Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Formação Cultural

Oficina de inovação em dança contempla diversidade de estéticas

Baseadas em pesquisa e criação autoral de André Aguiar, aulas seguem até 7 dezembro no Marco Pernambucano da Moda. Pessoas trans tem 5% de desconto

Amanda Duarte

Amanda Duarte

Método autoral de André Aguiar propõe intercâmbio de diferentes danças, técnicas corporais e inovações tecnológicas

Com o intuito de estimular maior respeito às diferenças estéticas, o bailarino e professor André Aguiar está oferecendo oficina de inovação em dança. As aulas acontecem nas segundas e quartas, no espaço do Marco Pernambucano da Moda, na Rua da Moeda,  das 18:30 às 19:30h, até o dia 7 de dezembro.

Dançantes, iniciantes e iniciados poderão vivenciar técnicas de linguagem autoral e massiva, improvisação, composição coreográfica e intervenção urbana, assim como a utilização de tecnologias para investigar as relações de estímulos do prazer corporal através da dança. As atividades também contam com debates coletivos, informando e discutindo questões emergentes sobre formação cultural, estética e cinesiológica.

Entre os diferenciais está a utilização de tecnologias como o celular para gravar videodanças e fazer intervenções urbanas com transmissões ao vivo. Além disso, a oficina propõe a diluição da imposição de gênero para que as pessoas tenham maior liberdade de expressão e possam escolher a forma como desejam dançar.

Natália Ribeiro

Natália Ribeiro

Além da prática, aulas contam com debates e reflexões críticas sobre formação cultural, estética e cinesiológica

“A cultura do binarismo de gênero vem coibindo a forma das pessoas dançarem. Nas aulas convencionais, o órgão reprodutor define a forma como o ser deve se mover. Nas minhas aulas, quando abordamos as danças praticadas em pares, como o forró, o homem pode se deixar comandar e, a mulher, a conduzir”, explica André. “O homem não deve ser sempre masculino e a mulher feminina, eles podem se expressar da maneira que desejarem. Mulher pode dançar com mulher, homem  também com homem. Com o tempo as pessoas percebem que isso não muda a sexualidade de ninguém.”

Nesse sentido, André está oferecendo 5% de desconto para pessoas trans. “Vivemos num país que mais mata pessoas trans no mundo e a falta do debate de gênero e sexualidade na mídia massiva, na escola e em casa, faz com que transexuais e travestis sejam oprimidos. Divulgar esse aporte é oferecer visibilidade e debate a esta temática, o que ajuda a minimizar fobias. É, também, estimular trans a cada vez mais conviver em ambientes que lhes oportunize qualificação,  emprego, aceitação, socialização e empoderamento suficiente para conquistarem qualidade de vida”, defende o professor.

Formado na primeira turma de Licenciatura em Dança da UFPE, André Aguiar tem uma concepção de dança que busca estimular a criatividade artística também em danças massivas como o brega e pop, desmistificando a ideia de que o balé clássico é a base para se dançar. Suas aulas não se reduzem a gêneros específicos de dança, mas ao intercâmbio dos gêneros autoral, massivo, regional e tradicional.

Amanda Duarte

Amanda Duarte

André Aguiar busca romper a fronteira entre dança da periferia e da elite

“Proponho a diluição da ideia de que existe uma cultura superior à outra. Quem gosta de dançar Pink Floyd ou um clássico como Chopin, não é melhor de quem gosta de dançar Hip Hop, Funk ou Brega. Nas aulas, há intercâmbio das estéticas consumidas e empreendidas tanto pela periferia como pela elite.”

Mais do que ensinar passos pré-concebidos de gêneros já conhecidos, o bailarino se dispõe a ensinar princípios de movimento e também explorar músicas e movimentos sugeridos pelos alunos, desde músicas clássicas, passando por eletrônicas como os temas de videogame. “Não me interessa uma pedagogia autoritária em que somente o educador escolhe as músicas que vão tocar nas aulas e os passos que os alunos devem executar. As pessoas podem se sentir mais empoderadas para escolher a forma mais prazerosa de se mover.”

André Aguiar já participou  de diferentes ambientes artísticos, entre eles o Grupo de Dança Contato, Espaço Experimental, a Compassos Cia de Danças e a Guerreiros do Passo, além de projetos de pesquisa como Dramaturgia da Dança Contemporânea: os Artistas Independentes no Recife de 2000 a 2010 e Corpo Memória: Processos de subjetivação em Dança.

Vanessa Alcântara

Vanessa Alcântara

Uma das principais contribuições da oficina é diluição da imposição de gênero

Serviço

Oficina de Inovação em Dança com André Aguiar

Até 7 de dezembro

Segundas e quartas, das 18h30 às 19h30

Marco Pernambucano da Moda (Rua da Moeda, 46, Recife Antigo)

PROMOÇÃO DE INAUGURAÇÃO

* Valor 8 aulas por mês = R$ 150
* Trans tem 5%
* As 2 primeiras pessoas têm 10% de desconto
* Matricule-se com + 2 amigs e ganhem 10%
* Primeira aula é gratuita
válida até o dia 21.09

Mais informações: 98692.3329 | www.andre-aguiar.com

< voltar para home