Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Espaços culturais

Férias de janeiro contam com diversão garantida nos equipamentos do Estado

Exposições diversas e atividades da cultura popular são opções para quem quiser um lazer no final de semana

Val Lima

Durante as férias de janeiro quem quiser pode aproveitar o tempo livre para se divertir e conhecer mais sobre a cultura pernambucana nos equipamentos culturais do Estado. Uma prévia dessa programação pode ser vista nas várias exposições que estão espalhadas nos espaços, tais como o Museu de Arte Contemporânea (MAC), em Olinda, a Torre Malakoff, no Bairro do Recife, e o Museu do Barro de Caruaru, Agreste de Pernambuco. Já os amantes da cultura popular podem reservar o sábado (10) para ir à Casa da Cultura, Bairro de São José, onde haverá roda de capoeira e ensaio do Maracatu Várzea do Capibaribe. Vale salientar que a partir do dia 15 de janeiro o Cinema São Luiz volta à atividade com uma série de filmes em cartaz. Confira a programação:

MEPE se despede de mostra de Aloísio e Solange Magalhães

O Museu do Estado de Pernambuco sedia até o próximo sábado (10) a mostra Um Encontro Uma Vida, montada através de uma doação da própria Solange Magalhães, viúva de Aloísio e curadora da mostra. Ao todo, 30 trabalhos dela e 30 trabalhos do artista plástico pernambucano compõem o acervo. Dentre as peças de Aloízio Magalhães, o público encontrará litogravuras a óleo, cartogramas e uma série de gravuras chamada Olinda, entre outras. Já Solange apresenta quadros em acrílico e pinturas sobre papel.

Val Lima

Além disso, o MEPE inaugurou recentemente o Palacete Estácio Coimbra, espaço que irá retratar como era um casario pernambucano durante o século XIX. Por meio de textos, fotografias e mobiliário de época, os visitantes poderão entender a história do casarão. Ao todo, sete núcleos conceituais em 12 ambientes compõem o palacete, que foi remodelado com o intuito de mostrar como funcionava uma residência urbana da aristocrática há duzentos séculos.

Museu do Estado de Pernambuco (MEPE)
Av. Rui Barbosa, 960, Graças, Recife – PE
Visitação: Terça a sexta | 9h às 17h; Sábado e domingo | 14h às 17h
R$ 5 (inteira) e R$ 2,50 (meia)
(81) 3184 3170

Exposições continuam na Torre Malakoff

Maumau/Divulgação

Construído no século XIX (com materiais provenientes da demolição do Forte do Bom Jesus) para servir como observatório astronômico e portão monumental do Arsenal da Marinha, o equipamento cultural mais antigo do Bairro do Recife segue com três mostras gratuitas em cartaz: Gráfica Lenta, Sobre Papel e Luta, Proteção, Vida.

Gráfica Lenta é um trabalho do artista Maurício Castro, que preza por uma criação sem tanta pressa e que tem o lema ‘A prensa é inimiga da perfeição’. Já Sobre Papel é um trabalho montado com um acervo doado pelo Banco Itaú à Secretaria de Cultura do Estado, que apresenta ao visitante algumas técnicas de impressão em papel que estão sendo deixadas de lado no mundo contemporâneo.

Por fim, Luta, Proteção, Vida é um apanhado do trabalho realizado pelo projeto homônimo e vai ocupar o equipamento cultural com símbolos do cotidiano de três comunidades tradicionais do Estado: Povo Xukuru de Ororubá, em Pesqueira; o Acampamento Margarida Alves, no município de Moreno e o Quilombo Timbó, localizado em Garanhuns.

Torre Malakoff
Praça do Arsenal, s/n, Bairro do Recife – Recife – PE
Visitação: Terça a sexta | 10h às 18h; Sábados e domingos | 15h às 18h;
Gratuito
(81) 3184 3185

Cotidiano dos caruaruenses exposto em telas no MUBAC

Divulgação

Divulgação

Através de pinturas, Joaz Silva retrata cotidiano dos moradores de Caruaru

Um dos museus mais visitados de Pernambuco, o Museu do Barro de Caruaru está instalado num prédio moderno, localizado ao lado do Pátio de Eventos Luiz Gonzaga, onde todos os anos concentram-se as comemorações do São João do município. O espaço sedia uma exposição de autoria do artista plástico pernambucano Joaz Silva, intitulada Linguagem do Agreste. A mostra, que conta com o apoio da Fundarpe, apresenta 20 quadros inéditos do estilo impressionista e tem o objetivo de retratar o cotidiano e os costumes do povo caruaruense.

O MUBAC destaca também em suas coleções os principais polos de cerâmica popular da região, enfatizando sua preservação e promoção. Além disso, o MUBAC destaca em suas coleções os principais polos de cerâmica popular da região, enfatizando sua preservação e promoção. O acervo do museu é composto por cerca de 2.300 peças, entre cerâmica utilitária, decorativa, figurativa e ex-votos.

