Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Espaços culturais

Espetáculo “In-di-ví-duo” volta ao palco do Teatro Arraial neste sábado (20)

A montagem será apresentada às 20h. Os ingressos custam R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada)

Divulgação

Divulgação

A peça é a primeira montagem da trilogia “O atuador primitivo no Teatro Político”

Depois da estreia no último fim de semana, o palco do Teatro Arraial Ariano Suassuna será ocupado novamente neste sábado (20), a partir das 20h, pelo espetáculo In-di-ví-duo. A montagem, que é a primeira produção da trilogia O atuador primitivo no Teatro Político, da Trupe Artemanha (SP), foi montada no Recife e, inspirada livremente no poema Appfelböck (Bertolt Brecht), conta a história de um país sem nome que passa por um momento de crise e, consequentemente, acaba por revelar o cotidiano de um jornalista chamado In-di-ví-duo, possuidor de outros nomes. “Esse cidadão guarda diversos segredos comprometedores. Mesmo perdido em seu universo fantástico e em sua ideologia, resolve fazer sua própria revolução, ‘a revolução de um idiota’, revelando o seu grande ato final”, adiantou o diretor da peça, Luciano Santiago, sobre o enredo.

“O que o público poderá conferir no palco é parte do processo de investigação da nossa linha de estudo, voltada para os códigos corpóreos e experimentos de biomecânica e do bufão, que se dá a partir das pesquisas e procedimentos de treinamentos específicos da companhia”, contou Santiago. De acordo com ele, que assina a dramaturgia e encenação de In-di-ví-duo, a peça marcará a estreia da Trupe Artemanha na capital pernambucana e os 20 anos de existência do grupo. “Estamos comemorando 20 anos de palco e nada mais justo do que celebrar em cena, principalmente nesta cidade que nos acolheu desde novembro do ano passado”, disse o diretor.

Apesar de aparentemente densa, a trama da montagem se constrói com base em dois elementos que o fazem singular e atrativo: a inserção da atmosfera fantástica não linear em uma trama de cunho político-dialético (proporcionando ao público interpretações plurais acerca dos princípios ideológicos que serão apresentados) e a construção desta através de um teatro gestual.

“Temos uma proposta de movimentação dos atores em cena, que tem como princípio o gesto e os recursos minimalistas, como do “exagero” cômico de algumas figuras do espetáculo. Assim como o investimento nos diversos ambientes criados pela luz, abrindo mão de um aparato cenográfico, além de proporcionar ao espectador momentos de reflexões devido ao texto rico em detalhes e em segredos que vão sendo revelados pouco à pouco, exigindo uma atenção redobrada para acompanhar os fatos narrados”, ressalta Santiago.

Sobre a Trupe Artemanha
A Trupe Artemanha foi fundada em 1996, em Taboão da Serra (SP), onde trabalhou por oito anos e realizou importante processo de formação de público com alguns de seus principais espetáculos: Palhaços (1999), Boombástico (2000) e Soltando o Verbo (2001). A partir de 2005, o grupo expandiu seus trabalhos para a zona sul da cidade de São Paulo, sediando-se em Campo Limpo, e atuando também nos bairros de Capão Redondo, Vila Andrade e Paraisópolis, que juntos, compreendem aproximadamente 700 mil habitantes.

No bairro Campo Limpo, o Artemanha desenvolveu seu processo de pesquisa teatral, apresentou espetáculos, ofereceu oficinas e criou o FESTCAL SP (Festival Internacional de Teatro de Campo Limpo), promovendo apresentações de grupos de teatro de diferentes cantos da cidade de São Paulo, do interior do estado e de outras cidades do país, com uma programação totalmente gratuita e diversificada.

O Grupo contribuiu consideravelmente para o cotidiano cultural da região, criando e desenvolvendo ações e projetos artísticos: FESTCAL SP (2006); Artemanha Recebe (2008); Artemanhas nas Praças (2009); Ocupação de um espaço público que estava há 16 meses abandonado, hoje conhecido como Espaço Cultural Cita (desde 07 de maio de 2011); uma escola experimental: Escola Popular de Teatro CITA (2011); movimento Revirada Cultural da Resistência, criado também no ano de ocupação do espaço, com objetivo de defender a permanência do Grupo e de outros coletivos no local.

Desde janeiro de 2013 alguns dos integrantes, fundadores da companhia, realizam intercâmbio em diferentes cidades do Nordeste, com a primeira passagem pela cidade do Crato, Cariri Cearense, depois pela cidade de João Pessoa por quase dois anos. Nesse período, a companhia idealizou e organizou com produtores locais a exitosa Mostra Internacional de Teatro Paraíba Encena e o Seminário Internacional de Artes Cênicas-PB; criou o experimento de rua Errantes (estreia julho/2015); promoveu encontros e treinamentos para fortalecer o processo de montagem do texto Palhaços, de Timochenco Wehbi, espetáculo que fez parte do repertório do grupo em 1999; e ofereceu “Vivência Movimento de Energia Corpórea” para atrizes, bailarinas e musicistas. A partir de 2016, a companhia manterá residência fixa na cidade do Recife.

Serviço
Esperáculo In-di-ví-duo
Quando: sábado (20), às 20h
Onde: Teatro Arraial Ariano Suassuna (Rua da Aurora, 457, Boa Vista, Recife)
Quanto: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada)
Classificação Etária: 18 anos

< voltar para home