Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Espaços culturais

Leo Santana expõe “Do outro lado do Desenho” no MEPE

O artista mineiro traz ao Recife a exposição "Do outro lado do Desenho", que revisita seus 25 anos de carreira. A mostra entra em cartaz nesta quinta-feira (21)

Divulgação

Divulgação

Depois de ter passado pela Galeria Scenarium (RJ), a mostra será inaugurada na capital pernambucana nesta quinta (21)

Do outro lado do Desenho é a exposição do artista e escultor Leo Santana que chega ao Museu do Estado de Pernambuco, nesta quinta-feira (21). Conhecido por ter esculpido a estátua de Carlos Drummond de Andrade, instalada desde 2002 no calçadão de Copacabana (RJ), o artista mineiro apresenta no Recife a exposição que revisita seus 25 anos de carreira.

Nessa trajetória, a escultura em bronze tem sido a manifestação principal do seu trabalho em diversos espaços públicos do Brasil e do exterior. Em seu currículo, constam figuras importantes das artes e da história brasileiras foram homenageadas pela contribuição inestimável que deram à nossa cultura, tais como: : Tiradentes, Pedro Nava, Marcelo Deda, Zé Peixe, Joaquim Nabuco, Guimarães Rosa, Zumbi, Padre Vitor, Juscelino Kubitschek, Henriqueta Lisboa, Getúlio Vargas, Dom Pedro II, Barão do Rio Branco, Inácio Joaquim Barbosa, Fernando Sabino, Paulo Mendes Campos, Otto Lara Resende, Hélio Pelegrino, Ulisses Guimarães, Tancredo Neves, Teotônio Vilela, Roberto Drumond, além de São Sebastião, Santo Expedito, Nossas Senhoras da Piedade e de Fátima e personagens do mundo do futebol, de aldeias indígenas e das mais diversas expressões culturais.

Divulgação

Divulgação

Exposição reúne desenhos do artista

Na obra de Leo Santana, a vivência do tridimensional amadureceu e ele vem encontrando, em sua trajetória criativa. Assim, para essa nova exposição, serão apresentadas peças em bronze, de dimensões variadas, que dialogam com desenhos especialmente criados a partir da observação do artista destas mesmas esculturas. Do outro lado do Desenho está o vulto pleno, a tridimensionalidade, o movimento. “Seu intenso experimentar trouxe o aperfeiçoamento do escultor maduro. Suas esculturas em bronze, assim como seus desenhos, também falam, olham, expressam-se. A perfeição da sua técnica despertou o interesse de empresas, igrejas e prefeituras a encomendar obras para suas coleções, hoje espalhadas em quase todo o país. Em tamanho natural os personagens eternizados no bronze por suas mãos misturam-se na paisagem das grandes cidades como se vivos transeuntes fossem”, diz o curador Carlos Trevi sobre o trabalho do artista.

O jogo entre claro e escuro, presente tanto no desenho quanto nas esculturas de Leo Santana, será explorado em toda a exposição. Seguir o caminho inverso – desenhar a partir da escultura pronta – foi a escolha do artista para retomar o prazer das descobertas oferecidas pelo desenho. Um desenho livre, íntimo, autoral. As esculturas também seguem a mesma proposta de liberdade, equilibradas na própria base para ocupar amplamente o espaço expositivo.

Nas palavras de Leo Santana: “os volumes são feitos de claros e escuros”. No desenho, o artista desenha a sombra. Na escultura, a sombra surge pelo volume criado pelo artista. Essa inversão do processo, de criar desenhos utilizando esculturas como modelos, poderá ser percebida pelo público durante a exposição, que fica em cartaz até o dia 13 de março, no MEPE.

Serviço
Exposição Do outro lado do Desenho, do artista mineiro Leo Santana
Quando: de 21/1 (quinta-feira) a 13/3 (domingo)
Onde: Museu do Estado de Pernambuco (Av. Rui Barbosa, 960, Graças – Recife)
Visitação: terça a sexta-feira, das 9h às 17h | sábados e domingos, das 14h às 17h
Entrada: R$ 6 (inteira) e R$ 3 (meia-entrada)
Telefone: (81) 3184.3174

< voltar para home