Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Espaços culturais

Equipamentos do Estado contam com várias atrações culturais neste final de semana

Torre Malakoff, São Luiz, Teatro Arraial Ariano Suassuna e Museu do Estado são alguns dos espaços com programação especial

Costa Neto/SecultPE

Costa Neto/SecultPE

Exposição ‘Trajetória Sustentável’ está instalada na Torre Malakoff, no Bairro do Recife

Exposições, filmes, música e espetáculos teatrais. Durante este final de semana vai ter todo tipo de atração cultural nos equipamentos do Estado. Na Torre Malakoff, por exemplo, o público vai poder conferir a exposição Trajetória Sustentável, do artista plástico André Soares, toda feita com material reciclado. Além disso, há programação de filmes e peças no Cinema São Luiz e Teatro Arraial Ariano Suassuna, respectivamente, e Ouvindo e Fazendo Música no Museu do Estado. O público pode também aproveitar e ir conhecer os outros museus de Pernambuco. Confira a programação:

Torre Malakoff aberta para visitação

Para comemorar os 478 anos do Recife e 480 de Olinda, a Torre Malakoff inaugurou na última quinta-feira (12) uma exposição com peças inéditas do artista plástico pernambucano André Soares, intitulada Trajetória Sustentável. A mostra, que ocupa seis ambientes do equipamento cultural, apresenta trabalhos inéditos do artista feitos com materiais recicláveis e sucata. A entrada é aberta ao público.

De acordo com André Soares, a exposição pincela um pouco do atual momento vivido pelo artista. “Apesar de ser tudo feito com material reciclado, como o painel de sete metros que compõe a mostra, são várias as temáticas que percorrem a mostra. Além disso, várias peças que estarão expostas nunca foram vistas antes pelo público”, explica ele.

Torre Malakoff
Praça do Arsenal, s/n, Bairro do Recife – Recife – PE
Trajetória Sustentável do artista André Soares Monteiro
Visitação: Terça a sexta | 10h às 18h; Sábados e domingos | 15h às 18h;
Gratuito
(81) 3184 3185

Reprodução

Reprodução

‘Amor, Plástico e Barulho’ segue em cartaz no São Luiz

‘Amor, Plástico e Barulho’ e outros filmes no São Luiz

O Cinema São Luiz vai repetir nesta semana a programação de filmes que está atualmente em cartaz, entre eles a animação infantil Os Pinguins de Madagascar, dos diretores Simon J. Smith e Eric Arnell. Além disso, seguem em cartaz os longas O Grande Hotel Budapeste, de Wes Anderson, Relatos Selvagens, de Damián Szifron, e Amor, Plástico e Barulho, de Renata Pinheiro. Os ingressos para o São Luiz custam R$ 4 (inteira) e R$ 2 (meia).

Cinema São Luiz
Rua da Aurora, 175, Boa Vista
Programação de filmes
R$ 4 (inteira) e R$ 2 (meia entrada)
Mais informações: (81) 3184-3157

“Os Pinguins de Madagascar”
(The Penguins of Madagascar, EUA, 2014, 92min.)
Gênero: Animação
Diretor: Simon J. Smith, Eric Darnell
Classificação etária: Livre
Sábado (14) |13h45
Domingo (15) | 10h e 13h45

“O Grande Hotel Budapeste”
(Grand Budapest Hotel, 2014, EUA, 100 min.)
Gênero: Comédia/Drama/Policial
Diretor: Wes Anderson
Classificação etária: 14 anos
Quinta (12), sexta (13), sábado (14), domingo (15), terça (17) e quarta (18) | 15h30

“Relatos Selvagens”
(Relatos salvajes, Argentina e Espanha, 2014, 122min.)
Gênero: Drama/Suspense/Comédia
Diretor: Damián Szifron
Classificação etária: 14 anos
Quinta (12), sexta (13), sábado (14), domingo (15), terça (16) e quarta (18) | 17h30

“Amor, Plástico e Barulho”
(Brasil, 2013, 90min)
Gênero: Drama
Diretor: Renata Pinheiro
Classificação etária: 14 anos
Quinta (12), sexta (13), sábado (14), domingo (15), terça (17) e quarta (18) | 19h50

Costa Neto/FUNDARPE

Espetáculos no Arraial Ariano Suassuna

O teatro do Governo do Estado também segue com uma temporada de espetáculos, com as peças h(EU)stória – o tempo em transe e Assim me contaram, Assim vou contando. A Gota Serena assina a produção das duas montagens, que terão as últimas sessões no Teatro Arraial Ariano Suassuna neste final de semana.

