Pular a navegação e ir direto para o conteúdo

O que você procura?
Newsletter

Funcultura

Exposição “O Jogo da Bola” ocupa a Torre Malakoff

Fruto de uma pesquisa realizada em 20 comunidades recifenses entre os anos de 2016 e 2017, a mostra, que conta com incentivo do Funcultura, é uma verdadeira ode ao futebol de rua

A Torre Malakoff, equipamento cultural gerido pela Secult-PE/Fundarpe, sedia, a partir desta quinta-feira (9), a exposição O Jogo da Bola. Capitaneada pelos fotógrafos Iezu Kaeru e Eustáquio Neves, a mostra, que conta com incentivo do Funcultura, transformou todo o primeiro andar do espaço numa grande plataforma física de interação entre o futebol de rua pernambucano e a fotografia.

“O futebol não é só um, mas dois. Há aquele que se transformou em espetáculo de massas e é considerado profissional. E existe o outro que, embora inspirado no primeiro, o tempo inteiro subverte suas normas, sendo tratado como amador. Um, se repete e é avesso a riscos; o outro, se reinventa sem maiores cuidados. O projeto de Iezu Kaeru e Eustáquio trata desse futebol que é sem amarras, buscando fixar em imagens algo que lhe seja próprio. E o lugar privilegiado da investigação que fazem é aquele no qual a bola literalmente rola, articulando homens e mulheres de idades distintas”, conta Moacir Anjos, responsável pela curadoria da exposição.

Além da fotografia, o visitante poderá conferir, até o dia 19/3, diversos recursos artísticos e sensoriais que abrangem segmentos das artes e tecnologia, como audiovisual, percepção sonora, performances e instalações, que estão espalhadas nas quatro salas que compõem o primeiro andar da Torre e divididas em dois segmentos: Com Camisa e Sem Camisa.

Iezu Kaeru e Eustáquio Neves/Divulgação

Iezu Kaeru e Eustáquio Neves/Divulgação

Mostra retrata a paixão dos recifenses pelo futebol

A etapa Com camisa apresenta 45 fotos digitais feitas por Iezu e pelos próprios protagonistas da exposição: jogadores e jogadoras do futebol de rua das zonas urbanas do Recife. Entre 2016 e 2017, o fotógrafo percorreu cerca de 20 comunidades e ministrou aulas intituladas workchoques para os moradores. “Era uma forma que encontrei de dividir os olhares e a responsabilidade pela feitura das imagens num processo de construir uma narrativa a partir dos olhares de quem vive o universo da bola no dia a dia. Tudo é relação. O mais importante são as trocas de vivências entre as pessoas”, explica Iezu, que ainda estende o processo para além das imagens lúdicas e divide a co-autoria das fotos digitais.

Entre os locais visitados por ele, estão comunidades como Santo Amaro, João de Barros, Coque, Brasília Teimosa, Passarinho, Dois Unidos, Jardim Brasil, Arruda, Três Dedos, Jardim São Paulo, Ilha do Maruim, Ilha Santa Terezinha, Bode e torreão, passaram pelo processo de intervenção.

Ainda jogando no time Com Camisa, a sala ganha o reforço de uma exposição com os padrões dos principais times das comunidades. São eles: Barcelombra F.C, Parma F.C (João de Barros), AlKaida F.C,União F.C, Amigos F.C, Fora de Forma F.C, São Raimundo F.C, Unibol F.C (Santo Amaro), Passarinho F.C, Viracopo F.C (Alto do Maracanã), Mogi Mirim (Brasília), Vapor F.C (Ouro Preto), Desandados F.C (Dois Unidos) e Penarol F.C (Dois Unidos).

Nessa seção, há ainda a instalação Batch Gol, desenvolvida numa parceria entre os fotógrafos e a Natura Bit, empresa de arte e tecnologia de T Krause e Sérgio Leão. “A sala especial foi formatada para que os visitantes, convidados a “bater” o pênalti, vivam a experiência desse momento decisivo. Na hora em que uma bola imaginária é chutada na marca da penalidade máxima, uma projeção em tempo real e em tamanhos proporcionais à realidade é acionada exibindo imagens com 53 variedades de cenas diferentes mostrando o desempenho do goleiro Dida entre as traves, que é um dos craques do futebol do bairro do Coque”, diz Iezu.

Jogando no time Sem Camisa, duas salas servirão de espaço para abrigar um simulacro de um jogo de futebol com fotos analógicas, de Iezu Kaeru e do renomado fotógrafo mineiro Eustáquio Neves. As imagens, em preto e branco, são expostas em 11 tótens cúbicos iluminados com altura de 1,85 metros e largura de 45 centímetros. Os áudios captados durante a visitas às comunidades ambientam a sala como plataforma sonora de uma partida de futebol. Performances ao vivo de personagens que usam a bola como forma de sobrevivência também farão da parte da abertura da exposição: um mestre das embaixadinhas e malabarismo, uma barraca para consertos da pelota e, como não poderia faltar, um cabeleireiro especializado no corte estilo “jogador”.

Barrinha
Numa parceria com o Programa de Esporte e Lazer (PELC) da Prefeitura do Recife, a exposição promove o 1º Campeonato de Barrinha de Pernambuco. O torneio, aberto ao público, acontecerá nesta quinta-feira (9), às 14h, no anfiteatro da Torre Malakoff. As inscrições serão realizadas na hora.

Serviço
Exposição O Jogo da Bola, de Iezu Kaeru e Eustáquio Neves
Abertura: quinta-feira (9), às 18h
Torneio de Barrinha: quinta-feira (9), às 18h
Período de visitação: 9 de fevereiro – 19 de março de 2017 | terça a sexta-feira, das 10h às 17h; sábados, das 15h às 18h; domingos das 15h às 19h
Onde: Torre Malakoff (Praça do Arsenal, S/N)
Entrada Gratuita
Mais informações: (81) 3184.3180

< voltar para home