Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

Com incentivo do Funcultura, cidade de Tracunhaém conclui oficina de novos oleiros

A formação, coordenada pelo produtor cultural Gilson Xavier Silva, aconteceu no Ateliê do Mestre Zuza Batista, durante os meses de setembro e novembro, obedecendo às normas sanitárias

Gilson Xavier/Divulgação

Gilson Xavier/Divulgação

A iniciativa visa renovar a tradição da confecção de peças de barro na cidade

Tracunhaém, localizada na Mata Norte de Pernambuco, é conhecida como a cidade do artesanato em barro na região, passando de geração em geração a transmissão do saber na confecção de alguidares, pratos, potes e panelas até chegar no trabalho contemporâneo, imagens sacras e peças decorativas. Dentro dessa perspectiva, o município concluiu, neste sábado (21), a oficina de transformação do barro e formação de novos oleiros que, com incentivo do Governo do Estado de Pernambuco, por meio dos recursos do Funcultura, possibilitou a formação de diversos jovens e adultos interessados na arte do barro.

Coordenada pelo produtor cultural Gilson Xavier Silva, aconteceu no Ateliê do Mestre Zuza Batista, durante 12 sábados entre os meses de setembro e novembro, obedecendo às normas sanitárias: uso de máscaras, distanciamento e álcool em gel. “Aproveitando o espaço do ateliê para aprendizagem com a preocupação em criar mecanismos que venham a incentivar aos alunos a querer aprender, fazer, manusear o barro e criar suas próprias peças utilitárias, religiosos e decorativos, o curso visou formar pessoas interessadas nas técnicas de transformação do barro para a qualificação de novos oleiros no município de Tracunhaém e na confecção de peças utilitárias e decorativas. A oficina teve caráter técnico e de demonstração, ministrada pelo pelo Mestre Artesão: José Edvaldo Batista (Mestre Zuza), pelo Oleiro Valdick Graciano de Lima (artesão), pela professora Iranilda Maria Ribeiro (coordenadora pedagógica) e Ronaldo José dos Santos (Assistente), ambos tracunhaenses”, conta o idealizador da iniciativa.

A finalização do projeto, além da certificação dos participantes, contou com exposição de peças produzidas pelos alunos no Centro de Comercialização e Produção Artesanal de Tracunhaém (Colégio de Artes). “Atualmente em Tracunhaém, há poucos profissionais em atividade, muitos já falecidos e a transmissão dos saberes é de fundamental importância para a manutenção da cultura característica da cidade”, diz Gilson Xavier sobre a importância do projeto.

< voltar para home