Premiado como melhor espetáculo e melhor trilha sonora no 20º festival Janeiro de Grandes Espetáculos, h(EU)stória – o tempo em transe revela relação do cineasta Glauber Rocha com Pernambuco, através de cartas escritas para o poeta e educador Jomard Muniz de Britto e o ex-governador do Estado, Miguel Arraes.

No infantil Assim me contaram, Assim vou contando, o ator Márcio Fecher encarna o papel do palhaço Severino da Gota Serena. Personagem principal do espetáculo, Severino é uma figura ambulante, mambembe, destes contadores de histórias que encontramos pelas praças ou no palco dos teatros.

Teatro Arraial Ariano Suassuna
Rua da Aurora, 457, Boa Vista – Recife/PE
h(EU)stória – o tempo em transe
13 e 14 de março | 20h
Assim me contaram, Assim vou contando
14 e 15 de março | 16h
R$ 15 (meia) e R$ 30 (inteira)
Mais informações: (81) 3355 3320 | 8493 1650

Reprodução/Internet

Reprodução/Internet

Grupo de choro formado por mulheres apresenta repertório que relata, com muito humor, a emancipação feminina através dos tempos

Música e história no Museu do Estado

Neste mês de março o projeto Ouvindo e Fazendo Música no Museu do Estado, realizado no Museu do Estado de Pernambuco (MEPE), terá uma programação dedicada às mulheres. Neste sábado (14), às 17h, o MEPE será palco de uma apresentação do grupo de choro Dedo de Moça.

Dedo de Moça é formado por Ana Claudia (cavaquinho, integrante do grupo Choronas), Ana Elisa Colomar (flautas e sax, integrante do Mawaca), Cíntia Zanco (violinista, integrante da Jazz Sinfônica) e Rosana Bergamasco (violão de 7 cordas, integrante do Grupo Trio que Chora). Na ocasião, o grupo apresenta o show Elas são tantas, com músicas que relatam, com muito humor, a emancipação feminina através dos tempos. São canções de Ataulfo Alves, Chico Buarque, Rita Lee, Riachão, além de composições próprias.

Além do show musical, o público que for ao MEPE pode conhecer o acervo do museu, com mais de 14 mil itens, agregando importantes coleções que se distribuem nas seguintes categorias: Arqueologia, Cultura Indígena, Presença Holandesa em Pernambuco, Arte Sacra, Cultura Afro-brasileira, Ex-votos, Iconografia, Mobiliário, Porcelana, Cristais e Pintura com telas de artistas como Cícero Dias, Telles Júnior, Francisco Brennand e Burle Max.

Museu do Estado de Pernambuco (MEPE)
Av. Rui Barbosa, 960, Graças, Recife – PE
Ouvindo e Fazendo Música no MEPE, com o grupo Dedo de Moça
Sábado (14) | 17h
Visitação: Terça a sexta | 9h às 17h; Sábado e domingo | 14h às 17h
R$ 5 (inteira), R$ 2,50 (meia)
(81) 3184 3170

Mark Williams/Divulgação

Mark Williams/Divulgação

Maracatu Várzea do Capibaribe

Casa da Cultura popular pernambucana

Localizada às margens do Rio Capibaribe, a Casa da Cultura Luiz Gonzaga é um dos maiores polos de comercialização de artesanato do Recife e um dos cartões postais do estado. Neste sábado (14) o equipamento recebe mais um ensaio do Maracatu Várzea do Capibaribe, às 15h, no Palco Nelson Ferreira (hall central). No mesmo dia, o Mestre Pirulito ministrará uma oficina sobre a história e características do maracatu, uma das manifestações populares mais conhecidas em Pernambuco.

Casa da Cultura
Cais da Detenção, s/n, Santo Antônio, Recife – PE
Ensaio do Maracatu Várzea do Capibaribe
Sábado (14) | 15h
Gratuito
(81) 3184 3151

Costa Neto

Estação Central Capiba (da Saudade)

A Estação Central Capiba foi inaugurada no final de 2014 e é o mais novo equipamento cultural do Governo do Estado. O local abriga o requalificado Museu do Trem, que é considerado o primeiro do Brasil e o segundo do gênero da América Latina. Tendo Gilberto Freyre como patrono, o Museu do Trem foi inaugurado em 25 de outubro 1972 e desativado em outubro de 1983. Atualmente, conta com a exposição Chegada e Partida – A Memória do Trem em Pernambuco.

