Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

Designer disponibiliza símbolos da cultura pernambucana para download

Com apoio do Funcultura, o projeto Pernambuco - Cultura em Símbolos, criado por Jorge Hopper, reúne um conjunto de ícones que representam nossas principais manifestações culturais

O projeto está dividido em três temas: Juninas, Carnaval e Diversidade

PE Cultura em Símbolos está dividido em três temas: Juninas, Carnaval e Diversidade

Designer há 26 anos, o pernambucano Jorge Hopper decidiu unir sua experiência de ilustrador à de diretor de arte/criação para criar um projeto especial para quem consome, produz e consome  a cultura pernambucana: o Pernambuco – Cultura em Símbolos (PECS). Com um conjunto de 78 ícones que representam as principais manifestações de nosso Estado, a iniciativa, contemplada pelo Funcultura, pode ser baixada/usada de maneira livre e sem custos para diversos fins: atividades lúdicas educativas e até comerciais. “A ideia [do PECS] é aproximar ainda mais o Governo do Estado dos agentes culturais pernambucanos, através da distribuição gratuita desses signos que são tão significativos para todos nós”, disse Hopper.

Designer responsável pelo projeto (Foto: Lívia Cajueiro/Divulgação)

Hopper criou o projeto que está disponível para download gratuito na internet (Foto: Lívia Cajueiro/Divulgação)

Dividido em três temas: Juninas, Carnaval e Diversidade, os arquivos do PECS vêm nas extensões AI e PDF, formatos “leves” e de fácil adaptação para outros suportes digitais. “Os ícones estão em preto e branco para o usuário possa colorir e compor como quiser e também confira personalidade própria aos seus projetos”, contou o idealizador. Confira a entrevista que Jorge Hopper concedeu ao Cultura.PE sobre o lançamento oficial da página do projeto:

1- Como surgiu o projeto Pernambuco Cultura em Símbolos?
Já desenvolvia estudos com elementos gráficos da nossa cultura e temas contemporâneos, sem muitas pretensões de editar ou publicar. Sou designer gráfico e publicitário, não um ilustrador, no sentido profissional. Mas, quando li o edital do Funcultura, ficou claro que aquilo que eu fazia se encaixava perfeitamente na proposta deles de difusão de cultura e saberes.

2- Quanto tempo você levou para reunir todo o acervo?
É difícil dizer quanto tempo eu levei no projeto, pois não segui um cronograma fixo. Às vezes, eu encontrava um filão temático e produzia uma boa sequência de símbolos rapidamente, e, em outras, passava um bom tempo garimpando elementos e demorava a sair coisa boa. Quando via que não estava produzindo, deixava o tempo passar e mudava de foco. Essas “paradas” são importantes para clarear as ideias e melhorar a produção. Na verdade, não tinha pressa para concluí-lo. Eu queria que o resultado final fosse proveitoso.

3- O projeto está categorizado em três grandes temas: juninas, carnaval, diversidade. Que critérios você utilizou para setorizá-los dessa maneira?
Esses temas são inevitáveis. Carnaval e São João são as festas populares mais ricas e conhecidas do Estado. Diversidade é o tema que me possibilitou abrir para a representação de expressões mais difusas da nossa cultura como a arquitetura, as paisagens, os costumes e a gastronomia.

4- Como esses símbolos podem ser acessados?
Cuidamos para que o acesso fosse o mais simples possível. O melhor é que qualquer pessoa, com um mínimo de intimidade com computadores, pode baixar. É só entrar no site www.peculturaemsimbolos.com.br, escolher um dos dois formatos (PDF e AI) e clicar. O download é automático.

5- Existe a possibilidade do projeto se estender (acréscimo de mais símbolos)?
Durante o processo de criação dos símbolos, abandonei vários estudos por diversas questões. É um número grande de esboços. Penso que, no futuro, eu possa voltar a eles e acrescentar alguns ao projeto.

6- Em relação ao uso dos símbolos, você preferiu não limitar a finalidade que os usuários façam da iconografia disponibilizada no site, autorizando, inclusive, que os internautas utilizem-nos para fins comerciais (algo ainda pouco usual em sites dessa categoria na internet). Qual a razão dessa decisão?
O objetivo do projeto é oferecer a quem não tem acesso a um ilustrador ou um designer um repertório gráfico de qualidade para suas atividades lúdicas, educativas ou comerciais. A ideia é que quanto mais gente usufruir do projeto, é melhor para divulgação dele.

< voltar para home