Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

25ª edição do Festival Rec-Beat é marcada por diversidade musical

Com incentivo do Funcultura, o festival celebra aniversário com mistura de estilos e gêneros e presença de nomes como Emicida, Johnny Hooker, Karina Buhr, Omulu, Liniker e os Caramelows e Hot & Oreia

Ariel Martini/Divulgação

Ariel Martini/Divulgação

Montado às margens do Rio Capibaribe, o palco do Rec-Beat fica tomado pelo público, durante os dias da Folia de Momo

O Rec-Beat celebra seus 25 anos de música e prepara uma festa com bastante diversidade sonora, tendências musicais, experiências estéticas e atrações que se conectam com a história do festival. Os shows acontecem entre os dias 22 e 25 de março, no Cais da Alfândega, no Carnaval do Recife, com entrada gratuita.

Entre as atrações desta edição estão o rapper Emicida, a banda Liniker e os Caramelows, a multiartista Karina Buhr, a cantora Flaira Ferro, a dupla Hot & Oreia, DJ Dolores, o músico Martins e as cantoras Josyara e Ana Frango Elétrico, todos trazendo discos inéditos ao Recife. Ainda se apresentam na programação o carioca Omulu, BAD DO BAIRRO (projeto que une a rapper Jup do Bairro e a produtora Badsista), Carfunas Fulni-ô, Black Flower (Bélgica), Guts (França), N3rdistan (Marrocos) e o alemão Daniel Haaksman que encerra a última noite do festival com uma versão especial da Festa Balbúrdia. Teremos ainda Johnny Hooker em um show repleto de hits que se conecta com suas passagens antológicas pelo festival.

O Festival Rec-Beat é uma realização Rec-Beat Produções, com patrocínio Prefeitura do Recife e Cepe, incentivo do Governo do Estado, por meio dos recursos do Funcultura, apoio Copergás, Consulado Geral da França para o Nordeste em Recife, Consulado Geral da República Federal da Alemanha em Recife, Goethe Institut, Vila Sul, Paço Alfândega e Pitú. Mídias parceiras Revista Continente, OGrito! e rádio oficial Frei Caneca FM.

Pioneiro em escalar diferentes cenas musicais e tendências sonoras no mesmo palco, o Rec-Beat reforça sua vocação de ser um espaço livre para experimentações de todo tipo, do rap ao brega, passando pela música eletrônica, frevo, rock e funk. Essa proposta do festival é potencializada pelo público igualmente diversificado, uma plateia de foliões interessada em viver experiências únicas em pleno Carnaval e com ouvidos e mentes abertas para diferentes estilos e sons.

Felipe Souto Maior/Secult-PE/Fundarpe

Felipe Souto Maior/Secult-PE/Fundarpe

O rapper Emicida se apresenta no dia 24/2 (segunda-feira), no palco do Rec-Beat

Este ano o festival aparece como uma vitrine dos principais lançamentos da música pop recente do país. Emicida lança por aqui o seu novo trabalho, AmarElo, um álbum que rompe com expectativas do gênero ao propor um olhar positivo da vivência negra nas letras ao mesmo tempo em que destaca uma mistura de ritmos. Falando sobre superação, autoestima e questões sociais, ele ousa unir o rap com diferentes gêneros da música brasileira (que ele chama de “neo-samba”). O show de Emicida tem a chancela Frei Caneca FM Convida, uma parceria com a emissora recifense que é rádio oficial do festival.

A Frei Caneca FM Convida traz também o grupo paulista Liniker e os Caramelows. A banda apresenta o show do mais recente disco, Goela Abaixo, um dos mais importantes trabalhos lançados recentemente no País. O novo álbum chega inspirado pela musicalidade do Nordeste da África e também da América Central, sem, contudo, tirar os pés do Brasil. A presença de Liniker na comemoração dos 25 anos do Rec-Beat é bem especial. A cantora e compositora fez seu primeiro show em festivais no Rec-Beat 2016, meses antes de lançar o seu disco de estreia, Remonta, que a colocaria como um dos principais destaques na nova cena pop brasileira.

