Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

11ª Festa dos Tambores ocupa os territórios da Bomba do Hemetério

Divulgação

Divulgação

O Afoxé Alafin Oyó será uma das atrações do evento

Com o intuito de convergir entidades que buscam a preservação de suas identidades ancestrais, será realizada no próximo domingo (10), a partir das 17h, a “11ª Festa dos Tambores: Alimentando a cultura de raiz”, na sede da Escola Gigante do Samba e arredores, região pertencente ao polo cultural da Bomba do Hemetério. O evento, promovido pelo Afoxé Povo de Ogunté, é tido como um momento de celebração festiva e religiosa que favorece a sensibilização da população em geral a respeito da existência e da importância dessas heranças. A Festa é realizada graças ao Sistema de Incentivo à Cultura do Recife, por meio do edital de Fundo de Incentivo à Cultura.

Nesta edição, o evento contará com um cortejo pelas ruas próximas à quadra da escola de samba, puxado pelos grupos de afoxé Alafin Oyó, Obá Iroko, Omô Obá Dê e Povo de Ogunté, todos escolhidos de forma coletiva pela União dos Afoxés de Pernambuco (UAPE), o maracatu Raízes de Pai Adão e a bateria da Gigante do Samba. Após o desfile pelas ruas, o Afoxé Povo de Ogunté e os grupos Batuketu e Bongar farão shows no palco interno. Na ocasião, além da dança e da música, o público irá desfrutar de outro importante elemento cultural desse povo que é a culinária afro-brasileira. Haverá pratos dedicados aos orixás, preparados por Yabás de diversos terreiros do Recife, seguindo suas tradições.

No encontro, serão homenageados dois importantes líderes de suas comunidades: os babalorixás Manoel do Nascimento Costa (Papai), 82 anos, e Ivo do Xambá. Manoel é neto do inesquecível Pai Adão, filho de Djanira Alves (mãe Janda de Oxum) e José Romão da Costa de Ogum, ele sempre esteve ao lado de seu pai nos rituais e tradições da nação Nagô Egbá, tendo sido iniciado para o orixá Iemanjá na sua adolescência. Ele assumiu o terreiro Obá Ogunté na – quarta sucessão do terreiro, dirige o Ilê Axé há mais de 40 anos e mantém a responsabilidade de preservar e cultuar o Nagô Egbá em Pernambuco. Jornalista por profissão, foi centro de várias pesquisas para produção de livros e diversas faculdades. É reconhecido entre os babalorixás do Estado como a primeira liderança religiosa a assumir a Casa Matriz de Pernambuco da Comunidade Afrodescendente.

O outro homenageado, Adeildo Paraíso da Silva, mais conhecido como Ivo do Xambá, filho de Oxum, tem 68 anos e é primogênito da inesquecível Severina Paraíso da Silva – Mãe Biu, segunda Yalorixá do Terreiro Santa Bárbara e de José Martins da Silva, filho de Ogum. Mãe Biu manteve Ivo sempre ao seu lado, ensinando os rituais e as tradições religiosas da Nação Xambá. Ainda criança, Ivo já cantava e tocava para os Orixás e, aos dez anos de idade, foi iniciado, sendo consagrado a Oxum. Com o falecimento de Mãe Biu, em 1993, Ivo assume, junto com sua tia Donatila Paraíso do Nascimento – Mãe Tila, os destinos da Casa, iniciado pelo Babalorixá Manoel Mariano da Silva. Após o falecimento de Mãe Tila em 2003, Ivo assume a direção do Terreiro, com a responsabilidade de preservar o Culto aos Orixás, segundo os ritos do Povo Xambá. Conciliando sua atuação de líder classista, como presidente do Sindicato dos Estivadores, ele se destaca entre os Babalorixás do Estado, como uma das principais lideranças religiosas da comunidade afrodescendente.

A Festa dos Tambores é realizada desde 2009 pelo Afoxé Povo de Ogunté. Como parte do evento, será realizada ainda uma aula espetáculo como ação de formação de plateia e educação patrimonial em uma escola pública municipal do entorno, ainda em definição, visando a sensibilização de toda comunidade escolar para a importância da temática da história e cultura afro-brasileira.

Serviço
11ª Festa dos Tambores: Alimentando a cultura de raiz
Quando: 10 de abril de 2022 (domingo), às 17h
Onde: Sede da Gigante do Samba e arredores, região pertencente ao polo cultural da Bomba do Hemetério
Atrações: Cortejo pelas ruas próximas à quadra da escola de samba, puxado pelos grupos de afoxé Alafin Oyó, Obá Iroko, Omô Obá Dê e Povo de Ogunté. Depois apresentação do Afoxé Povo de Ogunté e shows dos grupos Batuketu e Bongar no palco interno da Gigante do Samba. O público também irá desfrutar da culinária afro-brasileira.
Acesso gratuito

< voltar para home