Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Festival de Inverno

Garanhuns dá as boas vindas a mais um FIG

Costa Neto/Secult-PE

por Leonardo Vila Nova

Garanhuns chega ao seu 25° Festival de Inverno celebrando, mais do que nunca, a diversidade cultural do nosso estado. A cidade que acolhe todas as linguagens e tendências artísticas vem dando mostras de que com o passar dos anos a sua vocação para agregar vem se ampliando cada vez mais. Esse foi o mote que norteou a abertura oficial do evento, na noite desta quinta (16), no Teatro Luiz Souto Dourado. O governador Paulo Câmara marcou presença na cerimônia e deu as boas vindas ao FIG e a todo o público.

Garanhuns é uma referência para o Brasil. E o FIG é o grande encontro da cultura e da arte brasileiras. Portanto, um encontro de todo o povo brasileiro”, exaltou o secretário estadual de Cultura, Marcelino Granja. “E esse momento que vivemos aqui nos deixa com ainda mais alegria e animação, por vermos aqui esse respeito à diversidade cultural, capitaneado pelo povo pernambucano, pelo povo de Garanhuns. Vamos ter uma grande festa!”, disse. Já a presidente da Fundarpe, Márcia Souto comemorou as parcerias feitas para a realização do FIG, em especial, a colaboração da Secretaria de Educação, que está presente em várias ações. “Quero destacar essa interação, que tem focado na formação cultural dos jovens das escolas estaduais em Garanhuns. Em especial, o aplicativo do FIG, que foi desenvolvido por alunos da Escola Técnica de Bezerros. Lá vocês podem acessar toda a programação e notícias sobre o festival. E também a presença de alguns artistas nas escolas de Garanhuns, que virão para um bate-papo com os jovens. Uma experiência que aproxima cultura e educação, e que tem muitos frutos pra dar, tornando a escola um espaço muito mais amplo, formando cidadãos que poderão construir sua sociedade de uma forma diferente”.

A homenageada desta 25ª edição do FIG, a escritora Luzilá Gonçalves, também participou da abertura. Radiante e com um semblante de quem parecia ainda não acreditar que recebia este reconhecimento, ela foi só agradecimentos. A emoção tomou conta de Luzilá quando ela relembrou as histórias que ouvia sobre Garanhuns, já que ela, filha da terra, veio morar no Recife ainda pequena. “Garanhuns é um passado que eu não vivi, mas do qual sinto enorme saudade”, disse ela, evocando a obra Dom Casmurro, de Machado de Assis. “É preciso juntar as duas pontas da vida. E esse Festival de Inverno, além de ser uma grande homenagem pra mim, está sendo responsável por juntar essas pontas da minha vida. Sempre que venho aqui, e hoje, principalmente, é como se fosse o reencontro desse passado com o meu presente, as raízes que estão aqui e que todos trazem profundamente no coração. Por isso agradeço a todo esse povo que me homenageia e vocês que estão aqui para viver isso”, declarou.

Estreando no FIG na condição de dirigente maior do estado, o governador Paulo Câmara lembrou do envolvimento do povo garanhuense para o sucesso do festival. “Comemoramos aqui as bodas de prata desse importante festival, que é um merecimento de todos que o fizeram, mas, principalmente, do povo de Garanhuns, do Agreste, todo esse povo pernambucano. Pernambuco é, sem dúvida nenhuma, o estado mais rico em termos de expressões culturais do nosso país. E esse festival contribui pra isso, para mantermos cada vez mais vivas nossas tradições e nossa cultura, e, principalmente, passar esse sentimento, essa emoção para as futuras gerações, que farão com que Pernambuco cresça cada vez mais. Até o dia 25, não tenho dúvidas que Garanhuns vai ser a capital do nosso estado, na cultura, no turismo, na alegria e na paz”, encerrou Paulo Câmara.

Como porcelana delicada de beleza e afeto
Após as falas oficiais, o palco do Teatro Luiz Souto Dourado recebeu o espetáculo Porcelana, que reuniu os cantores Gonzaga Leal e Alaíde Costa, em um passeio por canções que chancelam a grandeza do cancioneiro popular brasileiro. A voz forte e doce de Alaíde ecoou no teatro, ao entoar Bachiana Brasileiras n° 5, de Villa-Lobos, à capela. Também do maestro brasileiro, Canto de Pajé trouxe Gonzaga ao palco para se juntar a Alaíde. Eles, então, mostraram toda um entrosamento em palco, resultado de uma parceria que vem se dando ao longo de uma década.

Costa Neto/Secult-PE

Costa Neto/Secult-PE

“Porcelana” reuniu os cantores Gonzaga Leal e Alaíde Costa

Vozes doces, cantos apaixonados e delicados como porcelana criaram a atmosfera do espetáculo. Gonzaga e Alaíde se encontram e se agigantam na música. Em Porcelana eles se tornam bálsamo que perfuma os ouvidos, em interpretações que evocam toda a beleza da nossa MPB. Entre algumas músicas, a intepretação da atriz Ceronha Pontes sobre textos de Mário de Andrade e Luzilá Rodrigues, iam cerzindo o espetáculo. Ela leu trechos do livro Rios turvos, da homenageada do FIG, imprimindo uma carga mais cênica ao espetáculo.

No repertório, a fina flor de autores consagrados, como Vinicius de Moraes, Tom Jobim, Monsueto Menezes, Cateano Veloso, Capiba, entre outros. Uma noite em que Garanhuns recebeu o festival através da música, na sua forma mais profunda e tocante.

< voltar para home