Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Espaços culturais

Torre Malakoff acolhe exposição Múltiplo Leminski

Já está aberta ao público pernambucano a mais completa exposição sobre a vida e a obra de Paulo Leminski, um dos maiores artistas brasileiros. A Múltiplo Leminski ocupa a Torre Malakoff, no Recife, primeira cidade do Nordeste a receber a mostra itinerante, que já foi visitada por quase 325 mil pessoas.

Costa Neto

Costa Neto

Noite de abertura da Múltiplo Leminski

A abertura oficial da exposição contou com a presença de Alice Ruiz, viúva do artista e coordenadora geral do evento. Também presente, o secretário estadual de cultura, Marcelo Canuto, saudou os convidados destacando que “acolher Leminski no Recife tem um valor muito significativo, pois sua obra complexa e sempre atual comunga com as muitas cenas artísticas pernambucanas e certamente vai promover diálogos que são muito importantes para manter viva e renovada a nossa cultura”.

A curadoria coletiva da exposição – formada pela poeta Alice Ruiz, viúva de Paulo Leminski, e pelas filhas do artista, Aurea e Estrela – optou por destacar , na montagem da mostra no Recife, o espaço destinado ao Catatau, obra emblemática do poeta curitibano, que interage diretamente com a cidade. Catatau, aliás, é a única ambientação da mostra destinada a apenas uma obra específica do Leminski. Todas as demais são sobre as facetas. Na Torre Malakoff, o Catatau estará instalado numa sala exclusivamente para ele.
O multiartista curitibano Paulo Leminski (1944-1989) nunca colocou seus pés no Recife. Mas a sua mente criativa viajou pelas terras pernambucanas, por quase uma década, período que levou para escrever o romance Catatau (1975), uma das obras-primas da literatura brasileira de invenção. A trama ficcional se desenvolve a partir de uma visita imaginária do filósofo francês René Descartes ao Brasil, acompanhando a comitiva de Maurício de Nassau, no período da colonização holandesa. A comitiva teria aportado em Olinda, próximo ao Recife Antigo onde está sediada a Torre Malakoff, prédio tombado como patrimônio histórico de Pernambuco.

Pois é justamente lá, na Torre Malakoff, que entrará em cartaz a Exposição Múltiplo Leminski, a maior já feita sobre a vida e obra do artista, resultado de anos de pesquisa e catalogação de toda produção de Paulo Leminski. A mostra será exibida no período de 28 de março a 30 de maio, com entrada franca ao público. A capital pernambucana é a primeira cidade do Nordeste a receber a mostra itinerante, que já foi visitada por quase 325 mil pessoas no Museu Oscar Niemeyer (MON), em Curitiba (PR), no Ecomuseu de Itaipu, em Foz do Iguaçu (PR), e no Centro Cultural Oscar Niemeyer, em Goiânia (GO).

Costa Neto

Costa Neto

Exposição é aberta ao público

Em Pernambuco, a realização da exposição (que tem patrocínio do programa Petrobrás Cultural) é da WhoIs Produções, em parceria com a Secretaria de Cultura e Fundarpe. “O recorte desta exposição comunga com a própria cena artística pernambucana, que tem como marca o constante e permanente diálogo entre todos os segmentos da arte. O Leminski músico, poeta, crítico, quadrinhista, ilustrador, cineasta, será muito bem entendido por nós. Leminski é referência obrigatória para o artista contemporâneo, e também é muito importante compartilhar este acervo com todos os que vierem visitar a exposição, na Torre Malakoff”, comenta o secretário de Cultura Marcelo Canuto.

A curadoria coletiva da exposição – formada pela poeta Alice Ruiz, viúva de Paulo Leminski, e pelas filhas do artista, Aurea e Estrela – optou por destacar , na montagem da mostra no Recife, o espaço destinado ao Catatau, obra emblemática do poeta curitibano, que interage diretamente com a cidade. Catatau, aliás, é a única ambientação da mostra destinada a apenas uma obra específica do Leminski. Todas as demais são sobre as facetas. Na Torre Malakoff, o Catatau estará instalado numa sala exclusivamente para ele.
“Neste espaço o público vai encontrar estudos e originais da obra com anotações manuscritas pelo autor, também Descartes com Lentes conto que gerou o Catatau, painéis com ampliações de passagens marcantes do livro e ainda será exibido em um monitor o filme Ex-Isto, de Cao Guimarães, baseado no Catatau”, explica Aurea Leminski, que também responde pela coordenação executiva do Múltiplo Leminski. A produção da mostra é realizada pela WhoIs Produções, já a ambientação e cenografia da exposição são assinadas pelo experiente designer Miguel Paladino, que buscou construir uma estética poética que pudesse condensar informações fundamentais para o entendimento sobre a vida, obra e processo criativo de Paulo Leminski.

