Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

Espetáculo “Flor do Lixo” estreia nesta sexta-feira (15) no Parque Dona Lindu

Com incentivo do Funcultura, a peça promoverá uma turnê em vários espaços de Olinda e Recife

Renata Pires/Divulgação

Renata Pires/Divulgação

Giulia Cooper e Anderson Machado são os protagonistas da montagem

Para muita gente, um beco é um lugar escuro, abandonado e perigoso, para se manter verdadeira distância… Pois, foi exatamente num local assim que dois artistas amigos descobriram o que a magia, de fato, pode fazer. E o que parecia ser um espaço esquecido, o Beco da Ilusão, ganhou importância e passou a ser o lugar onde tudo surpreende, como pura mágica. Este é o mote do espetáculo Flor do Lixo, que a companhia Caravana Tapioca estreia nesta sexta-feira (15), a partir das 19h, na área externa do Parque Dona Lindu (Boa Viagem), com incentivo do Funcultura. Formada pela dupla de atores, circenses e músicos, Giulia Cooper e Anderson Machado, paulistanos radicados no Recife há cinco anos, a Caravana Tapioca vem desde o ano 2010 divertindo famílias inteiras com os seus espetáculos de humor para todas as idades.

Concebida desde 2013, a montagem Flor do Lixo, com roteiro e direção de Anderson Machado e supervisão cênica de Marcelo Oliveira, traz à cena um tema que preocupa a todos nós: o destino do lixo que produzimos. No enredo, dois artistas vão se apresentar em um beco supostamente comum, sem saída, o Beco da Ilusão, mas têm seu show interrompido devido a um curto-circuito no equipamento de som. O espetáculo, que parecia estar perdido, ganha uma nova dimensão quando seres mágicos surgem no local, indicando soluções para que eles possam recriar a apresentação utilizando material descartável, lixo mesmo. Assim, garrafas plásticas são usadas como malabares, bolas de papel ganham vida, e até um saco de lixo passa a ter movimentação feito gente. Ilusionismo, malabarismo, música, riso e poesia contam essa história sem uso algum de palavras, interpretada pelos artistas Giulia Cooper e o próprio Anderson Machado.

“Queremos tratar desses seres invisíveis, garis, pedintes, moradores de rua, etc., e propondo também uma reflexão sobre o consumo desenfreado que nos faz gerar tanto lixo. Outro ponto importante é a necessidade de valorizarmos mais os espaços que temos na nossa cidade, lugares esquecidos que podem, sim, ganhar outra utilidade, outra vida”, lembra Giulia Cooper sobre um tema bastante pertinente para os tempos de hoje: o uso adequado de espaços ociosos nesta urbanidade desenfreada. E por que o não uso de palavras na encenação? Anderson Machado responde: “Partimos inicialmente da ideia de dialogar com crianças surdas, mas também há uma premissa anterior, mais universal, pois queremos tocar o público em geral por outro caminho, não só da verbalização, mas do teatro físico, da comicidade sem um texto falado e que pode levar para um lugar mais lírico”, define, ciente da diversidade de propostas nos trabalhos da Caravana Tapioca.

Turnê
Como início de carreira, o espetáculo “Flor do Lixo” vai circular por diversas áreas abertas do Recife e Olinda (Parque Dona Lindu, Parque 13 de Maio, Praça do Arsenal da Marinha, Praça de Boa Viagem, Parque da Jaqueira e Alto da Sé, entre outros lugares), além de chegar a pátios de escolas públicas para turmas de crianças e adolescentes e sedes de organizações não governamentais – muitas com pessoas surdas –, como o Centro Educacional Saber Viver, na Ilha de Deus, Escola Governador Barbosa Lima, Escola Vidal de Negreiros e ONG Pé no Chão, no bairro de Santo Amaro. Ainda na equipe técnica da montagem, Fabiana Pirro na criação de figurinos, Anderson Machado, também responsável pelo cenário, Leidson Ferraz na assessoria de comunicação, Hudson Wlamir na produção executiva, e Marcella Malheiros na administração. Maiores detalhes no site: www.caravanatapioca.com.

Companhia
A Caravana Tapioca foi formada no ano 2010, quando os paulistanos Giulia Cooper e Anderson Machado vieram morar de vez no Recife. O nome Tapioca surgiu porque era o que eles comiam ao final de cada apresentação nos mais diversos lugares, ambos apaixonados pela culinária nordestina. Com formação em circo, os dois atores, circenses e músicos, além de se apresentarem em casas de espetáculos fechadas, têm uma carreira marcada por sessões em espaços abertos, principalmente ruas, praias e praças, com destaque a municípios do sertão nordestino. Ela, que vive a palhaça Nina, vem de escola de circo; ele, também músico, vem de escola de palhaços. Sua personagem é o palhaço Cavaco, referência a um dos instrumentos que domina bem, o cavaquinho. É assim que essa dupla faz muita graça e bagunça nos seus espetáculos, todos de humor universal e para todas as idades! E Flor do Lixo é para reciclar, ainda mais, a alegria!

AGENDA DE APRESENTAÇÕES GRATUITAS NO RECIFE E OLINDA

Dia 15/05 (sexta-feira) – Parque Dona Lindu, 19h

Dia 16/05 (sábado) – Parque 13 de Maio, 16h30

Dia 17/05 (domingo) – Praça do Arsenal da Marinha, 16h

Dia 18/05 (segunda-feira) – Ilha de Deus, no Centro Educacional Saber Viver, 17h

Dia 20/05 (quarta-feira) – Escola Governador Barbosa Lima, 9h

Dia 21/05 (quinta-feira) – Escola Vidal de Negreiros, 10h30

Dia 21/05 (quinta-feira) – Comunidade de Santo Amaro, no Largo do Albuquerque, ONG Pé no Chão, 17h30

Dia 22/05 (sexta-feira) – Rua da Alfândega, 21h

Dia 23/05 (sábado)- Praça de Boa Viagem, 17h e 20h

Dia 24/05 (domingo) – Parque da Jaqueira, 10h

Dia 24/05 (domingo) – Alto da Sé/Olinda, 16h30

Classificação indicativa: livre para todas as idades e públicos.

< voltar para home