãs participantes:
Zé Galego; Maria de Zé Galego; Nicinha Otília; Nerice; Tereza; Ivonete; Aliene; Terezinha Gonzaga; Gilliard Gonzaga; Socorro Vitalino; Severino Vitalino; Ivanise; Margarida; Antônio Lucio da Silva Leite – Buca

< voltar para home