Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

Com incentivo do Funcultura, Trupe Circuluz inicia projeto de pesquisa em teatro de rua

Fernando Timba

Divulgação

Um dos mais antigos brincantes de Mateus de Pernambuco, o Mestre Martelo Mateus, do Cavalo Marinho Estrela de Ouro-PE, abre a programação com a oficina “Mateus: o palhaço de cara preta”

A partir desta sexta-feira (19), brincantes, atores e atrizes, pesquisadores e artistas estão convidados a iniciar uma jornada de pesquisa e aprendizado no universo do Teatro de Rua. Trata-se do projeto O ator em situação de rua, da Trupe Circuluz, que tem início com oficina ministrada por Mestre Martelo Mateus do Cavalo Marinho Estrela de Ouro (PE). Ao longo de seis meses, a Trupe vai promover ações para investigar as singularidades da atuação em três eixos temáticos: Ator/atriz e processos criativos; Dramaturgia; e Espaço Cênico no Teatro de Rua. Diferentes pontos da região metropolitana do Recife serão picadeiro para as experimentações, abertas e gratuitas. O projeto tem apoio do Fundo Pernambucano de Incentivo à Cultura (Funcultura).

Um dos mais antigos brincantes de Mateus de Pernambuco, o Mestre Marcelo Mateus abre o projeto com a oficina Mateus: o palhaço de cara preta, que possibilitará aproximação com o jogo, corporeidade, musicalidade e comicidade próprias da atuação em espaços abertos. A oficina acontece na Sede da Capoeira Lua de São Jorge na Cidade Tabajara – Olinda, e às 19h, o encerramento é aberto ao público, em apresentação com participação do Grupo de Estudo em Cavalo Marinho Boi Chatim. Seu Martelo é uma figura, um palhaço, nascido em Nazaré da Mata, artista desde os 10 anos, quando brilhava os olhos diante das sambadas de cavalo-marinho nas vilas e terreiros da Zona da Mata. Já adentrou também a dança contemporânea, e por oito anos, dividiu a cena com o Grupo Grial de Dança, em espetáculos como A barca  e Castanho sua cor.

O projeto O ator em situação de rua promove também oficina também com Junio Santos, contemplando troca de saberes sobre sua experiência em Teatro de Rua, roda de brincadeiras e um  mergulho na poética e ludicidade da atuação em espaços públicos abertos, além de ser um convite a interagir e ressignificar simbologias, olhares, relações e formas de fazer.

Além das oficinas, a programação contará com Experimentos Vivências, um conjunto de seminários (3 deles abertos ao público) para leituras, estudos teóricos e debates com convidados em torno de três temáticas: Ator e Atriz – processos criativos; A cidade como espaço cênico; e Dramaturgia para o Teatro de Rua. Um dos seminários terá presença de intérprete em Libras. Paralelamente, haverão encontros teórico-práticos entre os pesquisadores, para aprofundamento e experimentação de repertório adquirido nas outras atividades. As oficinas e grupos de estudo priorizam atores e grupos de teatro, especialmente de Teatro de Rua, mas também brincantes, bailarinos, artistas em geral e pesquisadores da área.

A vivência também terá Escambos Populares, que consiste em diálogos com três brincadeiras populares – o Reisado, o Pastoril e o Cavalo Marinho, em bate papo com mestres, aproximando atores e atrizes de mundos que inspiram o trabalho nas ruas.O processo de pesquisa e experimentos vai culminar nas Intervenções quase espetaculares, com aplicações práticas, de interação entre espaço e público, uma mostra de esquetes construídas nas investigações. Acontecerão no centro e em comunidades das periferias do Recife, promovendo acesso a públicos diversos. O material resultante das vivências, fotografias e depoimentos em vídeo serão disponibilizados para visitação e estudos. Veja detalhes e programação: www.trupecirculuz.wixsite.com/circuluz

HISTÓRICO

A trupe Circuluz Cia de Artes foi criada em Olinda-Pe. Com cinco anos de estrada, é formada por artistas maranhenses e pernambucanos, e usa o Circo, o Teatro de Rua e a Cultura Popular como campos integrados para a criação e encenação. Busca constantemente a interlocução com o público e arte pública, e nesse sentido as praças, ruas, avenidas, pontes, viadutos e todo e qualquer lugar urbano são tomados como espaços de construção de encontros, “ludi-cidade” e arte.

Serviço: Projeto de pesquisa e experimentação “O ator em situação de Rua”
De agosto a dezembro de 2016
Oficina 1- Mateus: o palhaço de cara preta
Quando: 19 e 20 de agosto às 18h e 21 de agosto às 16h
Apresentação aberta ao público no domingo (21) às 19h
Onde: Sede da Capoeira Lua de São Jorge
Endereço: Rua Potiguar, n 29, Cidade Tabajara, Olinda – PE
Atividade gratuita
Mais informações: 081 9 9926-7112 / 9 9521-4506

< voltar para home