Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

CINE PE consagra o longa pernambucano “Danado de Bom”

Financiado pelo Funcultura, do Governo de Pernambuco, o filme acompanhou João Silva, um dos últimos parceiros de Gonzaga, numa viagem pelo Sertão até sua terra natal

Daniela Nader

Daniela Nader

Tauana Uchôa,Carol Correia, Roberta Jansen e Mariana Brennand Fortes, ganhadoras do Cine PE 2016

*Com informações da assessoria

A 20ª edição do Cine PE chegou ao fim neste domingo (8) e consagrou o pernambucano Danado de Bom, primeiro longa da diretora Deby Brennand, com quatro troféus Calunga: Melhor Filme, Fotografia, Montagem e Edição de Som. O documentário acompanha o Mestre João Silva (1935-2003), grande compositor e parceiro de Luiz Gonzaga, em uma viagem pelo sertão até sua cidade natal, Arcoverde, em Pernambuco. O filme foi financiado com recursos do Funcultura, do Governo de Pernambuco, através da Secretaria de Cultura do Estado e da Fundarpe. Danado de Bom também foi o único documentário e o único longa pernambucano da competição, este ano.

O cineasta carioca Luiz Rosemberg Filho, que no festival apresentou o longa Guerra do Paraguay, recebeu a Calunga de Prêmio Especial do Júri pelo conjunto de sua obra e contribuição ao cinema nacional. A ficção Redemunho, de Marcélia Cartaxo, da Paraíba, ganhou o prêmio de melhor curta nacional. Na competição de curtas pernambucanos, o vencedor foi Maria, de Carol Correia. O júri oficial do Cine PE foi formado por João Batista de Andrade (diretor e produtor – SP), Guilherme Fiuza (diretor e produtor – MG), Angelisa Stein (produtora – RS), Odilon Wagner (ator – SP) e Ingra Liberato (atriz – BA).

PRÊMIO DA CRÍTICA – Composto pelos críticos JoãoNunes, André Dib, Andreia Castro, Marcos Santuário, Renato Hermsdorff e pelo professor de cinema da UFPE Claudio Bezerra, o júri da Abraccine (Associação Brasileira de Críticos de Cinema) concedeu a Calunga de melhor longa para Guerra do Paraguay, de Luiz Rosemberg Filho, e de melhor curta nacional para Pedro Bruscky, de Walter Carvalho.

PRÊMIO CANAL BRASIL – Com júri formado pelos jornalistas Maria do Rosário Caetano, Luiz Zanin Oricchio, Fabiano Ristow, Edu Fernandes, Ismaelino Pinto, Orlando Margarido e Julio Cavani, o Prêmio Canal Brasil elegeu como melhor curta Redemunho, de Marcélia Cartaxo. Com o objetivo estimular a nova geração de cineastas, o Canal Brasil oferece, nos principais festivais de cinema do país, um troféu e R$ 15 mil para o melhor filme de curta-metragem, que também é exibido em sua grade de programação.

A cerimônia de encerramento do Cine PE, realizada no Cinema São Luiz, contou com a presença de diretores, produtores e atores dos filmes concorrentes. Antes dapremiação, o público assistiu à primeira exibição do curta pernambucano de animação Pedrinho e a Chuteira da Sorte, de Marcos França; e do longa carioca Vidas Partidas, de Marcos Schechtman, em sessão hors concours. Rodado no Recife, Vidas Partidas é livremente inspirado nas alarmantes estatísticas de crimes praticados contra a mulher no Brasil e no mundo. Na história, Graça, interpretada por NauraSchneider, é uma mulher bem-sucedida e apaixonada que, depois de alguns anos casada, é vítima de um crime de violência doméstica no Brasil dos anos 80. Domingos Montagner é o marido, Raul, um homem sedutor que, por ciúme, transforma-se em algoz. O lançamento nacional está previsto para o dia 4 de agosto.

Realizado por Alfredo Bertini e Sandra Bertini, sócios da produtora BPE, o 20º Cine PE teve curadoria do jornalista e crítico de cinema Rodrigo Fonseca (longas e curtas nacionais)e de Sandra Bertini (curtas pernambucanos).

Mariana Guerra

Mariana Guerra

O festival premiou nas categorias longa metragem, curta nacionais e curtas pernambucanos

OS VENCEDORES DO CINE PE 2016

MOSTRA COMPETITIVA DE LONGAS

Melhor Filme: Danado de Bom (PE), de Deby Brennnad
Direção: Rodrigo Gava, por As Aventuras do Pequeno Colombo (RJ)
Roteiro: Caio Sóh, por Por Trás do Céu (SP)
Fotografia: Jane Malaquias, Pablo Nóbrega e Pedro Von Kruger, por Danado de Bom (PE)
Montagem: Jordana Berg, por Danado de Bom (PE)
Edição de Som: Ernesto Sena e Antonio de Pádua, por Danado de Bom (PE)
Trilha Sonora: Ary Sperling, por As Aventuras do Pequeno Colombo (RJ)
Direção de Arte: Ana Isaura, Zeno Zanardi e Kennedy Mariano, por Por Trás do Céu (SP)
Ator Coadjuvante: Renato Góes, por Por Trás do Céu (SP)
Atriz Coadjuvante: Paula Burlamaqui, por Por Trás do Céu(SP)
Ator: Felipe Kannenberg, por Leste Oeste (PR)
Atriz: Simone Iliescu, por Leste Oeste (PR)
Prêmio Especial do Júri: para o cineasta Luiz RosembergFilho, pelo conjunto de sua obra e contribuição ao cinema brasileiro
Prêmio da Crítica (júri da Abraccine): Guerra do Paraguay, de Luiz Rosemberg Filho (RJ)
Prêmio do Júri Popular: Por Trás do Céu, de Caio Sóh (SP)

MOSTRA COMPETITIVA DE CURTAS-METRAGENS NACIONAIS

Melhor Filme: Redemunho, de Marcélia Cartaxo (PB)
Direção: Marcello Sampaio, por O Coelho (RJ)
Roteiro: Marcélia Cartaxo e Virginia de Oliveira, por Redemunho (PB)
Atriz: Ingrid Cairo, por O Coelho (RJ)
Ator: Daniel Porpino, por Redemunho (PB)
Fotografia: Marcello Sampaio, por O Coelho (RJ)
Direção de Arte: Hermerson Souza, por This is not a Song ofHope (PE)
Edição de Som: Alexandre Barcellos e Felipe Mattar, por Das Águas que Passam (ES)
Trilha Sonora: Lívio Tragtemberg, Naná Vasconcellos e Villa Lobos, por Gramatyka (DF)
Montagem: Guto BR, por O Último Engolervilha II (RJ)
Prêmio do Júri Popular: O Coelho, de Marcello Sampaio(RJ)
Prêmio da Crítica (júri da Abraccine): Paulo Bruscky, de Walter Carvalho (PE)

Prêmio Canal Brasil: Redemunho, de Marcélia Cartaxo (PB)

MOSTRA COMPETITIVA DE CURTAS-METRAGENS PERNAMBUCANOS

Melhor Filme: Maria, de Carol Correia
Direção: Tauana Uchôa, por Não Tem Só Mandacaru
Prêmio do Júri Popular: Diva, de Luiz Rodrigues Jr.

< voltar para home