Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Festival de Inverno

Música erudita subiu a serra no IX Virtuosi

(Foto: Ricardo Moura)

(Foto: Ricardo Moura)

Por Ana Elisa Freire

Levando a música erudita para as grandes massas, o IX Virtuosi na Serra chega a Garanhuns para integrar o 23⁰ FIG com apresentações internacionais e nacionais, na Igreja de Santo Antônio e no Palco Guadalajara, de 23 a 26 de julho. Comandado pelo regente e diretor artístico Rafael Garcia, o festival se renova a cada ano através da seleção ousada do maestro, sempre levando aos ouvidos do público sons antes nunca ouvidos ao vivo em Garanhuns, no seu papel de difusor da eterna música clássica.

Na tarde desta terça-feira, 23, os garanhuenses e turistas puderam apreciar os talentosos poderes dos músicos Victor Asuncion, no piano, e Giora Schmidt, no violino. Victor, natural das Filipinas, já se apresentou ao redor do mundo e esteve presente no festival em Gravatá, participando de diversas apresentações, seja como solista ou acompanhando músicos e cantores. Sua apresentação no FIG mostrou dedos que deslizam no piano e fazem um verdadeiro balé entre teclas brancas e pretas. Trazendo a sua interpretação de obras de Beethoven, por vezes rápida e animada e em outros momentos triste e melancólica, Victor soube cativar o público que não cansou de bater palmas ao final de cada ópera apresentada.

(Foto: Ricardo Moura)

(Foto: Ricardo Moura)

Para fechar a noite, o segundo espetáculo do dia também teve a presença de Victor Asuncion, dessa vez acompanhando no piano a apresentação de Giora Schmidt, violinista. Nascido na Filadélfia (EUA), Giora estudou na Juilliard School, uma das mais conceituadas escolas de música do mundo. Ao longo da sua carreira já foi solista de várias orquestras, além de ter realizado apresentação no famoso Carnegie Hall, com a New York Youth Symphony. Em Garanhuns, Giora interpretou óperas de Beethoven, Schumann, Fauré e Ysaÿe. Rafael Garcia, diretor artístico do Virtuosi não cansou de tecer elogios ao músico. “Nunca vi alguém tocar o violino com tanta leveza e emoção como ele”.

Com um programa clássico e romântico, Giora e Victor trouxeram ao público um duo que em certos momentos se complementavam e em outros se desafiavam, como se discutissem ou gargalhassem em forma de música. A segunda ópera da noite, de Schumann, trouxe um quê de melancolia para a Igreja de Santo Antônio. Foi uma peça rodeada de sofrimento, desespero que se percebia não só pelos sons que saiam dos instrumentos, mas pela agonia dos músicos na sua interpretação. Era como se lamentassem a morte do querido Dominguinhos, que recebeu homenagem no início da apresentação com um minuto de silêncio.

O IX Virtuosi na Serra tem programação até o dia 26 de julho, com espetáculos até o dia 25 na Igreja de Santo Antônio, e no dia 26 com grande concerto no Palco Guadalajara do maestro João Carlos Martins e a Orquestra Jovem de Pernambuco.

< voltar para home