Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Espaços culturais

Pontos na Torre leva apresentações culturais gratuitas à Torre Malakoff

A ação da Secult-PE e da Fundarpe promove ensaios abertos dos Pontos de Cultura aos domingos até dezembro


A partir desse domingo (6/10), os recifenses terão programação cultural gratuita garantida para os fins de semana. O projeto Pontos na Torre leva para a Torre Malakoff grupos artísticos de comunidades tradicionais do estado e Pontos de Cultura da Região Metropolitana do Recife para ensaios abertos ao público. A ação da Secult-PE e da Fundarpe atinge diversos objetivos: dinamizar os espaços culturais ligados ao estado, e ao mesmo tempo fortalecer políticas públicas (como as do Ponto de Cultura), dar visibilidade aos grupos culturais e diversão e arte para a população. A ação é uma parceria entre a Coordenação do Programa Mais Cultura, com a Diretoria de Gestão de Equipamentos Culturais e a Coordenadoria de Povos Tradicionais e Populações Rurais.

Os ensaios abertos, como estão sendo chamados, acontecerão por cinco domingos consecutivos, trazendo atrações já conhecidas do público, como o Grupo Bongar, do único quilombo urbano do estado; o Maracatu Almirante do Forte e o Afoxé Alafin Oyó. Abre espaço ainda para grupos poucos conhecidos na Região Metropolitana, formado por indígenas e populações quilombolas, é o caso do Grupo de Dança Fulni-ô e o samba de coco do quilombo Chã dos Negros. Durante os ensaios, os grupos terão a oportunidade de expor seus trabalhos artesanais e também de comercializar os produtos deste trabalho.

Para o articulador regional da Coordenação de Povos Tradicionais e Populações Rurais, Francisco de Assis (Chiquinho), o encontro vai proporcionar uma troca de experiências muito importante, e inédita no estado, entre os pontos de cultura, mesclando ritmos e culturas. “Nós queremos otimizar os equipamentos, promover essa troca de experiências e a interação entre os povos tradicionais e as populações urbanas”, explica Chiquinho.

A ideia da coordenação é que os grupos interajam entre si, travando debates sobre seus modos de vida e forma de produção artística em um espaço sem palcos, sem barreiras, onde será possível sentir mais e socializar as experiências culturais. “Queremos mostrar que isso não é apenas arte, é a expressão cultural da vida cotidiana de um povo, dos diversos povos que compõem Pernambuco”, completa Chiquinho.

Para Gorete Martins, articuladora do grupo de samba de coco do quilombo Chã dos Negros, localizado no sítio de mesmo nome na zona rural de Passira, Agreste pernambucano, a oportunidade de conhecer outros povos e trocar experiências é fabulosa. “Tivemos uma experiência semelhante em Pesqueira durante o Festival Pernambuco Nação Cultural. Na Aldeia Cimbres nós dançamos o toré e eles dançaram o nosso coco, a energia foi muito boa”, lembra.

Para o encontro com o Afoxé Ylê de Egbá, marcado para 17/11, o grupo pretende não só mostrar as suas tradições culturais, mas também criar um grupo de diálogo com troca de experiências de vida para levantar a autoestima dos participantes. “Estamos muito ansiosos para socializar, conhecer e ver a vivência dos outros Pontos de Cultura. Queremos levar nossa dança, nosso bordado e nossos doces e voltar cheios de ideias novas”, afirma Gorete.

As apresentações contemplam vários segmentos da cultura: música, teatro, dança, além de uma mostra de artesanato da Comunidade Quilombola Engenho Siqueira, que estará montada na Torre durante todos os domingos do projeto.

Pontos na Torre é por fim uma forma de dar maior visibilidade ao programa dos Pontos de Cultura, uma ação do Programa Mais Cultura, idealizado pelo Ministério da Cultura em parceria com os governos estaduais e municipais, com o intuito de preservar, difundir e valorizar as manifestações populares dentro de seus territórios de origem.

Serviço
Pontos na Torre
Quando: Todos os domingos, a partir das 15h
Onde: Torre Malakoff (Praça do Arsenal da Marinha, Bairro do Recife)
Entrada gratuita

Confira a programação completa:
6/10 | Grupo Bongar (15h) + Grupo de Dança Fulni-ô (18h)
13/10 | Maracatu Almirante do Forte (15h) + Grupo de Teatro Kambiwá (18h)
3/11 | Alafin Oyó (15h)
17/11 | Afoxé Ylê de Egbá (15h) + Grupo Samba de Coco Chã dos Negros (18h)
1/12 | Coco de Umbigada (15h) + Grupo Reisado Sítio Tamanduá (18h)
Mostra de Artesanato da Comunidade Quilombola Engenho Siqueira (todos os domingos)

< voltar para home