Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

Espetáculo “Pochyua – Só para rodar” será exibido pelo YouTube

Hermes Costa Neto/Divulgação

Hermes Costa Neto/Divulgação

Pochyua Andrade atua e dirige o espetáculo

Com incentivo do Governo do Estado de Pernambuco, por meio dos recursos do Funcultura, o espetáculo “Pochyua – Só para rodar” será lançado virtualmente no próximo dia 28 de setembro (terça-feira), no Youtube (www.youtube.com/channel/UChYGkg7BtLSdAntIEhIR8uQ). Produzido pelo Cutia Coletivo, é um show para ver, ouvir, cantar, dançar e brincar. Um encontro entre tradição e contemporaneidade em forma de música, que passeia por 12 ritmos diferentes: dos regionais, como o frevo, a ciranda e o maracatu, até os de influência europeia, africana e indígena.

De autoria do músico e escritor Pochyua Andrade, o show terá como ação complementar, no dia 29 (quarta-feira), uma oficina virtual com estudantes das redes estadual, municipal e particular de ensino interessados, pois o projeto também foi construído como conteúdo para as instituições de ensino, trazendo além das canções, poesias que citam e explicam um pouco sobre cada ritmo apresentado.

“O show é para crianças, jovens, adultos, famílias e escolas. Buscamos integrar todo esse público em uma viagem pelo imaginário de festejos e brincadeiras populares. Só para rodar é pra mexer com o corpo e com a memória afetiva, ensinar a fazer pipa, se encantar com o catavento, brincar de peão, de esconde-esconde, de bumba meu boi, se apaixonar ainda mais pelo nosso carnaval e pelo nosso São João”, aponta o músico e escritor.

O espetáculo apresenta 12 ritmos diferentes e tem a proposta de traçar um desenho da nossa música frisando as influências europeias (como o xote e a valsa), africanas (o alujá) e indígenas (o toré) e traz como resultado da miscigenação os ritmos consagrados de Pernambuco, a exemplo do frevo, do coco, dos maracatus, da ciranda, do caboclinho entre outros.

Pochyua - Só para rodar é um projeto inclusivo também. Além de ter versões com libras para o show e para a oficina, ele aproxima o público jovem de suas origens culturais indígenas e afro-brasileiras, desmistificando conceitos que envolvem sua musicalidade e sua religiosidade. “Ele convida todos a entender essa igualdade dentro dos versos das canções”, destaca o autor.

O show foi gravado no Teatro Marco Camarotti, no Sesc de Santo Amaro, no Recife. No palco estão Pochyua Andrade (violão, voz e direção musical), Johann Brehmer (bateria, percussão, concertina e vocal), Rafael Duarte (baixo, percussão e vocal), Joana Knobbe (teclado, flauta, escaleta e vocal), Orun Santana (bailarino) e Viviana Borchardt (atriz e diretora artística). O registro do espetáculo tem iluminação de Natalie Revorêdo, figurino de Paulina Albuquerque, direção de vídeo de Thiago França, designes de Walton Ribeiro e animações de Paulo Leonardo.

Mais informações: www.cutia.com.br | (81) 98777-1498

Serviço:
28/setembro: acesso ao espetáculo pelo Canal do Youtube do Cutia Coletivo
29/setembro: acesso a oficina “Ritmos pernambucanos e suas influências” pelo Canal do Youtube do Cutia Coletivo

< voltar para home