Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Cultura popular e artesanato

Oficina de Teatro Antropológico chega a terreiro no Recife

Moradores de Dois Unidos podem participara da vivência, que acontece neste sábado (30)

O grupo O Poste Soluções Luminosas ministra neste sábado, 30/4, a Oficina de Teatro Antropológico no terreiro Ilê Obá Aganju Okoloyá, Terreiro de mãe Amara (Dois Unidos, Recife).

A Oficina é gratuita e esta dentro do projeto de pesquisa “O Corpo Ancestral Dentro da Cena Contemporânea”. O terreiro de mãe Amara é parceiro do grupo teatral nessa pesquisa. Interessados que moram na vizinhança também podem se inscrever, pois a oficina é para a comunidade do terreiro e demais interessados em mergulhar na matriz africana e ancestral do teatro antropológico. Informações pelo email: oposte@gmail.com

arte/divulgação

arte/divulgação

Moradores do bairro também podem participar da vivência

O Corpo Ancestral Dentro da Cena Contemporânea consiste na sistematização do primeiro projeto de pesquisa do grupo O Poste Soluções Luminosas, onde a busca pela descoberta de uma ancestralidade teatral levou à investigação do teatro através do ritual da matriz africana. E é essa investigação que norteia as ações de pesquisa do grupo, composto por Agrinez Melo, Naná Sodré e Samuel Santos.

SOBRE O PROJETO – O Grupo O Poste caracteriza-se pela Investigação teatral, e tem em seus estudos iniciais, teóricos como o diretor polonês Jerzy Grotowski, que direcionou sua pesquisa com artistas ligados á tradição de ritos sagrados. Além de Eugenio Barba, na sua antropologia teatral, onde destaca a importância da anatomia para o ator e sua construção e reconstrução corporal á partir da observação cultural e ritualística, entre outros.

Com a pesquisa, O Poste Soluções Luminosas cria meios de aprofundar os estudos e vivenciar de forma pratica os rituais de matriz africana, e examinar os vetores de energias dos orixás no corpo e como a ativação dessa energia pode ser levada para a cena teatral, onde o sagrado seja preservado e a essência venha à cena. Com esta ação, será ampliada a averiguação da ancestralidade corporal e vocal pelo viés artístico teatral, onde o corpo norteará as ações, traçando paralelo entre as incorporações dos orixás no terreiro de Candomblé, e o corpo e a voz dos atores através das ações físicas.

O trabalho visa não só o aprimoramento de suas técnicas, mas também uma parceria com terreiros de Mariz africana onde estabelece a troca de conhecimentos. Como principal parceiro da pesquisa, temos o terreiro Ilê Obá Aganju Okoloyá (terreiro de mãe Amara) e ao longo do projeto, outros importantes terreiros serão incluídos nos estudos e se tornarão parceiros.

< voltar para home