Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Cultura popular e artesanato

“Panela de Barro, Cultura no Prato” chega ao Museu do Trem nesta terça-feira (3/12)

Exposição com mais de 200 peças assinadas por mestras loiceiras pernambucanas contará também com vivências gastronômicas e de produção com argila

PH Reinaux / Seculte PE – Fundarpe

PH Reinaux / Seculte PE – Fundarpe

Todas as peças expostas estão à venda, com preços que variam entre R$ 5 e R$ 200.

O artesanato e a gastronomia ocuparão o mesmo espaço entre 3 e 6 de dezembro, no Museu do Trem, equipamento cultural gerenciado pela Secult-PE/Fundarpe. Nesse período, a exposição “Panela de Barro, Cultura no Prato” vai apresentar centenas de peças produzidas por mestras loiceiras pernambucanas, todas postas à venda com preços entre R$ 5 e R$ 250. Dona Deta, a mais antiga loiceira de Caruaru, participa da mostra. Além disso, mestras cozinheiras quilombolas vão preparar pratos nos utensílios produzidos pelas artesãs, com degustação na abertura da mostra, nesta terça-feira, às 9h. A entrada é gratuita.

A vivência gastronômica marcada para a abertura da exposição terá o tema “Sabores do Quilombo”. Será conduzida pelas mestras cozinheiras Elaine Lima e Cícera Maria, que apresentarão ao público receitas que tradicionais do Quilombo Barro Branco, localizado no município de Belo Jardim, no Agreste pernambucano. No mesmo dia, haverá vivência com argila, com o tema “O Barro Modelando Vidas”. Conduzem a atividade as mestras loiceiras Cida Lima, Neguinha, Joselina, Luíza dos Tatus e Adelma Silma. As artesãs de Belo Jardim e Salgueiro (Sertão). A programação de abertura acaba com a roda de conversa “Fogões de Barro”, com a mestra Adelma Silva.

Esta é a segunda edição do “Panela de Barro, Cultura no Prato”. A primeira exposição ocorreu no Festival de Inverno de Graanhuns, no ano passado. Na ocasião, foi possível realizar o mapeamento das loiceiras, artesãs que produzem panelas e artefatos de cozinha com barro. “Essa intervenção trabalha o cntato de duas linguagens: artesanato, com quem produz as peças, e gastronomia, com quem produz os sabores”, afirmou Ana Claudia Frazão, assessora de Gastronomia da Secult-PE e organiza a exposição ao lado de Breno Nascimento, assessor de Artesanato. Flávia Lira, do Departamento de Design da UFPE, participa da curadoria das peças. “A exposição ajuda a expressar o conhecimento que é produzido e transmitido através do barro”, afirma Breno.

As peças estarão à venda desde o primeiro dia, com valores para todos os bolsos. Desde pequenas panelas que mais parecem brinquedos, por R$ 5, até fornos de barro por R$ 200. Quem adquirir uma das peças só poderá retirar o objeto após o encerramento da exposição.

Serviço
“Panela de Barro, Cultura no Prato”
Estação Central Capiba – Museu do Trem
Endereço: Rua Floriano Peixoto s/n, São José – Recife
Visitação: Terça a sexta-feira, das 9h às 17h | Sábado, das 10h às 17h | Domingo, das 10h às 14h (fechamento dos portões meia-hora antes do encerramento)
Telefone: (81) 3184.3197 // 3184-3198
Entrada Gratuita

< voltar para home