Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Festival de Inverno

Dia de poesia, recitação e música na Praça da Palavra

Por: Julya Vasconcelos

Com um megafone nas mãos, a professora Márcia Félix dá as palavras de ordem, enquanto um grupo de estudantes e poetas a segue, em cortejo, espalhando poesia pelas ruas de Garanhuns. Foi assim que o grupo chegou na Praça da Fonte Luminosa, onde funciona durante o FIG a Praça da Palavra. Adentrando o corredor do pavilhão até chegar ao palco, o barulho dos chocalhos, sinos e pandeiros do grupo suspendia com alguma mágica a tarde de ontem (25/7). A “Chegança Poética” abriu o recital do dia com uma performance emocionante de Márcia Maracajá, que recitou um poema inédito de acolhimento aos poetas presentes.

Paulo Sérgio Santos

A ação foi uma parceria entre a MOSTRAPE* e o grupo Literânima, ligado ao projeto de pesquisa, ensino e extensão da UFRPE/UAG, Poesias Utópicas, coordenado por Márcia Félix. “O Literânima tem como objetivo principal pesquisar escritores de Garanhuns e tornar acessível em diversos espaços de diversas formas. Hoje, com o Chegança Poética, o que o Literânima fez foi preparar o ambiente para que os escritores convidados pudessem dizer seus poemas. Todos se empolgam com o espíto Literânima e todos celebram a poesia com a gente”, diz Márcia Félix, coordenadora do grupo.

Além de Márcia Maracajá, que preparou o terreno e deixou o público presente em estado de alerta, depois de palmas efusivas, MC Washi, César Monteiro, Maciel Viana, Sandoval Ferreira, Marcos Saraiva e Puxirum também foram ao microfone e mostraram sua poesia. O que ficou claro foi que a literatura produzida em Garanhuns é plural e conta com artistas de talento incontestável.

Paulo Sérgio Sales

Washi é recifense e vive em Garanhuns há alguns meses, mostrou um trabalho fortemente aliado à cultura do rap. Cesár Monteiro, escritor de Brejão e um dos fundadores da Sociedade dos Poetas Vivos, mostrou poemas do livro “Casulo da Alma” e impressionou pela qualidade da sua poesia. Maciel Viana, do grupo Moendas, também foi da mesma associação que César, e ofereceu um estilo um pouco mais fixo, metrificado, encantando também o público presente. Sandoval Ferreira, cordelistas da nova safra de Garanhuns, que também participou do “A Gente da Palavra” durante o FIG, mostrou os seus poemas cheios de humor e arrancou gargalhadas do público. Marcos Saraiva, estudante de letras da UAG, que na realidade trabalha com prosa, recitou os poemas falados pelos seus personagens dentro da sua ficção. Por fim, Puxirum, marcou a tarde com sua poesia recheada de cânticos entoados por sua poderosa voz.

Às 19h entrou no palco o “Universons”, parceria do grupo Virgulados com o cantor Pierre Tenório, impressionando com uma performance marcante. A voz impecável de Tenório, que por vezes lembra, guardadas as medidas, um jovem Ney Matogrosso, foi o ponto alto da noite. Grande parte das músicas são poesias musicadas, dentre as quais o poema “Razão de ser”, de Paulo Leminski.

Paulo Sérgio Sales

*O MOSTRAPE é um projeto realizado pela produtora Nós Pós com apoio institucional da União Brasileira dos Escritores – Secção PE, apoio da Livraria Cultura e Espaço Pasárgada e incentivo Funcultura, Fundarpe, Secretaria de Cultura e Governo do Estado. A programação no FIG 2014 conta com apoio da UFRPE/UAG e ADUFERPE e parceria da Coordenadoria de Literatura da Secult/PE.

< voltar para home