Quem também lança disco no festival é Karina Buhr, que retorna ao palco do Cais da Alfândega com seu trabalho mais recente, Desmanche. O show de Karina tem assinatura Revista Continente Convida, parceria com a mais importante publicação impressa de arte e cultura feita no Estado, da editora Cepe. Este quarto álbum de Karina Buhr traz letras que falam do sentimento atual de instabilidade no país e comenta sobre o desmanche político e social que vivemos. Mas o trabalho também mostra que é preciso respirar, e por isso temos a presença de uma poética que pede serenidade e humor para lidar com o mundo ao nosso redor.

A cantora e compositora recifense Flaira Ferro, outra atração deste ano, vem se destacando no cenário da música independente e autoral nordestina e faz no Rec-Beat o show oficial de lançamento do seu novo disco, Virada no Jiraya. O projeto Estesia chega ao Cais com participação do MC Draak em um show que une brega funk e trap em um espetáculo de luz e batidas feitas ao vivo.

O Rec-Beat também abre espaço para manifestações populares com a presença do projeto Cafurnas Fulni-ô, que tem como proposta divulgar cantos da tribo indígena Fulni-ô. O grupo traz o álbum homônimo lançado no ano passado e todo cantado em Yaathe, língua nativa do povo. Cerca de oito mil indígenas da tribo vivem atualmente próximo ao município de Águas Belas e tem nas suas músicas e danças tradicionais sua maior riqueza.

Costa Neto/Secult-PE/Fundarpe

Costa Neto/Secult-PE/Fundarpe

O cantor pernambucano Johnny Hooker encerra a programação do festival no dia 25/2 (terça-feira)

O festival comemora os 25 anos com a presença de artistas que fazem parte da história do festival e cujos shows ainda estão presentes no imaginário do público. É o caso de Johnny Hooker, uma das maiores estrelas pop de Pernambuco, que traz ao Cais sua mistura original de brega, rock e pop em uma apresentação de bastante emotividade. Outros velhos conhecidos também estarão presentes nesta festa: DJ Dolores chega com o seu elogiado projeto, Recife 19, um passeio pela cultura pernambucana apoiado em bases eletrônicas contemporâneas.

Um dos responsáveis pela renovação da eletrônica no Brasil, Omulu retorna ao Rec-Beat uma mistura poderosa de ritmos brasileiros com batidas pesadas. Ele já remixou e lançou parcerias que vão do experimental de Arto Lindsay ao popular de Wesley Safadão, passando por Elza Soares e BaianaSystem. Sua presença é parte da celebração de aniversário do Rec-Beat com o retorno de artistas responsáveis por shows históricos no Cais.

Falando em batidas, a programação também reúne o melhor da noite pernambucana e brasileira com o destaque para uma escalação de DJs formada apenas por mulheres. Libra é uma artista visual e DJ com um set que mistura break, afrobeat e techno. Já Milena Cinismo é atriz, modela e DJ e se inspira no hip hop e afrohouse para montar suas discotecagens. Teremos ainda DJ Punny, poeta e DJ que une o universo do brega e do funk e DJ Nadejda, veterana da cena eletrônica que traz diferentes estilos e tendências em seu set.

Atrações internacionais
Como todos os anos, o Rec-Beat aponta seu radar para as mais interessantes tendências sonoras internacionais. Este ano estarão presentes no festival nomes da Bélgica, Alemanha, França, Marrocos e Ilha da Providência. O produtor e DJ alemão Daniel Haaksman traz seu setlist instigante de baile funk, afro house, moombathon e kuduro. Seu show encerra o festival e terá a chancela da Festa Balbúrdia, um dos mais bombados eventos da noite recifense, que faz uma participação especial no Carnaval.

Residente em Ibiza e com estrada pelas pistas mais instigadas do circuito de shows europeus, o DJ e produtor Guts, outra atração internacional deste ano, traz um show que mistura batidas experimentais com influências tropicais, afrobeat, trance, jazz e funk brasileiro. Os belgas do Black Flower apresentam um jazz híbrido baseado em ritmos africanos, melodias etio-orientais e dub psicodélico.