Museu do Barro de Caruaru (MUBAC)
Praça Cel. José de Vasconcelos, 100, Centro – Caruaru – PE
Visitação: Terça a sábado | 8h às 17h; Domingo | 9h às 13h
R$ 2 (inteira) e R$ 1 (meia)
(81) 3701 1533

Capoeira e maracatu na Casa da Cultura

Eric Gomes

A Casa da Cultura recebe novamente neste sábado (10) um ensaio do Maracatu Várzea do Capibaribe, às 15h, no Palco Nelson Ferreira (hall central). No mesmo dia, o Mestre Pirulito ministrará uma oficina sobre a história e características do maracatu, uma das manifestações populares mais conhecidas em Pernambuco. Além disso, na sexta-feira (9), às 18h, tem roda de capoeira com o Mestre do Vale, assim como em todas as terças, quintas e sextas-feiras. As duas atividades são abertas ao público.

Casa da Cultura
Cais da Detenção, s/n, Santo Antônio, Recife – PE
Roda de capoeira com Mestre do Vale
Terças, quintas e sextas-feiras | 18h
Ensaio do Maracatu Várzea do Capibaribe
Sábado (10) | 15h
Gratuito
(81) 3184 3151

Estação Central Capiba a todo vapor

Costa Neto/FUNDARPE

Com uma média de visitação de 800 pessoas por dia, a Estação Central Capiba, no Bairro de São José, tornou-se o novo xodó dos recifenses. O mais novo equipamento cultural do Governo do Estado abriga o requalificado Museu do Trem, que é considerado o primeiro do Brasil e o segundo do gênero da América Latina. Tendo Gilberto Freyre como patrono, o Museu do Trem foi inaugurado em 25 de outubro 1972 e desativado em outubro de 1983.

O espaço conta com a exposição Chegada e Partida – A Memória do Trem em Pernambuco, com curadoria do museólogo Aluízio Câmara. Mais de R$ 2,5 milhões foram investidos nas reformas, requalificações e compra de equipamentos da Estação Central Capiba/Museu do Trem.

Estação Central Capiba/ Museu do Trem
Rua Floriano Peixoto, s/n, São José (Centro do Recife)
Visitação: Terça a sexta, das 9h às 17h. Sábados e domingos, das 10h às 17h
Telefone para agendamento: (81) 3184 3097

Museu de Arte Contemporânea expõe acervo próprio

Val Lima

Quem for ao Sítio Histórico de Olinda neste final de semana pode aproveitar e ir conhecer o Museu de Arte Contemporânea de Pernambuco (MAC-PE), inaugurado no dia 23 de dezembro de 1966, com a doação de parte da Coleção do Embaixador Assis Chateaubriand ao Estado.

Hoje o museu conta com um acervo de mais de quatro mil obras das mais variadas técnicas, épocas e estilos, indo desde o academicismo francês até a contemporaneidade, e reúne peças de grandes nomes como Portinari, Cícero Dias, Eliseu Visconti, Djanira, Telles Junior, Wellington Virgolino, Di Cavalcanti, João Câmara, Guinard, Adolph Gottielib, Burle Max e Francisco Brennand, entre outros.

Museu de Arte Contemporânea (MAC)
Rua 13 de maio, 149, Varadouro – Olinda – PE
Visitação: Terça a sexta | 9h às 17h; Sábado e domingo | 14h às 17h
Gratuito
(81) 3184 3153

Exposições sobre a arte sacra de Pernambuco

Fundarpe

Fundarpe

O Museu de Arte Sacra de Pernambuco fica na Rua Bispo Coutinho, número 726, no Alto da Sé de Olinda

O acervo fixo do Museu de Arte Sacra de Pernambuco (MASPE), que começou a ser construído a partir de mais uma centena de peças cedidas pela Arquidiocese de Olinda e Recife, reúne objetos de culto como santos populares e de procissão, relicários, custódias e pinturas religiosas. Em sua fachada, é possível ver o antigo brasão episcopal e uma placa da Unesco, de 14 de dezembro de 1982, que declara Olinda Monumento Cultural da Humanidade.

Museu de Arte Sacra (MASPE)
Rua Bispo Coutinho, 726, Alto da Sé – Olinda – PE
Visitação: Terça a sexta | 10h às 16h; Sábados e domingos | 10h às 14h
R$ 2 (inteira) e R$ 1 (meia)
(81) 3184 3154

História do Estado no século XVII no MUREO

Val Lima/FUNDARPE

O prédio do Museu Regional de Olinda abriga uma casa museu, um solar em estilo colonial construído entre 1745 e 1749. Originalmente abrigou a residência episcopal. Foi criado em virtude da comemoração do 4° centenário da chegada de Duarte Coelho à Capitania de Pernambuco, sendo inaugurado em 1935.

O MUREO propicia ao observador uma visão de uma casa pernambucana do século passado. Seu acervo é composto por mobiliários, pinturas, louças, pratarias e peças de grande valor histórico para a vida social, religiosa e política da cidade. Ainda, possui um conjunto raro de peças de arte sacra do século XVII e XVIII em terra-cota e madeira.

Museu Regional de Olinda (MUREO)
Rua do Amparo, 128, Amparo, Olinda – PE
Visitação: Terça a sexta | 9h às 17h; Sábados e domingos | 14h às 17h
Gratuito
(81) 3184 3159

< voltar para home