Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Festival de Inverno

Muita cultura popular na estreia do Palco Pontos de Cultura

Paulo Sérgio Santos

Paulo Sérgio Santos

Público acompanhou a estreia do palco, no Euclides Dourado

O início da programação no Espaço dos Pontos de Cultura, localizado no Parque Euclides Dourado, na segunda-feira (21), foi marcado pela música e a grande participação do público. O grupo Mazuca da Quixaba misturou Coco, um ritmo de origem indígena, com a Mazuca, um som próprio de algumas religiões africanas.

Juliana Cavalcanti, integrante do grupo, conta que é a sua primeira vez no festival e que a apresentação significa o reconhecimento de um trabalho de resgate cultural. Sobre a atuação do ponto de Cultura Nação do Maracatu Porto Rico, do qual o grupo faz parte, Juliana ressaltou a relevância do incentivo. “A atuação do ponto de cultura é fundamental para a divulgação do nosso grupo e de muitos outros que estão surgindo no estado”, avaliou Juliana.

O coordenador do Ponto de Cultura Nação do Maracatu Porto Rico, Chacon Viana, explica que o programa apoia as iniciativas populares e atua na divulgação de diversas manifestações. “Além de trabalhar na profissionalização dos grupos, nós também gerenciamos os agentes multiplicadores, que levam um pouco da cultura africana, e principalmente, a história do Maracatu”, completou, salientando que quatro grupos utilizam a estrutura do ponto.

Paulo Sérgio Sales

Paulo Sérgio Sales

Grupo Mazuca da Quixaba foi a atração da noite

Quem não desgrudou os olhos da apresentação foi a assistente social, Andreza Lopes, que aproveitou a folga no trabalho no Recife para curtir o festival na cidade das flores. “Essa é a segunda vez que eu venho ao Festival de Inverno de Garanhuns e um dos seus diferenciais é a valorização da cultura popular”, avaliou Andreza, explicando que o polo no Euclides Dourado aproximou as diversas manifestações do público do evento. “As pessoas que estão no parque acabam sendo contagiados pelo ritmo e ficam para curtir”, finalizou.

Nesta terça-feira (22\07), o palco recebe, a partir das 17h, o grupo Walê-Dança Indígena, que faz parte do Ponto de Cultura Fulni-ô e Xixiaklá. Além disso, será possível participar das oficinas no Polo Casarão dos Pontos de Cultura, na Escola Henrique Dias, no bairro de Heliópolis. Os cursos começam a partir das 14h.

Confira aqui a programação do Palco Pontos de Cultura

SOLENIDADE – Antes da apresentação do grupo Mazuca de Quixaba, o público prestigiou uma solenidade que marcou o início da programação no polo. Além de Cacau Arcoverde, coordenador dos Pontos de Cultura do Sertão, e Thiago Rocha, diretor de Gestão do Funcultura, estiveram presentes Luiz Cleodon, diretor de produção da Fundarpe, e Tereza Ruang, que representou o Ministério da Cultura no Recife. Até o próximo sábado, o espaço, que já está na quarta edição no Festival de Inverno de Garanhuns, será palco para grupos de Maracatu, Coco e Pífano. Além disso, será possível conferir o resultado das oficinas culturais.

Paulo Sérgio Sales

Diretor de Produção da Fundarpe, Luiz Cleodon, e o diretor do Funcultura Thiago Rocha participaram da abertura oficial.
< voltar para home