Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Festival de Inverno

Ritmos nordestinos marcam o domingo no Palco de Cultura Popular

Polo cultural fica localizado no Largo do Colunata, centro de Garanhuns, conta com atrações diárias até o próximo sábado (25).

Por: Roberto Filho

Por: Roberto Moraes Filho

Reunindo apresentações em meio à movimentação do comércio da cidade, o Palco de Cultura Popular recebeu durante o domingo (19), no 25º Festival de Inverno de Garanhuns, Patrimônios Vivos de Pernambuco como o Maracatu Estrela de Ouro de Aliança e a Banda Musical Euterpina de Timbaúba. Além de também contar com representantes dos gêneros de forró, xote e baião, o polo proporcionou uma tarde marcada por pura emoção, remetendo como homenagens para obras de mestres saudosos como Dominguinhos, Luiz Gonzaga, Camarão e Salustiano, através da realização do Projeto Roda de Sanfona.

Normando Siqueira

Normando Siqueira

Apresentação da Troça Carnavalesca Batutas de Água Fria.

No início da tarde, a Troça Carnavalesca Batutas de Água Fria foi um dos destaques, empolgando o público com interpretações de antigos frevos, como ‘Último dia’ (Levito Ferreira), ‘Curisco’ (Lourival Oliveira) e ‘Tudo no Frevo’ (Maestro Duda). Irradiando a euforia vista apenas em períodos carnavalescos, a agremiação contou com o entusiasmo de 60 integrantes, entre passistas, baianas e músicos.

Segundo o maestro Davidson Wilker, que há 6 anos está a frente da troça, o repertório para o FIG foi escolhido especialmente para “tocar o coração dos presentes. Escolhi de acordo com o mais anima o público e procurei frevos pouco tocados durante o ano”, comentou ao final da apresentação.

Para a estudante alagoana Ana Araújo da Silva, de 17 anos, que veio da cidade de Maceió com um grupo de amigas, para aproveitar o primeiro final de semana do festival, a apresentação também foi o momento para observar de perto os passos da dança e ouvir composições então desconhecidas por ela. “Eu já assisti a muitos momentos do carnaval pernambucano pela televisão e internet. Mas hoje, passando aqui por acaso, pude ter este contato mais próximo e estou bastante encantada”, comentou Ana, enquanto via a troça carnavalesca.

Levando ao polo a contagiante percussão de baque solto, o Maracatu Estrela de Ouro de Aliança agregou o simbolismo de luta pela sua manutenção cultural, originada em 1966, na zona rural da Mata Norte. Composto para o FIG com a corte de rei e rainha, além de caboclos de lança e oito integrantes da batucada, a agremiação, que foi reconhecida com o título de Patrimônio Vivo de Pernambuco em 2011, ressaltou a importância de ter participado do festival quando celebra em 2015, os seus 49 anos de tradição.

“É uma alegria imensa poder demonstrar a riqueza da Mata Norte na região do Agreste pernambucano, especialmente durante um festival tão importante para a nossa cultura”, disse José Lourenço da Silva, presidente do maracatu.

Normando Siqueira

Normando Siqueira

Projeto Roda de Sanfona lotando o polo de cultura popular, no FIG 2015.

Sendo um momento bastante esperado pelo público, o Projeto Roda de Sanfona possibilitou que 35 artistas e grupos de xote, baião e forró, dividissem o palco interpretando obras já consagradas no cenário cultural nordestino. Com declamações do poeta Sandoval Ferreira, referindo-se a canções deixadas como legado pelos mestres Dominguinhos e Luiz Gonzaga, o cantor Valmir Sobral e a Banda Fênix deram início aos tributos e também interpretaram diversos clássicos como ‘Estrada do Canindé’, ‘Sabiá’, ‘Espumas ao vento’ e ‘Filho do dono’.

Para o fotógrafo garanhuense Elias Fidélix, que compareceu ao polo especialmente para acompanhar o projeto, a iniciativa precisa ter mais oportunidades semelhantes na região, possibilitando uma maior visibilidade para os artistas populares de Pernambuco. “Os músicos do Agreste necessitam de mais espaços assim, para que suas produções culturais possam ser mais valorizadas. Achei excelente a execução do projeto durante o FIG”, opinou Elias.

Marcelo Soares/Secult-PE

Marcelo Soares/Secult-PE

Banda Musical Euterpina de Timbaúba

Finalizando as apresentações do Palco de Cultura Popular, a Banda Musical Euterpina de Timbaúba, Patrimônio Cultural de Pernambuco desde 2012, chegou em cortejo até o polo, entoando clássicos do frevo como ‘Trombone de Prata’, ‘Morena Tropicana’ e ‘Vassourinhas’. Após os integrantes subirem ao palco, o presidente da Associação Musical Euterpina, Eder Gomes, falou um sobre a apresentação da banda pela segunda vez durante o Festival de Inverno de Garanhuns.

“Viemos aqui para tocar a boa música, com gosto de bis e gosto de saudade. Através do título de Patrimônio Vivo que nos foi concedido, conseguimos o respaldo para seguir em frente, contribuindo também com os trabalhos de outras bandas filarmônicas em Pernambuco. Por isso, a apresentação desta noite possui um motivo mais que especial para todos os integrantes”, ressaltou Eder. A apresentação contou com a execução de ‘Luanda do Agora’, ‘Feira de Mangaio’, e interpretações de músicas clássicas internacionais.

E nesta segunda-feira (20), a animação no Palco de Cultura Popular continua! Confira a programação:

10h – Reisado Santíssimo Redentor
11h – Grupo Mix Pernambucano (danças populares – EREM Frei Caetano de Messina – Bom Conselho – GRE Garanhuns)
12h – Coco de Roda Panela de Barro
13h – Troça Carnavalesca Mista o Bagaço é Meu
14h – Afoxé Omin Sabá
15h – Clube de Bonecos Morena Tropicana
16h – Bloco Caravana Andaluza de Engenho Abreu
17h – Troça Carnavalesca Mista Os Ciganos
18h – As Filhas do Coco

< voltar para home