Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

Espetáculo e oficina marcam programação de dezembro do projeto Dança de Algibeira

A Companhia DIG é a convidada do mês e vai desenvolver atividades gratuitas no bairro do Recife

O projeto Dança de Algibeira, realizado no Espaço Compassos (Recife), volta neste mês de dezembro com uma programação focada no trabalho da Companhia de Teatro e Dança Pós-Contemporânea d’Improvizzo Gang, conhecida por DIG. Dentre as atividades programadas, haverá uma oficina de Dança-Teatro oferecida pelo grupo, na segunda (5) e terça (6), das 10h às 13h, e sessões do espetáculo Katastrophè, baseado livremente no texto de Samuel Beckett, nos dias 12 e 13 do mesmo mês, às 19h. A entrada é gratuita.

Toni Rodrigues/Divulgação

Toni Rodrigues/Divulgação

O espetáculo ‘Katastrophè’ surgiu a partir de um interesse do coletivo sobre a obra de Samuel Beckett, escritor irlandês que já recebeu o Prêmio Nobel de Literatura

Dança de Algibeira é incentivada pelo Governo de Pernambuco, por meio do Funcultura, organizado por Patrícia Costa e Raimundo Branco, responsáveis pelo Compassos.

Toni Rodrigues/Divulgação

Toni Rodrigues/Divulgação

No dia 13 de dezembro, às 20h, os integrantes do DIG vão conversar com o público sobre o processo criativo do espetáculo

De acordo com Pollyana Monteiro, uma das integrantes do coletivo que ministrará a oficina, durante as aulas serão trabalhados os princípios que o grupo leva para os seus espetáculos de dança. “Serão três horas por dia, e vamos tentar usar alguns conceitos da dança-teatro, como espaço, tempo e velocidade, fazendo um paralelo com o método de pesquisa que fundamentamos ao longo da nossa história”, revela.

Raimundo Branco explica que serão oferecidas 20 vagas para a oficina, mas há a possibilidade desse número aumentar por conta da procura. “Para participar, a pessoa só tem que enviar uma carta de intenção simples para o e-mail espacocompassos@gmail.com e informar em poucas linhas o porquê do desejo de participar das aulas”.

Toni Rodrigues/Divulgação

Toni Rodrigues/Divulgação

Katastrophè é um espetáculo sobre a relação de poder, preconceito e intolerância, e foi montado com base nas experiências dos integrantes do grupo neste sentido

Sobre o espetáculo Katastrophè, Pollyana Monteiro, que assina a coreografia e direção geral, comenta que a montagem surgiu a partir de um interesse do coletivo sobre a obra de Samuel Beckett, escritor irlandês que já recebeu o Prêmio Nobel de Literatura. “Paulo Michelotto, fundador do DIG, é tradutor de Beckett no Brasil, um autor que tem uma obra extensa, inclusive dramatúrgica. Como esse ano se falou muito em intolerância, abuso de poder e preconceito, estudamos alguns textos dele e encontramos Katastrophè, que fala exatamente sobre o poder”.

O processo de pesquisa, segundo ela, foi tentar realizar um estudo do texto puxando para a realidade da companhia. “Perguntamos para os bailarinos as situações de opressões que eles viveram, e a partir dessas experiências, e com base nas propostas de experimentação, construímos este espetáculo. Acredito que este seja um trabalho bem atual. Todo artista está com a necessidade de gritar um pouco, e o nosso grito é esse”.

Katastrophè é uma palavra que em grego significa entrelinhas. O espetáculo traz oito pessoas em relações muito sutis de poder, e todo o caminho percorrido por esses personagens – ora oprimidos, ora opressores. O elenco é formado pelos dançarinos Bob Silveira, Edcarlos Rodrigues, Gardênia Coleto, Higor Tenório, Lili Guedes, Paulo Michelotto, Pollyanna Monteiro e Will Siquenas.

Aline Rodrigues/Divulgação

Aline Rodrigues/Divulgação

Atores e atrizes trouxeram experiências pessoais para o espetáculo

Também no dia 13 de dezembro, às 20h, os integrantes do DIG vão conversar com o público sobre o processo criativo do espetáculo, durante o projeto Chá com arte, também do Compassos. “O que eu acho mais interessante do Dança de Algibeira é que a gente pode tanto fazer a oficina, possibilitando que outras pessoas passem a trabalhar na mesma linha de pesquisa, como também apresentar o nosso trabalho”, avalia Pollyana.

Sobre o Dança de Algibeira – Localizado na Rua da Moeda, no Bairro do Recife o Espaço Compassos busca promover através deste projeto um ambiente cênico alternativo que viabilize os diversos trabalhos de dança e performances produzidos pelos artistas locais. Apenas nesta edição do projeto, mais de 20 artistas e grupos já passaram pela programação. A aproximação do público com os artistas, no sentindo da formação de público e a partir de aulas abertas e da participação nas rodas de diálogo, também é um dos objetivos do projeto.

Após dezembro, a Dança de Algibeira volta em fevereiro de 2017, quando será inaugurada a mostra Poiesis da Imagem. A exposição trará ao público o acervo imagético dos artistas e grupos envolvidos, bem como cartazes, figurinos e cenários.

Serviço
Dança de Algibeira
Espaço Compassos (Rua da Moeda, 93, Bairro do Recife)
Segunda (5) e terça (6) | Oficina de dança-teatro, das 10h às 13h
12 e 13 de dezembro | Espetáculo Katastrophè, às 19h
13 de dezembro | Chá com arte e conversa com o grupo DIG, às 20h
Gratuito

Confira a programação do projeto Dança de Algibeira em dezembro:

Segunda (5) e terça (6)
10h às 13h
Oficina de dança-teatro | Ministrantes: Paulo Michelotto e Pollyanna Monteiro |Capacidade: 20 pessoas | Público alvo: atores, bailarinos e artistas em geral

Segunda (12) e terça (13)
19h
Katastrophè | Companhia de Teatro e Dança Pós-Contemporânea d’Improvizzo Gang

Terça (13)
20h
Chá com Arte | Companhia de Teatro e Dança Pós-Contemporânea d’Improvizzo Gang

Ficha técnica do espetáculo Katastrophè
Texto: Samuel Beckett
Tradução: Paulo Michelotto
Dançarinos- intérpretes- criadores: Bob Silveira, Edcarlos Rodrigues, Gardênia Coleto, Higor Tenório, Lili Guedes, Paulo Michelotto, Pollyanna Monteiro e Will Siquenas.
Iluminação: Cleison Ramos
Figurino e trilha musical: Pollyanna Monteiro
Sonoplastia: Cynthya Dias
Cenário, pesquisa e direção: Paulo Michelotto
Adaptação, coreografia e direção geral: Pollyanna Monteiro
Créditos de fotografias: Toni Rodrigues
Classificação: 16 anos
Tempo: 40′
Realização: Cia. De Teatro e Dança Pós- Contemporânea d’Improvizzo Gang.

< voltar para home