Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Festival de Inverno

Uma noite para tirar todo mundo da solidão

José Augusto (Foto: Pri Buhr)

José Augusto (Foto: Pri Buhr)

Por Ana Elisa Freire

Foi muito amor para uma só noite. Os shows da Guadalajara deste domingo (21/7) no FIG trouxeram à tona sentimentos como paixão, amor, saudade e desilusão, embalando o coração do público que não deixou a frente do palco nem com a chuva e o frio que acompanharam as canções. A espera pela atração principal da noite, José Augusto, não pareceu tão grande em meio a tantos bons nomes da música romântica. A noite da “fossa” trouxe também os shows da Banda Flash, Lourdinha Oliveira, Augusto César e Adilson Ramos.

Durante todos os shows, você se pegava cantando a maioria das músicas que, de alguma forma, fizeram parte da sua vida e você nem se dava conta. Sucessos como “Sonhar contigo”, “Sem você não sou ninguém” e “Aguenta coração” foram cantadas seguidas por gritos estridentes da mulherada presente.

 

Adilson Ramos (Foto: Pri Buhr)

Adilson Ramos (Foto: Pri Buhr)

 

Adilson Ramos, uma das atrações mais esperadas da noite, contou que está feliz de voltar ao festival e “participar dessa noite romântica, para relembrar amores e histórias”. Ele se diz entendedor e até “patrocinador do amor”. “Recebo mensagens de pessoas dizendo que se conheceram em shows meus e que estão juntos há 15, 20 anos”. Mais do que um cantor romântico, Adilson Ramos é um ídolo para o público feminino, especialmente o pernambucano, que acolheu o cantor carioca há mais de 30 anos e que, inclusive, para este show do FIG, o acompanhou desde a passagem de som, ainda pela tarde, até o fim de sua apresentação. O músico também foi o único da noite que recebeu homenagens em cartazes e a presença de fã-clubes da região. Uma mostra do carinho que essa terra tem pelo seu carisma.

Já quando José Augusto entrou no palco, como última atração da noite, nem parecia que era madrugada de domingo para segunda, tampouco que estava garoando e fazendo menos de 20 graus em Garanhuns. Os sucessos do cantor, completando 40 anos de estrada, aqueceram os corações da multidão que ficou até o fim do show. E a cada canção tocada, mais gritos histéricos vindos da plateia, que soltou a voz para cada frase de sucessos como “Por eu ter me machucado”, “De que vale tudo na vida” e “Aguenta coração”. Esta última canção, aliás, foi uma das mais emocionantes para o cantor: “Foi bem intenso cantar ela pela primeira vez”. Apesar de já ter sido casado duas vezes, José Augusto ainda se considera um romântico absoluto, mas não faz músicas pensando nas suas histórias de amor: “Minhas músicas traduzem as histórias de amor de todos, são universais.”

O domingo se revelou como uma grande celebração ao romantismo. Uma noite em que jovens, adultos e idosos dançaram de rostinho colado ou mesmo sozinhos, mostrando para todo mundo que os sentimentos do coração nunca saem de moda e que é sempre bom cantar sobre a paixão. Os próprios convidados da noite provaram que são imunes aos modismos musicais que marcaram os anos 1990 e 2000, como pagode, rock e sertanejo, estando até hoje na boca e nos corações do público.

21/07/2013 | Compartilhe: Facebook Twitter

< voltar para home