Guiado pelas energias do Oriente Médio, o duo marroquino N3rdistan (formado pelo produtor e compositor Walead Ben Selim e a cantora Widad Broco) traz uma música eletrônica com influências da música árabe tradicional, poesia arábica, toques africanos unidos aos gênero conhecidos como rock, trip hop e electro.

Por fim, o músico e compositor nascido em Ilha de Providência, Elkin Robinson leva os sabores do Caribe colombiano para os palcos com uma música que mistura calypso e zouke com instrumentos como guitarra acústica típicos como tináfono em letras cantadas em criolo.

A nova música BR
Nesta edição de 25 anos, o Rec-Beat segue olhando adiante e apresenta artistas que estão propondo inovações estéticas e discutindo temas bastante atuais. É o caso de Hot & Oreia, dupla mineira que faz um rap cheio de sátira, humor, crítica social e muito estilo. Revelação do gênero no cenário nacional, o duo aborda questões sensíveis e urgentes da sociedade atual, como violência, exclusão social e preconceito de classe. Na sonoridade, a dupla inova no rap ao introduzir linguagens e estéticas que fogem ao tradicional padrão do estilo.

BAD DO BAIRRO é o projeto que une duas das principais artistas do underground, Badsista e Jup do Bairro. Badsista é uma das principais produtoras do país e trabalhou como diretora do disco Pajubá, de Linn da Quebrada. A rapper Jup do Bairro traz em sua voz grave as vivências que colocam em pauta narrativas que atravessam seu corpo de travesti, preta, gorda e periférica. Jup é apresentadora do programa de TV “TransMissão” e lançou em 2019 o EP Corpo Sem Juízo.

Na mesma pegada temos Nina Oliveira, uma das vozes mais fortes da nova geração de compositores e intérpretes no cenário nacional e que traz em sua música questões de vivência da mulher negra e periférica. De Recife temos a revelação do brega funk, Rayssa Dias, artista que vai do romântico ao batidão em letras com muita consciência de classe e pautas importantes como lgbtfobia e racismo.

E temos ainda a cantora, compositora e violonista baiana Josyara traz pela primeira vez a Pernambuco o show do seu segundo disco, Mansa Fúria. O disco é uma reconexão da artista com suas raízes do sertão baiano e explora o imaginário da região na sonoridade e nas letras.

Recbitinho
Os pequenos foliões já podem preparar as fantasias e correr pro Recbitinho. O mais divertido espaço infantil do Carnaval do Recife Antigo receberá as crianças e famílias nos dias 23, 24 e 25 de fevereiro no hall do Paço Alfândega, com entrada gratuita.

As atrações deste ano levarão brincadeiras, teatro, mágica e, claro, muita música para os festeiros de momo mirins. Se apresentam nesta edição Mariane Bigio e seu Bloco do Neném, Fada Magrinha, O Sambinha, Caboclinho Sete Flexas do Recife e o mágico Rodrigo Lima.

A curadoria do Recbitinho é assinada por Lulu Araújo, produtora, musicista e professora de música para crianças, com direção de Antonio Gutierrez, o Gutie, também diretor e idealizador do Rec-Beat. O evento tem apoio do Paço Alfândega.

25 anos de Rec-Beat
Criado em 1995, o Rec-Beat é hoje um dos mais importantes festivais de música do Brasil. Idealizado e produzido por Antonio Gutierrez, o Gutie, o evento construiu ao longo desses 25 anos uma história de sucesso e relevância, sobretudo pelo seu interesse em incentivar e dar visibilidade às diferentes sonoridades da música brasileira e internacional, com destaque para a presença afro-latino-americana.

Ao longo de sua história, não só acompanhou lado a lado todas as transformações da música local e nacional como foi um dos agentes dessas mudanças. Do manguebeat ao carimbó, passando pela eletrônica, jazz, rap, rock e brega-funk, o festival sempre celebrou a diversidade cultural que está no cerne do Carnaval da cidade.