A relação do artista com Pernambuco não se resumiu ao livro Catatau. Ele nutria uma admiração por escritores e poetas pernambucanos como Manuel Bandeira e João Cabral de Melo Neto, este considerado por Leminski um dos três maiores poetas de sua geração.

A exposição chega ao Recife por meio da seleção pública do Programa Petrobras Cultural, que contemplou o Múltiplo Leminski com um projeto para exibir a mostra na capital pernambucana e em Goiânia, onde encerrou a exibição no dia 9 de março. De acordo com a curadoria coletiva, após Recife, está confirmada a exibição do Múltiplo Leminski em Salvador e já é negociada a ida da exposição para outras cidades até 2015. “Enfim, sua multiplicidade é contemplada e pode ser contemplada por quem o conheceu bem, por quem o conheceu um pouco, por quem o acha que conheceu, por aqueles que não tiveram essa oportunidade e agora têm”, avalia Alice Ruiz.

Show na Praça do Arsenal – Por onde passa, a exposição promove uma série de ações paralelas com o intuito de envolver a cidade com a obra múltipla de Paulo Leminski. Com este objetivo serão realizadas visitas monitoradas com as curadoras da mostra, já programadas para o dia 28 de março. Haverá intervenções urbanas, como grafites em espaços públicos; oficinas educativas, palestras e mostra audiovisual.

A exposição Múltiplo Leminski fica em cartaz até dia 30 de maio, e culmina no dia 25, quando haverá o show de Estrela Leminski, sua filha mais nova. Intitulado Essa Noite Vai Ter Sol, a apresentação traz canções que fazem releituras de poesias e textos de Leminski. O show acontece na Praça do Arsenal da Marinha (Bairro do Recife). Responsável pela divulgação da obra musical do pai, Estrela é quem responde pela interpretação e direção do espetáculo.

Todas as facetas de Leminski
O escritor curitibano apresenta uma produção extensa que abrange não só a literatura, mas outras inúmeras linguagens artísticas, como elenca Alice Ruiz: “Além de grande poeta, ele foi um pensador de cultura, haikaísta, tradutor, biógrafo, jornalista de imprensa escrita e televisionada, ensaísta, contista, romancista, autor de experimentações verbais e visuais, ‘polemista’, roteirista de histórias em quadrinhos, judoca, professor, publicitário, compositor. E, em tudo isso, ele era inovador”, informa.

Todos os objetos originais presentes na exposição, contabilizando mais de mil peças, pertencem ao acervo particular da família: a máquina de escrever, livros escritos e traduzidos por ele, obras que faziam parte da biblioteca particular, entre elas, dicionários em várias línguas, revistas, fotos, cadernos, recortes de jornais, entrevistas, cartas, poesias escritas em guardanapos, originais manuscritos e datilografados, histórias em quadrinhos, vídeos. O vasto repertório como letrista e compositor está representado por capas de LPs, CDs e fitas cassetes.

Tudo está distribuído em diversos espaços cênicos e complementado por pinturas, painéis, vitrines e reproduções de grafites feitas pelos artistas locais das cidades que recebem a exposição: Linha da Vida e Obra’, ‘Poesia’, Música’, ‘Prosa’, ‘Catatau’, ‘Tradução’, ‘Biografia’, ‘HQs’, ‘Haikaista e Judoca’, ‘Publicidade’, ‘Jornalista’, ‘Professor’, ‘Escritório’ e ‘Biblioteca’. Em ‘Leminski on the Road’, pode ser conferido o registro das exposições anteriores sobre o artista, enquanto que em ‘Convivência’ estão reunidas as fotografias de Dico Kremer e grafites inspirados na obra do artista.

Há o espaço ‘Infanto-Juvenil’ com muitas atividades lúdicas e referências sobre dois livros escritos por Leminski para os pequenos: “Guerra dentro da gente” e “A lua no cinema”. Do primeiro livro, foi feita a animação Belowars, do diretor Paulo Munhoz, está na mostra. As crianças vão se divertir, ainda, com as músicas de “Pirlimpimpim”, disco gravado por Guilherme Arantes, com músicas dele e letras de Leminski. A mais conhecida é “Xixi nas Estrelas”.

Ainda para as crianças, a curadoria coletiva da mostra elaborou a revista “Tio Lema” que será entregue para o público infanto-juvenil do Múltiplo Leminski. No conteúdo, atividades próprias do universo infantil como ‘caça-palavras’ e ‘desvende enigma’. “Mas no caso do Tio Lema, as crianças vão trabalhar com temática do Leminski para que tenham contato e despertem o interesse pela obra dele e também pela literatura em geral”, explica Aurea Leminski.

Serviço
Exposição Múltiplo Leminski
Local: Torre Malakoff (Rua do Bom Jesus, Bairro do Recife)
Aberto ao público: de 28 de março a 30 de maio de 2014; de terça a sexta-feira, das 10h às 18h; sábados, das 15h às 18h; e domingos, das 15h às 19h.
Entrada gratuita

< voltar para home