Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Espaços culturais

Pontos na Torre movimenta a Torre Malakoff aos domingos

Com apresentações gratuitas, grupos de cultura popular da Região Metropolitana e do interior fazem ensaios abertos durante cinco domingos


Neste domingo (13/10), quem for conferir o Pontos na Torre vai ter a oportunidade de conhecer o grupo de teatro do povo Kambiwá e assistir a apresentação de um dos mais tradicionais grupos de maracatu nação do Recife, o Almirante do Forte.

Mestre Teté, presidente do maracatu há 20 anos promete uma apresentação bem bonita pro domingo: “Eu num vou me vangloriar não, mas eu confio em mim, no meu maracatu”. Teté diz que levará 40 batuqueiros pro ensaio aberto, cuja importância, segundo ele, “é brincar”.

O Almirante do Forte foi fundado em 1931, quando ainda era de baque solto. Hoje é Ponto de Cultura realizando oficinas de percussão, confecção de instrumentos, dança afro, audiovisual e informática, no bairro do Bongi, onde está sua sede.“Muito jovem aprende a tocar comigo, os que querem aprender nós estamos ensinando. Tenho uma neta com 4 anos que toca tudo, abê, alfaia, só num toca caixa, que é muito grande pra ela”, diz Mestre Teté.

O povo Kambiwá vive entre os municípios de Ibimirim, Inajá e Floresta, na região do Sertão do Moxotó. Mas até se consolidar nesse território, aldeado pela Fundação Nacional do Índio (Funai), sofreu muitas perseguições e massacres. É essa a história de seus antepassados. E é ela que contam, hoje, os jovens do Grupo de Teatro Kambiwá. Com 18 integrantes, o grupo existe há cinco anos e ensaia na rua. Neste domingo, o grupo do sertão se apresenta para os recifenses.

O projeto

O Pontos na Torre, ação da Secult-PE e Fundarpe, está levando para a Torre Malakoff grupos artísticos de comunidades tradicionais do estado (indígenas e quilombolas) e Pontos de Cultura da Região Metropolitana do Recife em ensaios abertos ao público. “Um dos pontos mais importantes desse projeto é a interação dos grupos daqui, da Região Metropolitana com os do interior”, diz Fabiano Santos, representante da Rede dos Pontos de Cultura de Pernambuco.

No último domingo (6/10), na abertura do projeto, se apresentaram o Grupo Bongar e o grupo de dança do Povo Fulni-ô. A produtora cultural Jéssica Miranda compareceu e gostou muito da ideia “Achei a ação super bacana de valorizar a produção cultural mais tradicional, valorizar a cultura e a identidade dos grupos. Acredito que eles têm que ter mais espaço de apresentação”.

A ação da Secult-PE e da Fundarpe é fruto de uma parceria entre a Coordenação do Programa Mais Cultura, com a Diretoria de Gestão de Equipamentos Culturais e a Coordenadoria de Povos Tradicionais e Populações Rurais.

O Pontos na Torre atinge diversos objetivos: dinamizar os espaços culturais ligados ao estado, e ao mesmo tempo fortalecer políticas públicas (como as do Ponto de Cultura), dar visibilidade aos grupos culturais e diversão e arte para a população. E as apresentações contemplam vários segmentos da cultura: música, teatro, dança, além de uma mostra de artesanato da Comunidade Quilombola Engenho Siqueira, que estará montada na Torre durante todos os domingos do projeto.

A ação é ainda uma forma de dar maior visibilidade aos Pontos de Cultura, uma ação do Programa Mais Cultura, idealizado pelo Ministério da Cultura em parceria com os governos estaduais e municipais, com o intuito de preservar, difundir e valorizar as manifestações populares dentro de seus territórios de origem. “O Ponto de Cultura é o reconhecimento dessas atividades que já existiam. É um aperfeiçoamento do fazer, do protagonismo dessas entidades”, defende Fabiano Santos.

Serviço
Pontos na Torre
Quando: Todos os domingos, a partir das 15h
Onde: Torre Malakoff (Praça do Arsenal da Marinha, Bairro do Recife)
Entrada gratuita

Confira a programação completa:

13/10 | Maracatu Almirante do Forte (15h) + Grupo de Teatro Kambiwá (18h)
3/11 | Alafin Oyó (15h)
17/11 | Afoxé Ylê de Egbá (15h) + Grupo Samba de Coco Chã dos Negros (18h)
1/12 | Coco de Umbigada (15h) + Grupo Reisado Sítio Tamanduá (18h)
Mostra de Artesanato da Comunidade Quilombola Engenho Siqueira (todos os domingos)

< voltar para home