O palco do Rec-Beat sempre busca proporcionar uma experiência inesquecível ao público ao propor o encontro de diferentes tribos, classes sociais, gênero, gerações, em um espaço democrático, livre e aberto a todo mundo. O Rec-Beat é hoje um dos epicentros da efervescência do Carnaval do Recife. A programação traz nomes nacionais e internacionais no já tradicional palco no Cais da Alfândega, sítio histórico da cidade, além de realizar atividades ao longo do ano e palcos especiais em outras cidades (Caruaru, Fortaleza, João Pessoa e São Paulo, entre outras, já receberam edições do Rec-Beat).

A arte oficial
A cada ano, o Rec-Beat convida um artista para criar uma obra inédita com sua própria interpretação sobre o festival. Para esta edição o convidado é Wes Gama, artista visual e muralista goiano que se inseriu nas artes urbanas nos anos 2000 através do graffiti. Em suas obras destaca o regionalismo brasileiro, sobretudo os trabalhadores do campo, a natureza, o cotidiano, os saberes e o imaginário da cultura popular brasileira, com uma paleta de cores vibrantes e traços marcantes.

A arte de WesGama para o Rec-Beat 2020 tem forte identificação com a terra, pois retrata as raízes brasileiras mais profundas. A floresta como fonte da vida, o índio – os povos originários, a criança como símbolo de renovação e futuro, os animais, com destaque para a capivara, presente no nome do rio Capibaribe, que ladeia o palco do Rec-Beat, e que na língua tupi significa “no rio das capivaras”, são os destaques da arte que procura dialogar com personagens em pauta no momento atual do país.

::PROGRAMAÇÃO DO 25º FESTIVAL REC-BEAT::

Sábado, dia 22/02/2020
19h00 – Estesia part. MC Draak (PE)
20h00 – Elkin Robinson (Ilha de Providência)
21h00 – Martins (PE)
22h00 – Rayssa Dias (PE)
23H10 – Hot & Oreia (MG)
00h30 – Karina Buhr (PE)
* DJ Punny (PE) nos intervalos

Domingo, dia 23/02/2020
19h30 – DJ Nadejda (PE)
20h00 – Nina Oliveira (SP)
21h00 – Josyara (BA)
22h00 – BAD DO BAIRRO (SP)
23h10 – N3rdistan (Marrocos)
00h30 – Omulu (RJ)

Segunda, dia 24/02/2020
19h30 – DJ Libra (PE)
20h00 – Ana Frango Elétrico (RJ)
21h00 – Flaira Ferro (PE)
22h00 – DJ Dolores & Recife 19 (PE)
23h10 – Guts (França)
00h30 – Emicida (SP)

Terça, dia 25/02/2020
19h00 – DJ Milena Cinismo (PE)
19h45 – Cafurnas Fulni-Ô (PE)
20h30 – Black Flower (Bélgica)
21h30 – Johnny Hooker (PE)
23h00 – Liniker e os Caramelows (SP)
00h30 – Festa Balbúrdia com Daniel Haaksman (Alemanha)

Serviço
Festival Rec-Beat – 25ª edição
Data: 22 a 25 de fevereiro de 2020  (sábado até a terça-feira de Carnaval)
Início: 19h30
Local: Cais da Alfândega, Recife, Pernambuco
GRATUITO, AO AR LIVRE, ABERTO AO PÚBLICO
Informações: www.recbeatfestival.com

RECBITINHO (infantil)
Data: 23 a 25 de fevereiro (domingo até a terça-feira de Carnaval)
Início: 15h30
Local: Hall do Paço Alfândega
R. Alfândega, 35 – Bairro do Recife
Programação: Mariane Bigio e Bloco do Neném, Fada Magrinha, O Sambinha, Caboclinho Sete Flexas do Recife e o mágico Rodrigo Lima.
GRATUITO

Edição especial em Caruaru
Data: 15 de fevereiro  (sábado)
Início: 16h
Local: Estação Ferroviária, centro, Caruaru, Pernambuco
Programação: Siba, Gabi da Pele Preta, Frente Cumbieiro (Colômbia) e DJ 440 (Terça do Vinil)
GRATUITO
Apoio da Prefeitura de Caruaru e Fundação de Cultura e Turismo

< voltar para home