Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Economia Criativa

Fundarpe apresenta estudo inédito sobre atuação do Funcultura em Pernambuco

Apresentação da análise do comportamento do Funcultura foi apresentado durante o I Seminário do Funcultura.

O Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura chega aos seus quinze anos de existência consagrado como a mais importante política de fomento às artes no estado. Este ano, serão cerca de R$ 32 milhões investidos em 4 editais: Geral, Audiovisual, Música e Microprojetos. Uma conquista que também é fruto de uma interlocução contínua do Governo de Pernambuco – por meio da Secretaria de Cultura e da Fundarpe – com os mais diversos segmentos da cultura, representados comissões setoriais, deliberativa, além dos conselhos de cultura que, a partir de 2016, passaram a ter um papel mais relevante no direcionamento das políticas culturais de Pernambuco. Toda essa importância do Funcultura merecia um estudo detalhado da capilaridade de sua atuação.

A análise dos dados do Funcultura dos últimos quatro anos foi possível a partir do acumulado das discussões do Grupo de Trabalho (GT) para modernização e aprimoramento do Funcultura, criado no âmbito do Conselho Estadual de Política Cultural. Os indicadores que resultaram desse estudo são um auxílio tanto para a produção cultural do estado quanto para a gestão pública, pois serve como base para o desenvolvimento e aprimoramento das políticas de cultura. Os indicadores e as análises foram apresentados ao público no I Seminário do Funcultura, que aconteceu nos dias 8 e 9 de junho, no Erem do Porto Digital, no Bairro do Recife.

Os dados apresentados correspondem a todos os 10 editais do Funcultura no período entre 2015 e 2018, a saber: Geral 2014-2015, Audiovisual 2014-2015, Geral 2015-2016, Audiovisual 2015- 2016, Geral 2016-2017, Audiovisual 2016-2017, Música 2016-2017, Geral 2017-2018, Audiovisual 2017-2018 e Música 2017-2018.

É possível fazer recortes de informações por ano, por edital, por Região de Desenvolvimento (RD) e por área cultural. Também é possível associar os recortes e fazer todos os cruzamentos possíveis de projetos inscritos e aprovados do Funcultura entre linguagens e regiões do estado.

O documento aponta que as diferenças regionais de aprovação de projetos ainda precisam de avanços. No entanto, atesta que o fundo pernambucano apresenta grande capilaridade em todo território estadual. O Cadastro de Produtor Cultural (CPC), por exemplo, registra inscrições de produtores oriundos de 147 municípios (cerca de 80% do total) e de todas as Regiões de Desenvolvimento (RDs). O dado indica a legitimidade e o alcance da política, bem como o seu potencial de interiorização.

“A divulgação desses dados é de grande importância não apenas para nós que nos debruçamos diariamente sobre o desenvolvimento da política de Cultura de Pernambuco, mas também para quem está realizando a produção cultural e, a partir dessas análises, tem condições de visualizar onde o Funcultura está chegando, quais segmentos da cultura estão mais presentes em determinadas regiões, ou, pelo contrário, quais lugares ainda carecem de determinados projetos e assim poder desenvolver com mais eficiência os seus projetos”, coloca o secretário de cultura Gilberto Freyre Neto.

“Esse estudo nos permite uma avaliação mais justa dos editais, sobretudo do resultado dos esforços que o Governo tem feito para desconcentrar os editais, fazendo com que cada vez mais produtores culturais de fora da Região Metropolitana tenham mais acesso. Logo na primeira figura desse estudo podemos visualizar essa desconcentração, com a redução de 84% para 66% de projetos aprovados na RMR”, diz Marcelo Canuto, presidente da Fundarpe.

O link abaixo* leva a um painel de indicadores interativos onde o usuário poderá escolher os critérios para as análises do seu interesse.

https://datastudio.google.com/open/15XtE8ObNTUN04E-xScwQI929NXOxlVpl

*Recomenda-se acessar o link por meio dos navegadores Google Chrome ou Mozilla Firefox.

< voltar para home