Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Festival de Inverno

Fusão de ritmos marcou noite de domingo no Palco Instrumental

Na Igreja de Santo Antônio, Quinteto de Sopros e Coro de Câmara do Conservatório Pernambucano de Música atraíram o público

Cacau Arcoverde foi uma das atrações do Paco Instrumental deste domingo (Foto: Eric Gomes/Secult-PE).

Cacau Arcoverde foi uma das atrações do Paco Instrumental deste domingo (Foto: Eric Gomes/Secult-PE).

Por Diego Gouveia

Mais do que promover a música instrumental, o 22º Festival de Inverno de Garanhuns faz questão de investir em grupos que colocam em diálogo gêneros diferentes. No domingo (15/7), o público do Palco Instrumental, no Parque Ruber Van Der Linden, conferiu shows que privilegiaram a mistura de ritmos. Apresentaram-se Fahrenheit, Cacau Arcoverde, Benjamim Taubkin (Trio + 1) e Antônio Loureiro.

Com um repertório próprio, a banda Fahrenheit, criada em 2005 por músicos de Garanhuns, participou pela sétima vez do FIG. As composições do tecladista Fabio Aladdin surpreenderam a plateia que acompanhava atentamente os arranjos instigantes de Bruno Fonseca (bateria), Nildo Jazz (contrabaixo), e Lucas Rameiro (guitarra). A sobreposição de influências é característica fundamental do grupo.

Cacau Arcoverde, no show “CocoSideral_ Misturada”, fundiu musicalidades da Zona da Mata e do Sertão. “Um avô meu era caboclo de lança e o outro, vaqueiro do Sertão. Não tinha como fugir das minhas raízes na hora de compor. A inspiração vem e faz com que as músicas tenham sonoridades especiais dessas duas regiões de Pernambuco”, explica. No palco, samba de coco, ciranda, coco de roda, toré, trupé, ijexá e baião se misturam. Um ritmo influenciando o outro em faixas que levaram a plateia a participar, ora cantando, ora dançando.

A penúltima atração do dia, o pianista Benjamim Taubkin (Trio + 1), também apostou no diálogo entre o tradicional, a linguagem erudita, e as diversas tradições brasileiras. Durante a apresentação, Taubkin (piano), Sérgio Reze (bateria), Zeca Assumpção (contrabaixo) e Joatan Nascimento (trompete) tocaram composições experimentais e coletivas. O advogado Leandro Paz, 32 anos, nas horas de folga gosta de passar horas ouvindo músicas. “Chama a minha atenção a integração entre os instrumentos. Gosto do equilíbrio rítmico, da aventura da improvisação e da mistura de gêneros. Hoje, vi isso de perto”, comenta.

Encerrando os shows do Palco Instrumental do domingo (15/7), Antônio Loureiro realizou uma apresentação autoral e acrescentou um instrumento aos de Marcos Paiva (baixo), Pedro Ito (bateria), Guilherme Ribeiro (acordeon): a voz. Enquanto tocava, Loureiro cantarolava e contribuía para o ritmo fluir. O músico se prepara para o lançamento do CD “Só” e mostrou no FIG o que as pessoas podem esperar do seu novo trabalho. Nesta segunda (16/7), estão na programação Orlito Blues Jazz Band (17h),  Marcelo Monteiro (18h), Jorginho Neto (19h) e Alex Madureira (20h).

Coro de Câmara do CPM alegra a Igreja de Santo Antônio

No penúltimo dia de apresentações do Conservatório Pernambucano de Música no FIG, o Quinteto de Sopros Arrecife mostrou para o público clássicos da música erudita, popular, regional e folclórica. São integrantes do grupo: Eltony Nascimento (flauta), Roberta Belo (oboé), Isaías Rafael (clarinete), Esdras Campos (trompista) e Josias Felipe (fagote).

Coro da Câmara do CPM (Foto: Eric Gomes)

Coro da Câmara do CPM (Foto: Eric Gomes)

O Coro da Câmara do CPM fez sua primeira apresentação e o FIG foi o evento escolhido. A plateia da Igreja de Santo Antônio conheceu o repertório do coral erudito, formado por professores e alunos de canto. Nesta segunda (16/7), último dia do CPM no FIG, se apresenta a Orquestra Sinfônica Jovem do CPM, às 16h30 e 21h.

< voltar para home