Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Formação Cultural

Grafite pelo fim da violência contra a mulher

Sexta edição do 'Cores Femininas' reúne grafiteiras e artistas urbanas com o lema #JuntasSomosMaisFortes

Andreza Eglenn /Divulgação

Andreza Eglenn /Divulgação

Jouse Barata (camiseta branca), coordenadora da ONG Cores do Amanhã, conta com o empenho de voluntárias para organização do encontro

Com informações da assessoria do evento

As cores produzidas pelas mãos de mulheres que atuam em diversas áreas das artes se unem para pedir um basta à violência contra a mulher durante a 6ª edição do Cores Femininas. O encontro, que acontece desta terça (25) até o próximo domingo (30), reúne grafiteiras e artistas urbanas, além de representantes dos elementos que formam o movimento Hip Hop para trocar experiências e dar visibilidade à produção das minas. Rodas de conversas, mutirões de grafitti, oficinas, batalhas de MC’s, recital de poesia e ações sociais que vão movimentar a comunidade do Jardim Planalto, no Totó, localizada ao lado do Complexo Prisional do Curado, onde fica a sede da organização não governamental Cores do Amanhã, que realiza o encontro pelo sexto ano consecutivo.

A programação também se estende para outras áreas da cidade, onde as minas vão deixar suas marcas em muros previamente autorizados. “#JuntasSomosMaisfortes Pelo Fim da Violência Contras as Mulheres” é o lema da edição deste ano, que vai reunir artistas pernambucanas e de outros 10 Estados, além de grafiteiras de fora do país, que realizaram suas inscrições via internet. Mais de 150 mulheres já confirmaram presença. Este ano, o encontro também receberá representantes do México, Chile e Argentina. Esse intercâmbio já vem ocorrendo em outras edições e tem possibilitado a troca de referencias e o fortalecimento dos diversos expoentes da arte urbana produzida pelas mulheres.

O encontro conta com apoio das prefeituras de Rio Formoso e do Recife, além da Secretaria da Mulher do Estado, mas todo planejamento e organização são assumidos pelas voluntárias. São mulheres de diversas áreas de atuação (artistas, comunicadoras, arte educadoras, etc) que se revezam entre várias funções numa demonstração de união que nasceu com o objetivo de fortalecer as minas que atuam no campo das artes, principalmente as que vivem na periferia. “A arte também é uma forma de expressar o que pensamos e sentimos. Queremos que mais mulheres tenham espaço para mostrar o que pensam e sentem a respeito do país ou de suas próprias vidas”, diz Jouse Barata, grafiteira e coordenadora do encontro.

A abertura oficial do evento acontece na noite da terça (25), no auditório do CEDIM (Rua Alfredo Lisboa, 188 – 1º andar – Recife Antigo) e será fechada para as artistas inscritas por causa da limitação de capacidade do espaço. Ao longo de toda semana, uma vasta programação vai discutir o empoderamento feminino por meio da arte, além de promover ações para os moradores da comunidade do Totó. Na sexta (28), quando será o encerramento das atividades no Recife, haverá uma festa aberta ao público no Museu de Artes Afro-Brasil Rolando Toro, no Recife Antigo, que contará com apresentações de b´girls, MC’s e uma feira de arte. A entrada é franca.

Inclusão social e sororidade
Como em todas as edições, o Cores Femininas usa a arte produzida pelas artistas participantes para promover a inclusão social de mulheres e adolescentes. Este ano, as artistas vão realizar um dia de atividades na Unidade Prisional Feminina de Abreu e Lima. As reeducandas vão participar de uma roda de conversa sobre violência, oficina de graffiti e dança e haverá a pintura de um mural com o tema “Por uma cultura de paz”. As mulheres que cumprem pena na Colônia Penal Feminina Bom Pastor também serão presenteadas. Os muros que ficam em frente à unidade prisional vão abrigar o painel oficial do encontro e receberão as cores femininas pedindo o fim da violência contras as mulheres e a união entre todas. “A ideia é deixar uma mensagem tanto para os familiares que passam diariamente pela penitenciaria como provocar a reflexão na comunidade local sobre a importância de se respeitar a mulher”, explica Jouse.

Após o encerramento no Recife, as artistas viajam para Rio Formoso, onde vão passar o fim de semana numa comunidade ribeirinha da cidade, localizada há 88 km da capital. Haverá uma roda de conversa com as pescadoras e marisqueiras da região, levando informações sobre saúde e autoestima, além de presenteá-las colorindo os barcos que usam para a pesca. “Todos os anos, escolhemos uma comunidade para promover ações e contribuir para o empoderamento das mulheres. É uma forma de usar a nossa arte em prol de pessoas que vivem em áreas de vulnerabilidade social”, completa Jouse, fundadora da ONG Cores do Amanhã, que realiza um trabalho de inclusão por meio da arte com crianças e adolescentes do Totó.

SERVIÇO
Cores Femininas 2016
De 25 a 30 de outubro
Sede Cores do Amanhã (Rua Garota de Ipanema, Box 2, Totó)
Mutirões de graffiti, rodas de conversa, cine debate, oficinas, batalhas de MC’s, apresentações de b’girls, feira de artesanato e muito mais.
Informações: 81 8876.3593
PROGRAMAÇÃO COMPLETA

⦁ 25.10 – Terça (Sede do Cores do Amanhã)
8:30 – Boas vindas com café da manhã coletivo
Apresentação inicial com a fala da coordenadora do encontro, Jouse Barata e roda de diálogo promovida pelo coletivo de mulheres negras “Filhas do Vento” com o tema: “Mulheres negras e suas lutas”;

13:30h às 17h- Tarde de Oficinas na Comunidade do Totó (Sede do Cores do Amanhã)
Atividades: Oficinas de Tranças (com Raquel Araújo); Yoga (Rosália); Pintura em garrafa (Nathe); Poesia (MC Bellator); Beleza (Embeleze); Serviços de saúde (Sec. de Saúde e Alunos do Grau Técnico); Secretaria de Enfrentamento ao Crack e outras Drogas.;
Apresentação com alunas da Casa Menina Mulher.

19h – Abertura Oficial do Cores Femininas 2016 (Auditório do CEDIM – Rua Alfredo Lisboa,188 – 1º andar – Recife Antigo)

⦁ 26.10 – Quarta (Recife)
Das 9h às 17h – Ação na Unidade Prisional Feminina de Abreu e Lima
Atividades:
Roda de dialogo sobre “Saúde – Outubro Rosa” e “Cultura de Paz”
Oficinas: break dance, música, graffiti em camisas e dança popular; Pintura do painel interno (Mulheres e suas lutas);

⦁ 27.10 – Quinta (Em Recife)
8h – Pintura do Muro Oficial do Cores Femininas 2016
(Local: Escola e Creche em frente ao Presidio Bom Pastor – no Engenho do Meio)
TEMA: “Pelo fim da violência contra as mulheres”.

⦁ 28.10 – Sexta (Recife)
8h – Finalização do Muro em frente ao Bom Pastor
18h – Cine Debate com Rebecca França (Coletivo Marcha das Vadias)
Apresentações com Mc´s , DJ, Bgir´s e feirinha de arte

29.10 – Sábado (Rio Formoso)
8h – Pintura dos barcos na Vila dos Pescadores e Pescadoras
Almoço coletivo;
19h – Noite de Confraternização com Mc’s, Bgirls e Maracatu Flores do Monte

30.10 – Domingo (Rio Formoso)
8h – Conhecendo a comunidade Ribeirinha e seus Encantos
Vivência – Resistência das Mulheres na Pesca;

< voltar para home