Com curadoria do museólogo Aluízio Câmara, a exposição reconstrói parte da memória ferroviária de Pernambuco, o que inclui inovações tecnológicas, com ênfase na Revolução Industrial, a qual trouxe mudanças significativas nas relações econômicas, sociais, culturais, entre outras. A exposição também aborda todo o imaginário que envolve as ferrovias, como a relação tempo/espaço, passado/presente, os sons que envolvem essas mudanças no cotidiano das cidades, como o apito do trem, os sinos da estação, e toda uma visão poética que remete aos trens.

Estação Central Capiba/ Museu do Trem
Rua Floriano Peixoto, s/n, São José (Centro do Recife)
Visitação: Terça a sexta | 9h às 17h; Sábados e domingos | 10h às 17h
Gratuito
Mais informações e agendamento: (81) 3184 3097

Val Lima

Costumes do século XVIII no MUREO

O prédio do Museu Regional de Olinda (MUREO) abriga uma casa museu, um solar em estilo colonial construído entre 1745 e 1749. Originalmente abrigou a residência episcopal. Foi criado em virtude da comemoração do 4° centenário da chegada de Duarte Coelho à Capitania de Pernambuco, sendo inaugurado em 1935.

O MUREO propicia ao observador uma visão de uma casa pernambucana do século passado. Seu acervo é composto por mobiliários, pinturas, louças, pratarias e peças de grande valor histórico para a vida social, religiosa e política da cidade. Ainda, possui um conjunto raro de peças de arte sacra do século XVII e XVIII em terra-cota e madeira.

Museu Regional de Olinda (MUREO)
Rua do Amparo, 128, Amparo, Olinda – PE
Visitação: Terça a sexta | 9h às 17h; Sábados e domingos | 14h às 17h
Gratuito
(81) 3184 3159

Val Lima/Secult-PE

Exposições sobre a arte sacra de Pernambuco

O acervo fixo do Museu de Arte Sacra de Pernambuco (MASPE), que começou a ser construído a partir de mais uma centena de peças cedidas pela Arquidiocese de Olinda e Recife, reúne objetos de culto como santos populares e de procissão, relicários, custódias e pinturas religiosas. Um dos destaques deste acervo é a coleção de imagens antigas eruditas, policromadas e douradas, datadas do século XVI. Na sua fachada, é possível ver o antigo brasão episcopal e uma placa da Unesco, de 14 de dezembro de 1982, que declara Olinda Monumento Cultural da Humanidade.

Museu de Arte Sacra (MASPE)
Rua Bispo Coutinho, 726, Alto da Sé – Olinda – PE
Visitação: Terça a sexta | 10h às 16h; Sábados e domingos | 10h às 14h
R$ 2 (inteira) e R$ 1 (meia)
(81) 3184 3154

Fundarpe

Arte com o barro em destaque no MUBAC

O Museu do Barro de Caruaru (MUBAC), um dos museus mais visitados de Pernambuco, conta com um acervo formado por cerca de 2.300 peças, entre cerâmica utilitária, decorativa, figurativa e ex-votos. O espaço expositivo do museu está composto pelas seguintes salas: Ceramistas do Alto do Moura, Mestre Vitalino e sua família, Coleção Abelardo Rodrigues e Pinacoteca Luiza Maciel, que expõe telas de artistas de Caruaru retratando a cidade e suas tradições.

Museu do Barro de Caruaru (MUBAC)
Praça Cel. José de Vasconcelos, 100, Centro – Caruaru – PE
Visitação: Terça a sábado | 8h às 17h; Domingo | 9h às 13h
R$ 2 (inteira) e R$ 1 (meia)
(81) 3701 1533

Fundarpe

História de Olinda e arte contemporânea no MAC

Quem for ao Sítio Histórico de Olinda neste final de semana pode aproveitar e ir conhecer o Museu de Arte Contemporânea de Pernambuco (MAC). Localizado no sítio histórico de Olinda, o MAC foi inaugurado no dia 23 de dezembro de 1966, com a doação de parte da Coleção do Embaixador Assis Chateaubriand ao Estado. Hoje o museu conta com um acervo de mais de quatro mil obras das mais variadas técnicas, épocas e estilos, indo desde o academicismo francês até a contemporaneidade.

O Museu de Arte Contemporânea está instalado em um prédio tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), por ter sido a antiga Casa de Câmara e Cadeia Pública do Município de Olinda. O prédio, datado de 1765, foi projetado para ser o Aljube da Diocese, sendo durante todo o período da Inquisição a única prisão eclesiástica que se tem notícia na história do Brasil.

Museu de Arte Contemporânea (MAC)
Rua 13 de maio, 149, Varadouro – Olinda – PE
Visitação: Terça a sexta | 9h às 17h; Sábado e domingo | 14h às 17h
Gratuito
(81) 3184 3153

< voltar para home