Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Formação Cultural

Cultura e potenciais turísticos do Sertão são debatidos no Museu Cais do Sertão

O evento acontece nesta terça-feira (16), com entrada livre

Francisco Andrade/Divulgação

Francisco Andrade/Divulgação

A roda de conversa começa às 14h30 e é aberta ao público

Nesta terça-feira (16), a partir das 14h30, o projeto Tengo Lengo Tengo promove, no Museu Cais do Sertão, a roda de conversa “Cultura e Potenciais Turísticos do Sertão”. O encontro, que conta com entrada gratuita e será realizado na Sala Todo Gonzaga, traz os produtores Anselmo Alves, Marcos Passos e Paulo Wanderley para o bate-papo sobre a riqueza cultural sertaneja.

O jornalista Anselmo Alves, um dos convidados, possui uma longa experiência profissional relacionada ao Sertão pernambucano, tendo integrado a equipe de consultores especialistas em Luiz Gonzaga e na cultura do Sertão para o projeto Cais do Sertão Luiz Gonzaga, do Ministério da Cultura (MinC). Também foi consultor da TV Globo para o ano do centenário do Rei do Baião. Além de ter atuado como curador e idealizador do Memorial Luiz Gonzaga, inaugurado em 2008 pela Prefeitura do Recife, no Pátio de São Pedro.

Produtor premiado, ele assina a concepção de mais de 19 documentários, entre eles, “A História dos Bonecos e dos Gigantes” (vencedor do Prêmio Cristina Tavares e Prêmio Cidade do Recife, em 2001, como Melhor Documentário) e “Luiz Gonzaga – A Luz dos Sertões”, de 1999, premiado como Melhor Documentário no Festival Jornada de Cinema e Vídeo da Bahia. A obra levou ainda os prêmios de Melhor Documentário do Festival de Cinema e Vídeo da Paraíba, em 2000, e Melhor Documentário do Festival de Vídeo da Cidade do Recife no mesmo ano.

Já Marcos Passos, natural de São José do Egito, berço de grandes poetas populares, é poeta declamador, apresentador, escritor e produtor cultural. Na roda de conversas, ele abordará as belezas do Sertão através de um viés poético. Com diversos livros publicados tendo o Sertão como principal tema, ele mantém o projeto itinerante “Cantos e Versos” e um programa de mesmo nome da TV Universitária – TVU, em parceria com o apresentador Tony Oliveira. Entre às obras de sua autoria estão “Antologia Poética Retratos do Sertão”, “Amores Perfeitos na Beira do Mar”, “João Paraibano, o Herdeiro dos Astros” (em parceria com Ésio Rafael e Santanna, O Cantador). Também possui um CD de poesias declamadas, o “Marcos Passos nos Passos do Sertão”, de 2017.

O terceiro convidado da roda de conversas, Paulo Wanderley, possui forte atuação na área cultural, tendo realizado uma extensa pesquisa sobre a vida e a obra de Luiz Gonzaga, Dominguinhos e Gonzaguinha. O trabalho abrange segmentos como o forró, o baião e o coco, além de trazer nomes como Marinês, Jackson do Pandeiro e Dominguinhos.

Wanderley participou do início até a implantação do projeto do Museu Cais do Sertão, possuindo uma grande coleção particular de discos compactos, de LPs e de 78 RPM do Rei do Baião, Jackson do Pandeiro e Dominguinhos. Como consultor, contribuiu para diversos trabalhos ligados ao universo sertanejo, como o filme “Gonzaga de Pai para Filho” e o programa “São João do Nordeste”, da TV Globo.

Tengo Lengo Tengo
O projeto Tengo Lengo Tengo homenageia os 30 anos da morte de Luiz Gonzaga e do Padre João Câncio, os criadores da Missa do Vaqueiro de Serrita, que acontece há 49 anos, sendo uma das mais importantes dos sertões. O projeto engloba uma exposição, lançamento de uma biografia sobre o pároco, a celebração da Missa do Vaqueiro na capital pernambucana e uma série de oficinas, mesas redondas, leituras e apresentações culturais que serão realizadas até o dia 27 de agosto.

A iniciativa é da Secretaria de Turismo e Lazer de Pernambuco, por meio da Empetur, em parceria com a Companhia Editora de Pernambuco (Cepe). A Janela Gestão de Projetos, de Dida Maia e Fernanda Ferrario, é responsável pela realização do projeto.

Serviço
Onde: Museu Cais do Sertão – Sala Todo Gonzaga (Av. Alfredo Lisboa, s/n – Recife)
Quando: Terça-feira, 16 de julho, às 14h
Acesso gratuito

< voltar para home