Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

Escute o novo CD da banda Rua – “Limbo”

Disco conta com participações de Lenine, Jr. Black e Glauco César Segundo.

Breno César

Breno César

Banda Rua foi formada em 2009 entre amigos do curso de música da universidade.

A banda Rua lançou virtualmente seu segundo álbum “Limbo”, disponibilizando-o integralmente para download no site da banda: www.ruadoabsurdo.com.br. O lançamento do CD físico está marcado para outubro. O disco, captado por Diogo Guedes, mixado e masterizado por Bruno Giorgi, conta com as participações dos conterrâneos Jr. Black em “Ortopedia”, Glauco César Segundo em “Canto Quarto” e Lenine na condução vocal de “Caverna”. A Rua é formada por Nelson Brederode (Cavaco), Hugo Medeiros (Bateria), Caio Lima (Voz) e Yuri Pimentel (Contrabaixo). O CD conta com incentivo do Funcultura, do Governo de Pernambuco.
Escute o CD “Limbo” AQUI.

Com nove faixas, o segundo disco da banda traz uma textura musical diferente do primeiro “Do Absurdo”.“Os instrumentos, os sons, estão lá, mas é uma audição quase que inconsciente, em várias camadas. Existem muitas vozes escondidas por trás, não evidentes, responsáveis por criar uma atmosfera mais fantasmagórica”, detalha o vocalista Caio Lima. Em algumas músicas foram gravadas mais de uma linha melódica de guitarra, baixo ou bateria, por exemplo.

Para fazer o disco reverberar e ter um feedback, a Rua está estimulando fotógrafos, artistas, amigos (e quem mais se interessar) mostrem através de textos e imagens suas “Impressões Sobre o Limbo”. A série de impressões pode ser acompanhada no Facebook da banda: https://www.facebook.com/ruadoabsurdo

Mais sobre Rua

O grupo surgiu, em 2009, entre amigos do curso de música da Universidade Federal de Pernambuco que tinham em comum a intensa investigação sobre formas de composição e o interesse pela criação artística.  A banda diz que tem “um som experimental que mergulha a canção nordestina numa estética rock minimalista, com acordes que se diluem em ritmo e linhas melódicas e criam uma textura polifônica”. Além de Steve Colemann, Bjork e Nelson Cavaquinho (só pra citar alguns), a dança e o movimento do corpo num sentido mais amplo são estímulos fortes para o processo de composição do grupo. O grande interesse da banda é saber como o som movimenta, como fazer as pessoas se moverem com a música sem cair no clichê de ser uma música dançante. 

< voltar para home