Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

Casa Balea inaugura a exposição “Primal”, em Olinda

A Casa Balea abre, nesta quinta-feira (31), às 18h, a exposição “Primal”, com os artistas Demétrio Albuquerque e Glauber Arbos. A mostra, que conta com incentivo do Governo do Estado de Pernambuco, por meio do Funcultura, traz 20 peças entre esculturas, relevos e híbridos em cerâmica de primeira queima, argilas e detalhes em madeira e ferro. Serão nove peças do artista Demétrio Albuquerque, sete peças do artista Glauber Arbos, com duas pinturas; contando ainda com duas esculturas que os dois criaram juntos especialmente para essa exposição. A cultura popular e a arte moderna representadas e fantasiadas com uma forte sutileza regional.

“Demétrio e Arbos têm em comum um estudo do contemporâneo em confabulação com o regional”, explica a curadora da exposição Biatriz Arcoverde. Raoni Assis, que coordena a Casa Balea, conta que “a escolha do nome Primal remete ao primitivo, a cerâmica terracota traz este sentido original e terral. Eu sempre vi esse diálogo nos trabalhos dos dois artistas, mesmo que separadamente, agora promovemos este encontro no barro, na cerâmica de primeira queima e nas formas de criação em escultura e modelagem”.

Esta é a terceira exposição do projeto “Agregados”, que faz uma retomada da A Casa do Cachorro Preto, um espaço de arte e cultura de Olinda, onde hoje funciona a Casa Balea. Os dois artistas são participantes ativos das atividades da Casa e já fizeram exposições individuais na galeria.

ARTISTAS

Demétrio Albuquerque é natural de Teresina (PI) tem 61 anos e é arquiteto. É o escultor do Monumento Tortura Nunca Mais (rua da Aurora – Recife). São de sua autoria as estátuas do Circuito da Poesia do Recife, a de Naná Vasconcelos no Marco Zero , “A Pedra Jardim” de esculturas do Shopping Recife, Monumento a Augusto dos Anjos na Praia Pedro Américo, João Pessoa PB. Ganhou o prêmio João Turim (1991) de aquisição no Salão do Museu João Turim em Curitiba com as esculturas Prometeu e Andaluz. Morou no Japão, onde fez curso de cerâmica (yakimono), realizou a exposição Karada em Ashikaga-shi. Em 2015 realizou a Individual “Caminho da Pedra”, na galeria Janete Costa, projeto de Oscar Niemeyer em Recife.

Glauber Arbos é recifense, desenha desde criança. Sua identidade visual é facilmente reconhecida com pinturas de muros e paredes da cidade. As esculturas têm as mesmas características e são reconhecidas nas diversas exposições que acontecem no estado. Da arte popular do nordeste brasileiro até a ficção científica. Todo esse universo é regido pelos seres com formas que arremetem a natureza distante presente no imaginário do artista. As obras eclodem em explosões de cores e formas bem tratadas demonstrando uma arte cheia de referências, porém particular. Suas obras são ricas em cores e geometrias. Teve sua primeira exposição individual na Casa do Cachorro Preto.

Serviço
Exposição “Primal” – Demetrio Albuquerque e Glauber Arbos
Abertura: 31 de março (quinta-feira), às 18h
Visitação até 24 de abril, de quinta-feira a domingo, 16h às 22h
Casa Balea (Rua Treze de maio, 99 – Carmo – Olinda)

< voltar para home