Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

Editais do Funcultura Audiovisual aprovam 145 projetos em todo o Estado

Governo de Pernambuco, por meio da Secult/Fundarpe, destinará R$ 18,5 milhões em incentivo direto para o setor

O Governo de Pernambuco, por meio da Secult/Fundarpe, divulgou neste sábado (14) a lista de projetos contemplados com recursos dos 12º e 13º Editais do Funcultura Audiovisual. No total, o volume de recursos que irá circular na cadeia produtiva do setor supera R$ 18,5 milhões. O valor – que já seria considerado relevante em situações normais – vem num momento importante para a classe artística, que está impedida de trabalhar por conta da pandemia.

Os dois editais receberam inscrições de 588 projetos, dos quais 145 foram selecionados e todo o valor investido nos dois certames sairão do orçamento do Governo Estadual.

Como em todas as edições anteriores, o processo seletivo contou com três fases: análise documental, julgamento do mérito cultural e defesa oral. Os projetos foram julgados por grupos de especialistas com notório saber, indicados pelo Conselho Consultivo do Audiovisual de Pernambuco. Ainda que todas as fases tenham sido executadas com todo rigor técnico e regimental, a crise provocada pela pandemia de Covid-19, no Brasil e no mundo este ano, exigiu uma série de adaptações ao processo e lançou desafios de ordens logística e financeira para a gestão.

“A necessidade abrupta de isolamento social modificou a rotina de trabalho de profissionais do mundo todo, e no Funcultura não foi diferente: entrou em cena o home office e com ele a mudança de processos, a revisão das atividades e a reorganização dos calendários. Não haveria outra forma de lidar, senão cumprir todas as recomendações dos órgãos competentes e especialistas, com o objetivo maior de salvar a vida das pessoas”, frisou o presidente da Fundarpe, Marcelo Canuto.

Segundo o gestor, apesar de tudo isso, a gestão estadual manteve seu compromisso com o fomento e incentivo à cadeia cultural do Estado. “Essa situação fez-nos sentir mais fortemente a crise e as dificuldades inerentes a todas as mudanças trazidas pela pandemia. Porém, foi também o momento de reafirmar o compromisso da gestão com o conjunto de políticas estruturadoras de cultura pactuadas com a sociedade”, afirmou Canuto.

Já o secretário estadual de Cultura, Gilberto Freyre Neto, ressaltou que “o resultado final com a lista dos 145 contemplados é consequência do compromisso e empenho das equipes da Fundarpe, do Funcultura e da Secult-PE, em especial da Coordenadoria do Audiovisual. É, também, fruto do diálogo com o conselho e a Comissão Deliberativa do Funcultura, que estiveram juntos e solidários em construir alternativas viáveis para o cumprindo das atividades e do cronograma assumido pela gestão perante a cadeia produtiva do audiovisual”.

DEMOCRATIZAÇÃO
Considerando os dois editais, a distribuição territorial dos projetos selecionados foi destaque este ano. Os proponentes residentes no interior do Estado representam 42,8% dos projetos aprovados. A superintendente de Gestão do Funcultura, Aline Oliveira, sublinhou que “essa taxa de regionalização dos projetos representa um avanço importante para a democratização das políticas de fomento à cultura, em especial para o audiovisual. Este número é fruto do aperfeiçoamento dos editais, realizado por meio do diálogo permanente com as entidades representativas do setor”.

Outro número importante foi o de mulheres nos cargos de direção e de roteiristas das obras audiovisuais aprovadas. As pessoas identificadas com o gênero feminino que ocupam estas funções representaram 46,5% do total dos dois editais. Para profissionais negro(a)s nestas mesmas funções a taxa é de 33%.

Ainda cabe destacar que, em relação  à acessibilidade, o Funcultura Audiovisual estabeleceu critérios de pontuação específicos. Cerca de 58% dos projetos aprovados em ambos os editais contam com recursos de acessibilidade.

EXIGÊNCIAS
A partir da próxima segunda-feira (16), o Funcultura inicia a análise orçamentária dos projetos aprovados e a entrega das exigências para atualização das documentações. A elaboração e assinatura dos Termos de Compromisso dos projetos selecionados estão previstas para começarem no mês de dezembro.

FUNCULTURA AUDIOVISUAL
Criado pelo Governo do Estado de Pernambuco em 2008, o edital do Funcultura Audiovisual é o principal instrumento de fomento e difusão da produção à cadeia audiovisual pernambucana. Ao longo desses 12 anos, foram investidos mais de 140 milhões em projetos ligados à área, que, além de longas e curtas-metragens, contempla produtos para TV, formação, difusão e pesquisa, cineclubismos, games e webséries.

Dentre os principais filmes produzidos no Estado com os recursos do Funcultura Audiovisual, destacam-se: “Amor, Plástico e Barulho”, Renata Pinheiro; “Big Jato”, Cláudio Assis; “O Som ao Redor”, “Aquarius” e “Bacurau”; Kléber Mendonça Filho; “Tatuagem”, Hilton Lacerda; “Boi Neon”, Gabriel Mascaro; “Sangue Azul”, Lírio Ferreira; “Açúcar”, Renata Pinheiro e Sérgio Oliveira; “A História da Eternidade” e “King Kong en Asunción”, Camilo Cavalcante; “Joaquim”, Marcelo Gomes; e “Uma passagem para Mário”, Eric Laurence.

LINKS
Confira aqui o resultado final do 12º Edital Funcultura Audiovisual.
Confira aqui os documentos relacionados ao 12º Edital Funcultura Audiovisual.

Confira aqui o resultado final do 13º Edital Funcultura Audiovisual.
Confira aqui os documentos relacionados ao 13º Edital Funcultura Audiovisual.

< voltar para home