Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Festival de Inverno

Coco e frevo no último dia do palco cultura popular

A chuva não impediu a diversão dos artistas e do público do Coco Raízes de Arcoverde e demais

Clube Carnavalesco Marim dos Caetes foi uma das atrações do último dia do Palco Cultura Popular (Foto: Beto Figueirôa/O Santo/Secult)

Clube Carnavalesco Marim dos Caetes foi uma das atrações do último dia do Palco Cultura Popular (Foto: Beto Figueirôa/O Santo/Secult)

Por Chico Ludermir

Nem a chuva conseguiu tirar o brilho do último dia de apresentações do palco cultura popular. Depois de mais de uma semana de shows de diversas expressões culturais pernambucanas, na despedida, o público resistiu à água que caía para prestigiar o Samba de Coco Raízes de Arcoverde, o encontro de blocos líricos e outras cinco atrações.

Depois do Grupo indígena Fulni-ô, do Grupo Nossa Arte, que subiram aopalco no começo da tarde, foi a vez do Cavalo Marinho Boi Pintado, comandado por mestre Grimário. O Clube Carnavalesco Marim dos Caetés trouxe, além dos metais e percussão, um grupo de mais 20 dançarinos de frevo.

O Maracatu de Baque Solto Burra Vencedora de Lagoa do Carro, tocou pela primeira vez no FIG esta tarde. Augusto Manuel do Nascimento, mestre do maracatu adorou a estreia: A gente gostou demais. É sempre um prazer levar nosso grupos para todos os cantos de Pernambuco”, afirmou ele, que não conhecia a cidade. Perto de completar 80 anos e brincante desde criança, o mestre quer voltar mais vezes. “Só queria ter a sorte de, na próxima vez, tocar num dia que não chova”, brincou.

Quando já anoitecia, o Samba de Coco Raízes de Arcoverde subiu ao palco para uma apresentação empolgante. Tocando sucessos dos três CDs lançados como “Acorda criança” e “Seu Maia”, o grupo fez todo mundo cantar e dançar. Como sempre, o trupé do dançarinos fez ressoar o som das tamancos. “Foi muito maravilhoso. Pensei que não ia dar ninguém por causa da chuva, mas mesmo assim veio todo mundo. Isso me deixou muito emocionada”, afirmou Iran Calixto, uma das vocalistas do grupo.

Última atração da noite e do palco cultura popular deste ano, o encontro de blocos líricos deixou todo mundo em clima de carnaval. Vindo em cortejo desde a Praça Souto Filho (Praça da Fonte), doze blocos reuniram cerca de 600 integrantes que juntos se apresentaram até as 20h. Do grupo Amante das Flores, Nivalda de Jesus estava animadíssima. “Estou aqui com o maior prazer. O Amantes foi o campeão do carnaval deste ano”, disse orgulhosa. Dançando com a sombrinha aberta, Jailma Vita gostou do que viu. “A apresentação está maravilhosa. Eu venho todo ano prestigiar esse palco e o encontro”, disse enquanto se ouvia tocar “evocação Nº 1”.

Para Alexandra de Lima Cavalcanti, Coordenadora da pasta de Cultura Popular da Secretaria de Cultura do Estado (Secult-PE) e organizadora do palco, a cultura popular mostrou que tem seu público cativo. “É um espaço para se brincar e valorizar a nossa cultura. Desde os mais famosos aos mais desconhecidos”, afirmou. “As apresentações foram muito ricas não somente em beleza como em substância cultural”, completou. Este ano, o palco reuniu mais de 50 grupos nos 10 dias de apresentações e um total estimado de 2000 brincantes.

< voltar para home