Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

Exposição ‘Dezovar’ traz debate sobre abandono, vida e morte

Mostra do artista plástico Fernando Augusto Lima apresenta fotos, vídeos e uma instalação abordando as questões da violência urbana e do ciclo da vida

Eric Gomes/Divulgação

Eric Gomes/Divulgação

‘Dezova’ traz um conjunto de 40 fotos, um vídeo fictício e uma instalação que trata diretamente da dicotomia entre a vida e morte

No dicionário, o verbo desovar significa realizar a postura de ovos ou dar à luz. No entanto, no linguajar mais popular, a palavra também carrega o sentido de descarte ou até mesmo da morte. É com esta licença semântica que o artista plástico Fernando Augusto Lima apresenta a sua nova exposição individual, intitulada Dezova, que traz para o debate algumas questões da violência urbana, como a questão do abandono de carros na BR-408, em São Lourenço da Mata.

A mostra terá abertura na próxima sexta (17), às 20h, na Galeria Mestre Galdino do Sesc de Caruaru, e traz um conjunto de 40 fotos, um vídeo fictício e uma instalação que trata diretamente da dicotomia entre a vida e morte. A ideia de realizar a abertura em Caruaru, segundo o artista, “é levar ao agreste de Pernambuco um conteúdo talvez não tão discutido na região, além de dialogar com os artistas da cidade”. A exposição fica em cartaz até o dia 28 de abril, com visitação de segunda a sexta-feira, das 9h às 21h. A entrada é gratuita.

De acordo com Fernando Augusto Lima, o trabalho foi iniciado quando a BR-408 ainda não era duplicada, antes mesmo da construção da Arena Pernambuco. “Eu morei um tempo naquela região porque tenho um sítio ali perto do estádio. Na verdade quando eu comecei esse trabalho, entre 2003 e 2004, a arena ainda nem existia. A BR, na época, não era duplicada e organizada como é hoje, e as coisas eram mais abandonadas. Durante o percurso que eu fazia do Recife pra casa, eu percebia os carros queimados e fatiados na estrada”, explica o artista plástico.

Eric Gomes/Divulgação

Eric Gomes/Divulgação

A instalação que integra a mostra trata-se de uma chocadeira com dez ovos – que provavelmente vão eclodir no 21º dia da exposição.

A primeira parte de Dezova são 10 ações registradas fotograficamente por Suzana Liva Dias e a maioria dos registros foi feita entre 2003 e 2004. “Passei um tempo realizando outros trabalhos e apurando a ideia. No ano de 2014 produzimos outras fotos, e é interessante observar que mesmo com a duplicação da via ainda há carros abandonados por ali”, pontua o artista. As imagens registram momentos em que ele coloca ovos nos veículos, simbolizando a questão da vida e contrastando com a paisagem.

A instalação que integra a mostra trata-se de uma chocadeira com dez ovos – que provavelmente vão eclodir no 21º dia da exposição. “No local haverá um pinteiro, que é um lugar onde se cria os pintos, pra que eles possam se desenvolver ao longo da temporada. Com essa instalação eu quero falar sobre a seleção natural da vida. Alguns podem ser que nasçam, e os que sobreviverem pode ser que não sigam até a vida adulta. É a lei da natureza”. Os pintos que se desenvolverem serão levados ao sítio de Fernando Augusto, em São Lourenço da Mata.

A exposição conta ainda com um vídeo, uma série de ficções atuadas pelo próprio Fernando como forma de recriar as possibilidades dos carros serem ‘desovados’ na BR. “Será que é só um criminoso se livrando do carro? Aquele que vai pra queimar arquivo, destruir o carro que assaltou? Ou pode ser aquele que tem um desvio de conduta e quer dar um golpe no seguro? Eu me coloquei indo lá para gerar essas discussões”, revela o artista. O vídeo conta com trilha sonora assinada pelo músico Alfaia.

Segundo Fernando, Dezova só era viável se tivesse algum apoio. “Este é um trabalho que foi depurando com o tempo, de forma a agregar valor e trazer um conteúdo mais denso, e sem um aporte financeiro não ia ser possível executá-lo como eu queria. Foi quando inscrevi a ideia no edital do Funcultura e, aprovado, consegui viabilizá-lo”. O projeto é uma realização de Guilherme l. F. Patriota (Theia Produtores Associados).

Eric Gomes/Divulgação

Eric Gomes/Divulgação

Esta é sua 11ª exposição individual de Fernando Augusto Lima, que depois terá uma temporada no Recife, na Torre Malakoff

Como artista plástico, Fernando Augusto acumula diversas experiências. Foi ganhador do Prêmio de Arte Mural – Salão de Arte Contemporânea de Pernambuco e do Concurso de Gravuras – Centro Cultural Brasil / Espanha. Entre outros trabalhos, em 2002 e 2005 criou e coordenou o SPA das Artes – Semana das Artes Visuais do Recife.

Esta é sua 11ª exposição individual, e ele conta que depois da temporada em Caruaru vai se dedicar ao desdobramento do projeto. “Em setembro a mostra chega ao Recife, na Torre Malakoff, e vai ser uma oportunidade de apresentar este trabalho na capital pernambucana”, comenta. No Recife, a mostra entra em cartaz no mês de setembro, na Torre Malakoff. Abertura 06/09/2017 a 08/10/2017, na Sala Acir Lacerda.

Serviço
DEZOVA – Exposição individual de Fernando Augusto Lima
Abertura na próxima sexta (17), às 20h
Galeria Mestre Galdino / Sesc de Caruaru – Rua Rui Limeira Rosal, s/n – Petrópolis
Visitação de 18 a 28 de abril, das 9h às 21h
(81) 9 3721.3967 / 9 9176.0537
Gratuito

< voltar para home